Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Gestão do Conhecimento Corporativo: Um Fator de Competitividade para as Organizações

DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v1n1p29-53

https://seer.imed.edu.br/index.php/raimed/index 

downloadpdf

Christine da S. Schröeder1, Mônica da P. Antunes2 & Julcimar L. de Oliveira3

  

Resumo: O conhecimento adquirido ao longo dos tempos levou o homem a deixar de ser nômade, evoluindo processos relacionados à agricultura e pecuária e, com isso, descobriu que poderia cultivar seus alimentos e domesticar os animais, não precisando mudar de um lugar para outro para garantir sua sobrevivência. Porém, naquela época, não foi possível documentar o conhecimento que haviam adquirido e a tecnologia que desenvolveram. Graças ao conhecimento adquirido pelo homem ao longo dos tempos, temos avançadas tecnologias que nos proporcionam melhor qualidade de vida e de trabalho. A sociedade contemporânea está se caracterizando pela velocidade que as mudanças estão ocorrendo no ambiente, ocasionadas pela globalização e pelo fácil acesso a informação, o que vem gerando constantemente novos conhecimentos.  As organizações dessa nova sociedade devem estar preparadas para essas constantes mudanças, para que assim se mantenham competitivas e possam se perpetuar no mercado. À respeito disto, a gestão do conhecimento ganhou ntoriedade nas discussões acadêmicas e organizacionais devido à relevância do assunto como forma de transformá-lo em fatores competitivos. Desta forma, o presente artigo pretende apresentar e discutir as teorias e ferramentas pertinentes à criação, disseminação e utilização dos inúmeros conhecimentos gerados pelas pessoas nas organizações. Este estudo justifica-se pela temática contemporânea e ainda em fase de desenvolvimento e da importância do referido no cenário globalizado e competitivo. A metodologia utilizada foi de caráter bibliográfico e as perspectivas geradas pela discussão giram em torno das ferramentas existentes para a criação e disseminação do conhecimento organizacional como a universidade corporativa ou a simples adoção de reuniões expositivas para a geração de idéias voltadas ao cenário das organizações. Além destas, as organizações podem utilizar sistemas complexos de informação, redes sociais relacionadas à práticas e educação corporativa continuada. As organizações já se deram conta que a estão do Conhecimento Corporativo não pode ser vista como modismo gerencial, pois o conhecimento corporativo deve ser tratado como um bem valioso para a perpetuidade das organizações.

Palavras-Chave: Gestão, Conhecimento, Competitividade, Organizações.

 

Abstract: The knowledge acquired over time led man to leaving a wandering life, developing processes linked to agriculture and livestock and so he found out he would be able to cultivate his food and domesticate his animals, with no need to move around, in order to guarantee his survival. However, at that time, it was impossible to register the knowledge that they had acquired as well as the technology they had developed. Due to the knowledge acquired by man over time, now we have advanced technologies that provide better life and work quality. Contemporary society is being featured by the speed through which changes are occurring in environment, caused by globalization and easy access to information, what has constantly generated new knowledge. The organizations in this new society must be prepared for these constant shifts, so that they can keep being competitive and perpetuate in the marketplace. In this regard, knowledge management intends to introduce and discuss the theories and tools considered relevant to the creation, dissemination and usage of several pieces of knowledge generated by people in the organizations. This paper is justified by the contemporary theme and still being developed and by its importance in the globalized and competitive scenario. The method used had a bibliographic character  and the perspectives generated by the discussion are all related to the existing tools for the creation and dissemination of organizational knowledge like the corporate university or the mere adoption of expository meetings for generating ideas aimed at the organization’s setting. Beside these, organizations may use complex information systems, social nets related to the practices and continuing corporate education. Organizations have realized that Corporate Knowledge Management cannot be seen as a management fad since corporate knowledge must be treated as a valuable asset for perpetuating organizations.

Key words: Management, Knowledge, Competition, Organizations.

 

1 Doutora em Administração pela UFRGS (2009). Professora da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis da Universidade de Passo Fundo (UPF). christine1004sch@gmail.com
2 Mestre em Administração – PPGA/UFSM. Docente da FEAC/UPF. monicadapieve@msn.com
3 Graduado em Administração pela FABE. Supervisor de Faturamento da Associação Unisaúde de Marau/RS. juci.oliveira@uol.com.br

 

Literatura Citada

ANGELONI, Maria Terezinha, Organizações do conhecimento: infra-estrutura, pessoas e tecnologias. São Paulo, Saraiva, 2003.

BATISTA, E. Sistemas de Informação. São Paulo, Saraiva, 2004.

BOTELHO, C. Regina; COSTA, Roberto; Dimensões da Gestão do Conhecimento na Câmara dos Deputados. Revista GC Brasil, nº 04, 2007.

CANONGIA, C.; SANTOS, D. M.; SANTOS, M. M.; ZACKIEWICZ, M. Foresight, inteligência competitiva e gestão do conhecimento: instrumentos para a gestão da inovação. Gestão & Produção, v. 11, n. 2, p. 231-238, 2004.

CASSAPO, Felipe. Construção coletiva do Saber: Alavancando o valor por meio de redes dinâmicas do conhecimento. Revista GC Brasil, nº 04, 2007.

CHIAVENATO, Idalberto. Comportamento Organizacional: a dinâmica do sucesso das organizações. 2º ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2005.

CRUZ, Tadeu. Sistemas, Organizações & métodos: estudo das novas tecnologias de informação - 3. ed. São Paulo, Atlas, 2002.

DIEHL, Astor Antônio. Pesquisa em ciências sociais aplicadas: métodos e técnicas. São Paulo: Ed. Prentice Hall, 2004.

FLEURY, Afonso; LEME, Maria Teresa. Aprendizagem e inovação organizacional: as experiências de Japão, coréia e Brasil. 2 ed. São Paulo, Atlas, 1997.

FRITSCH,Gabriel;ROSSONI, Laura Justo;VANTI, Adolfo Alberto. Análise de uma ferramenta para a Gestão do Conhecimento através de um sistema complexo de informação. Rio de Janeiro, Revista Angrad, Volume 8, número 4, 2007.

GIBSON, James L, Organizações: comportamento, estrutura e processos. São Paulo, McGraw-Hill, 2006.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar Projetos. 4. ed. São Paulo. Atlas, 2002.

JONES, G. Administração Contemporânea. São Paulo, Mcgraw-Hill, 2008.

LAKATOS E MARCONI, Eva Maria, Marina de Andrade, Fundamentos da metodologia Científica. 4° ed. rev. e ampl. São Paulo, Altas, 2001.

MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Introdução à administração. 6. ed. São Paulo, Atlas, 2004.

NAKAGAWA, Masayuki. ABC - Custeio Baseado em atividades. São Paulo, Atlas, 1994.

NETO, Rivadávia. Gestão do Conhecimento em organizações: Proposta de mapeamento conceitual integrativo. Revista GC Brasil, nº 04, 2007.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Gestão do conhecimento. São Paulo: Ed. Bookman, 2004.

PROBST, Gilbert; RAUB, Steffen; ROMHARDT, Kai. Gestão do Conhecimento: Os elementos construtivos do sucesso. Porto Alegre. Bookman, 2002

QUEL, Luiz Felipe. Gestão de Conhecimentos. São Paulo: Ed. Saraiva, 2006.

RAMOS, C.Valle; JÚNIOR, R.I.Castagno. O processo de implantação da Gestão do Conhecimento: barreiras e facilidades. Revista GC Brasil, nº 04, 2007.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia Científica: Guia para Eficiência nos Estudos. São Paulo: Atlas, 2002.