Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

“Depois da Barragem Tudo Mudou”: O Drama da Pesca e dos Pescadores Artesanais do Médio Rio Tocantins

DOI: http://dx.doi.org/10.17551/2358-1778/geoamazonia.v3n5p117-140

http://www.geoamazonia.net/index.php/revista 

downloadpdf

Vonínio B. de Castro1 & Flávio B. Barros2

 

Resumo: Este estudo buscou analisar os conhecimentos etnoictiológicos de agricultores pescadores do médio rio Tocantins, situados entre os municípios de Palmeirante -TO e Itapiratins –TO, diante das novas configurações dos ecossistemas proporcionadas pela Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães, também chamada de barragem Lajeado, localizada na cidade de Lajeado -TO, e inaugurada em 2001. Através da abordagem qualitativa analisamos os dados coletados desde a primeira inserção em campo, ocorrida em 2007, por meio da “Observação Participante”, de entrevistas individuais e coletivas realizadas com adultos e jovens de ambos os gêneros. Os resultados mostram que em função das constantes alterações ambientais no período pós barragem, dentre elas, a alteração do ciclo da cheia e vazante e o ineficiente controle hidrológico que interviram no ciclo natural do nível das águas do rio, algumas variedades de espécies de peixes têm diminuído e, consequentemente, a práxis da pesca artesanal. Isto, por sua vez, tem influenciado drasticamente nas relações desses atores com o rio e o lugar. Em função desses e de outros problemas, ratificamos que as barragens são ameaças não somente aos ecossistemas que estão à montante dos reservatórios, mas também, à toda sociobiodiversidade que historicamente tem se construído e se reconstruído à jusante.

Palavras-chave: Saberes da pesca, modus vivendi, alterações, ecossistemas.

 

Abstract: In this study we have proposed to analyze the Etnoictiologic knowledge of agriculturalist fishers of the Médio Rio Tocantins, located in the municipalities of Palmeirante-To and Itapiratins-To before the new configurations of ecosystems provided by the Hydroelectric Luís Eduardo Magalhães, also called Lajeado dam, located in Lajeado-To, and inaugurated in 2001. Through qualitative approach we have analyzed data collected from the first insertion, which occurred in 2007, through the "Participant Observation", individual and group interviews with adults and young men and women. The results show that due to constant environmental changes which happened in the post dam period, among them, changing the ebb and flood cycle, also, the inefficient hydrological control that intervened in the natural cycle of the water level, some varieties of fish species have declined and hence the practice of artisanal fishing. This, in turn, has influenced dramatically the relations of these actors with the river and the place. Because of these and other problems, we reaffirm that dams are threat, not only to ecosystems that are upstream of the reservoirs, but also to all sociobiodiversity that historically has been built and rebuilt downstream.

Key words: fishing knowledge, modus vivendi, changes, ecosystems.

 

1 Doutorando em Antropologia pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) da Universidade Federal do Pará (UFPA). e-mail: voninio@yahoo.com.br.
2 Professor no Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural – NCADR/UFPA. Programas de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) e Agriculturas Amazônicas (PPGAA). Docente no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). E-mail: flaviobb@ufpa.br.

 

Literatura Citada

BEGOSSI, A.; GARAVELLO, J.C. Notes on the ethnoichthyology from Tocantins River. Acta Amazônica, Manaus, v. 20, 1990. p. 341-351,

BODLEY, J.H. Victims of Progress. Third Edition. Mountain View, CA: Mayield Publishing. 1990.

CARVALHO, T. Síntese de campo do trecho Peixe a Ipueiras, rio Tocantins: uma contribuição à Exploratória Rio Tocantins. Rev. Esp. Acad, 8, 2009. p.1-6.

CASTRO, Celso (org.). Evolucionismo Cultural: textos de Morgan, Tylor e Frazer Ín Araújo - Campos-Revista de Antropologia Social. 2005- ojs.c3sl.ufpr.br.

CASTRO, V.B & PEREIRA, H. S. As transformações do mundo da pesca no trabalho/ambiente no povoado Cajueiro, Palmeirante/TO. UFAM. Manaus, 2010. Dissertação de mestrado.

CHAMBERS, R. Participatory rural appraisal (PRA): Analysis of experience. World development, 22(9), 1253-1268, 1994.

COSTA-NETO, E. M., Dias, C. V., & Melo, M. N. O conhecimento ictiológico tradicional dos pescadores da cidade de Barra, região do Médio São Francisco, Estado da Bahia, Brasil. Acta Scientiarum, 24(2), 561-572, 2002.

DA SILVA MOURAO, J. e NORDI, N. Principais critérios utilizados por pescadores artesanais na taxonomia folk dos peixes do estuário do rio Mamanguape, Paraíba-Brasil. Interciência, vol. 27, no 11, p. 607-612, 2002.

DIEGUES; A. C; ARRUDA; Rinaldo S.V. (orgs.) Saberes tradicionais e biodiversidade no Brasil. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; São Paulo: USP, 2000.

DESCOLA, P. Beyond nature and culture. University of Chicago Press. 2013.

GLUCKMAN, Max. ‘Análise de uma situação social na Zululândia moderna’. In: FELDMAN-BIANCO, B. (org.), Antropologia das sociedades contemporâneas - Métodos. São Paulo: Global, [1958] 1987.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA-IBGE. Censo demográfico. 2010.

STOCKING, G. "Fieldwork in British Anthropology from Tylor to Malinowski" In: Stocking, G. The ethnographer's magic and other essays in the history of anthropology. The University of Wisconsin Press, p. 276-341, 1992.

MARQUES, J.G.W. Pescando Pescadores. Etnoecologia Abrangente no Baixo São Francisco. São Paulo: NUPAUB/USP, SP. 1995. 304p.

MARQUES, J.G.W. Etnoecologia, educação ambiental e superação da pobreza em áreas de manguezais. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ÁREAS DE MANGUEZAIS, 1, 1993, Maragogipe. Anais... Maragogipe: UFBA, 1993. p. 29-35.

OLIVEIRA, M. de F. Rio Tocantins: Lugar de memórias e identidades. Revista Mosaico, v.1, n.2, p.163-168, jul./dez., 2008.

PARENTE, T. G. Gênero e memória de mulheres desterritorializadas. Art Cultura, 9(14), 2007.

POSEY, D. A. FRECHIONE, John; COIROLO, Alicia Durán- The perception of ecological zone and natural resources in the Brazilian Amazon: an ethnoecology of Lake Coari. In: Resource Management In: Amazonia: Indigenous and Folk Strategies. D. A. POSEY and W. Ballée, D. A. POSEY and W. Ballée, eds./NY Botanical Garden, 1989: 260-282.

POSEY, D. A. Etnobiologia: teoria e prática. Suma etnológica brasileira, 1, 15-25. 1987.

OTT, C. F. Os elementos culturais da pescaria baiana. In: Boletim do Museu Nacional/Ministério da Educação e Saúde, Nova Série, Antropologia, N 4, 1944: 1-67.

PROENÇA, W. de L. O Método da Observação Participante: Contribuições e aplicabilidade para pesquisas no campo religioso brasileiro. Revista aulas. Dossiê Religião. Faculdade Teológica Sul Americana – FTSA. http://www.unicamp.br/~aulas/Conjunto%20III/4_23.pdf.

SOUZA, S. M.de. Belém-Brasília: Abrindo fronteiras no Norte Goiano (Atual Tocantins) – 1958-1975. In: A (trans)formação histórica do Tocantins. GIRALDIN, Odair (org.). Goiânia: Ed. UFG; Palmas: Unitins, 2002.

TOLEDO, V. M. M., & Barrera-Bassols N. A etnoecologia: uma ciência pós-normal que estuda as sabedorias tradicionais. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 20. 2009.

ZENT, S. Processual PersPectives on traditional environmental Knowledge continuity, erosion, transformation, innovation. In: Roy Ellen, Stephen J. Lycett and Sarah E. Johns, eds. 2013.