Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Algumas Considerações Acerca da Aprendizagem em Ambientes de Trabalho Sob Uma Perspectiva Multinível: Um Ensaio Teórico

DOI: http://dx.doi.org/10.18361/2176-8366/rara.v6n2p18-38

http://www.periodicos.unir.br/index.php/rara/index 

downloadpdf

Wander P. Souza1 & Salvadora Giménez2

  

Resumo: O presente ensaio tem como objetivo refletir sobre a aprendizagem que ocorre em ambientes de trabalho, traçando algumas considerações sob uma perspectiva multinível. Partindo do pressuposto que a aprendizagem é um processo técnico e social, porém sem entrar no campo de discussão dessas dimensões, são apresentadas algumas considerações conceituais sobre o debate da aprendizagem em ambientes de trabalho, abrangendo o nível individual, grupal, organizacional e interorganizacional. Argumenta-se que a aprendizagem acontece de forma dinâmica entre os seus vários níveis em um continuum que gera novos conhecimentos, acrescentando esses conhecimentos aos conhecimentos anteriores ou modificando-os, e não obstante, em todos os níveis, a aprendizagem só poderá sobrevir por intermédio da reflexão sobre os conhecimentos anteriormente acumulados. Contudo, admite-se que a aprendizagem do nível individual é a base para os demais níveis, mas não apenas como o somatório das aprendizagens individuais. Constatou-se que existe uma relação direta entre os estudos de aprendizagem intra-organizacional com a aprendizagem interorganizacional, assumindo que as organizações aprendem interagindo com seus ambientes. Observou-se, também, que os estudos de aprendizagem interorganizacional ajudam a ampliar o campo de visão analítico das interações organizacionais.

Palavras-Chave: Aprendizagem. Aprendizagem Individual. Aprendizagem Organizacional. Aprendizagem interorganizacional.

 

Abstract: This paper aims to reflect the learning which occurs in workplace, lining some considerations in a multilevel perspective. Assuming that learning is a social and technical process, but, without entering into the discussion of these dimensions, will be spoken about some conceptual considerations of the debate of learning in the workplace, including individual, group, organizational and inter-organizational level. It is argued  that the process of learning happens dynamically between its various levels continuously until generates new knowledge, adding these knowledge to prior knowledge or modifying them, and yet, in all levels, learning can only occur through reflection of knowledge accumulated previously. However, it is believed that learning on individual level is the basis for other levels, but is not just the sum of individual learning. It was found that there is a direct relationship between the studies made between intra and inter organizational learning, assuming that organizations learn by interacting with their own environments. It was observed also that studies of interorganizational learning helps to expand the field of analytical vision of organizations.

Key words: Learning; Individual Learning; Organizational Learning; Interorganizational learning.

 

1 Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) - wander@unir.br
2 Universidad Nacional de Asunción (UNA) - sgimenez01@gmail.com

 

Literatura Citada

ABBAD, G. S.; BORGES-ANDRADE, J. E. Aprendizagem humana em organizações de trabalho. In: ZANELLI. J. C., BORGES-ANDRADE, J. E e BASTOS, A. V. B. (Orgs.). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, p. 237-275, 2004.

ANTONELLO, C. S. Alternativas de Articulação Entre Programas de Formação Gerencial e as Práticas de Trabalho: uma contribuição no Desenvolvimento de Competências. Tese (Doutorado em Administração). Programa de Pós-Graduação em Administração, Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

ANTONELLO, C. S. O Processo de Aprendizagem Inter-níveis e o Desenvolvimento de Competências. RBGN Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 9, n. 25, p. 39-58, 2007.

ARGYRIS, C.; SCHÖN, D. A. Organizational learning II: theory, method, and practice. Reading, MA: Addison-Wesley, 1996.

ARGYRIS, C.; SCHÖN, D. A. Organizational learning: a theory of action perspective. Harlow: Addison-Wesley, 1978.

BASTOS, A. V. B.; GONDIM, S. M. G.; LOIOLA, E. Aprendizagem organizacional versus organizações que aprendem: características e desafios que cercam essas duas abordagens de pesquisa. R.Adm – Revista de Administração. São Paulo, v. 39. N.3, p. 220-30, jul./ago./set. 2004.

COHEN, W.; LEVINTHAL, D. A. Absorptive Capacity: A New Perspective On Learning And Innovation. Administrative Science Quarterly, Ithaca, v. 35, n. 1, p. 128-152, 1990.

CROSSAN, M.; LANE, H.W.; WHITE, R.E. An organizational learning framework: from intuition to institution. Academy of Management. The Academy of Management Review. jul ., v 24, n 3, 522-537, 1999.

EASTERBY-SMITH, M.; ARAUJO, L. Aprendizagem organizacional: oportunidades e debates atuais. In: EASTERBY-SMITH, M.; BURGOYNE, J.; ARAUJO, L. (orgs.) Aprendizagem organizacional e organizações de aprendizagem: desenvolvimento na teoria e na prática. Roesch. São Paulo: Atlas, 2001.

ESTIVALETE, V. F. B. ; PEDROZO, E. A.; BEGNIS, H. S. M. Em Busca da Ação Coletiva: Estratégias de Aprendizagem Interorganizacional adotadas pelas Organizações que estabelecem Relacionamentos Horizontais em Rede. Base (UNISINOS), v. 5, p. 224-235, 2008.

ESTIVALETE, V. F. B.; KARAWEJCYZ, T. C.; BEGNIS, H. S. M. O Desenvolvimento dos Gestores e os Estilos de Aprendizagem em uma Perspectiva de Aprendizagem Organizacional. In: Encontro Nacional dos Programas de Pósgraduação em Administração, 29. 2005, Brasília. Anais. Brasília: ANPAD, 2005.

ESTIVALETE, V. F. B.; PEDROZO, E. A.; SCHERER F. L. A aprendizagem em organizações que desenvolvem ações de cooperação: um estudo envolvendo relacionamentos horizontais em rede. In: 5th International Conference of the Iberoamerican Academy of Management, 2007, Santo Domingo. Iberoamerican Academy of Management, 2007. v. 1. p. 1-18.

ESTIVALETE, Vânia F. B. O processo de aprendizagem em redes horizontais do elo varejista do agronegócio: do nível individual ao interorganizacional. Tese de Doutorado. PPGA/EA/UFRGS, Porto Alegre: URGRS, 2007.

FIOL, M. C.; LYLES, A. M. Organizational learning. Academy of Management Review, Mississippi, v. 10, n. 4, p. 803-813, 1985.

GARVIN, D.A. Building a learning organization. Harvard Business Review, v.71, n.4, pags 78-91, 1993.

HEDBERG, B. How organizations learn and unlearn. In: NYSTROM, P. & STARBUCK, W. (Orgs.) Handbook of organization design. Oxford: Oxford University, p. 3-27, 1981.

HOLMQVIST, M. A Dynamic Model of Intra-and Interorganizational Learning. Organization Studies, v.. 24, n. 1, p. 95-123, 2003.

KIM, D. O Elo entre a Aprendizagem Individual e a Aprendizagem Organizacional. In: KLEIN, David A. (Org.) A gestão estratégica do capital intelectual: recursos para a economia baseada em conhecimento. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1998.

KNIGHT, L. Network learning: exploring learning by interorganizational networks. Human Relations. v.55, n.4, p.427-454, 2002.

KOGUT, B. Joint ventures: Theoretical and empirical perspectives. Strategic Management Journal 9(4): 319-322, 1988.

KOLB, David A. A gestão e o processo de aprendizagem. In: STARKEY, Ken. Como as organizações aprendem: relatos de sucesso das grandes empresas. São Paulo: Futura, 1997.

LARSSON, R. et al. The Interorganizational Learning Dilemma: Collective Knowledge Development in Strategic Alliances. Organization Science, Berlin, v. 9, n. 3, p. 285-305, 1998.

LAUDON, K. C. e LAUDON, J. Sistemas de informações gerenciais. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

LEVINSON, N.; ASAHI, M. Cross-National Alliances and Interorganizational Learning. Organizational Dynamics, New York, v. 24, n. 2, p. 50-64, 1995.

LEVINTHAL, D.; MARCH, J.G. The Myopia of Learning. Strategic Management Journal, v.14, 1993, 95-112.

LEVITT, B.; MARCH, J. G. Organizational learning. American Review of Sociology, vol. 14, 1988.

MARCH, J. G. Exploration and exploitation in organizational learning. Organization Science, 2, 1991, pp. 71-87.

MUTHUSAMY, S. K. e WHITE, M. A. Learning and Knowledge Transfer in Strategic Alliances: A Social Exchange View. Oklahoma State University, Organizations Studies, 2005, pp. 415-441.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, Hiro. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

PANTOJA, M.J.; BORGES-ANDRADE, J.E. Contribuições Teóricas e Metodológicas da Abordagem Multinível para o Estudo da Aprendizagem e sua Transferência nas Organizações. Revista de Administração Contemporânea, v.8, n. 4, p. 115-138, out./dez. 2004.

POWELL, W. W. Hybrid Organizational Arrangements: New Form or Transitional Development? California Management Review; Fall 1987; 30, 1: ABI/INFORM Global pg.67.

POWELL, W. W.; KOPUT, K. W.; SMITH-DOERR, L. Interorganizational collaboration and locus of innovation: Networks of Learning in Biotechnology. Administrative Science Quarterly; Mar 1996; 41, 1; ABI/INFORM Global. p. 116.

POWELL, W. W.; SNELLMAN, K. The Knowledge Economy. Annual Review of Sociology; 2004; 30, ABI/INFORM Global, p. 199.

POWELL, W. W; BRANTLEY, P. Competitive Cooperation in Biotechnology: learning though Network? In: NOHRIA, N; ECCLES, R. Network and Organization. Boston: Harvard Business Press, 1992.

PRANGE, C. Aprendizagem organizacional: desesperadamente em busca de teorias. In: EASTERBY-SMITH, M. et al (Orgs.). Aprendizagem organizacional e organizações de aprendizagem: desenvolvimento na teoria e na prática. São Paulo: Atlas, p. 41-63, 2001.

PRETI, Orestes. Bases Epistemológicas e Teorias em Construção na Educação a Distância. 2002. Disponível em: <http://www.uab.ufmt.br/uab/images/artigos_site_uab/bases_epistemologicas.pdf>. Acesso em 01 out. 2013.

SENGE, P. A Quinta Disciplina: Arte, Teoria e Prática da Organização de Aprendizagem. São Paulo: Best Seller, 1990.

SWIERINGA, J., WIERDSMA, A. La organización que aprende. Wilmington (USA): Addison-Wesley, 1995.

TSOUKAS, H; CHIA, R. On organizational becoming: Rethinking organizational change. Organization Science,. v. 13, n. 5, p. 567-582, 2002.

WILLIAMSON, O. E. Markets and Hierarchies: Analysis and Antitrust Implications. New York: Free Press, 1975.

ZIETSMA, C., WINN, M., BRANZEI, O. & VERTINSKY, I. The War of the Woods: Facilitators and Impediments of Organizational Learning Processes. British Journal of Management, v. 13, p. 61-74, 2002.