Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Desporto e Bem-Estar Psicológico numa Sociedade Pós Moderna

DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v3n2p559-570

https://seer.imed.edu.br/index.php/revistapsico/index 

downloadpdf

Maria L. P. Soares1, António M. Almeida2, Isabel F. Oliveira2 & Liliana F. Roque2

  

Resumo: Pretende-se partilhar os resultados do estudo feito na área da avaliação da sintomatologia psicológica que podem contribuir para reflectir sobre a inclusão do desporto numa configuração de ajuda na vida de um ser humano em sofrimento psicológico. Está provado que o Desporto faz bem à saúde física, mas há um longo caminho a percorrer para provar que o desporto faz bem à saúde mental. Será que os sujeitos que praticam desporto têm menos indicadores de sintomatologia psicológica do que os sujeitos que não praticam desporto? O estudo encontrou pouca sintomatologia psicológica no grupo de estudantes de EFD (Educação Física e Desporto). Avaliou-se os índices de solidão e também não apresentam níveis clinicamente significativos. Os resultados mostram que quem está ligado ao desporto, de certa forma parece ter poucos indícios de mal-estar psicológico e poucos níveis de solidão.

Palavras-chave: Desporto; sintomatologia psicológica; saúde mental.

 

Abstract: We share the results of a study done in the area of assessment of psychological symptoms which will hopefully help to reflect about the inclusion of sport in a setting aid in the life of a human being with psychological distress. It is proved that sport is good for physical health, but there is a long way to go to prove that sport is good for your mental health. Do the guys who play sports have less indicators of psychological symptoms than subjects who do not practice sport? The study found little psychological symptoms in the group of students from PES (Physical Education and Sport). We evaluated the levels of loneliness in this group of students and did not show clinically significant levels. The results show that those who are connected to sports, somehow seems to have little evidence of psychological discomfort and few levels of loneliness.

Key words: Sport; psychological symptoms, mental health.

 

1 Professora Auxiliar da Universidade da Madeira, Directora de Curso de Psicologia 1º Ciclo, Coordenadora do Serviço de Consulta Psicológica da Universidade da Madeira, Portugal.
2 Universidade da Madeira, Portugal.

 

Literatura Citada

Bandura, A. (1977). Social Learning Theory. New York: General Learning Press.

Baptista, A. (1993). A génese da perturbação de pânico. Tese de Doutoramento (Documento não Publicado). Instituto de Ciências Biomédicas Abel SalazarUniversidade do Porto.

Costermans, J. (2001). As actividades cognitivas. Coimbra: Quarteto Editora

Derogatis, L. R. (1977). SCL-90-R: Administration, Scoring & Procedures: Manual. Baltimore, MD: Clinical Psychometric Research.

Derogatis, L. R. (1983). SCL-90-R: Administration, Scoring & Procedures: Manual. Towson, MD: Clinical Psychometric Research.

Felghum R. (1988). Tudo o que eu devia saber na vida aprendi no jardim-de-infância. Lisboa: Difusão Cultural.

Gonçalves, O. F. (1990). Terapia comportamental. Porto: Edições JORNAL DE PSICOLOGIA.

Gonçalves, O. F. (1997). Hermenêutica, construtivismo e terapias comportamentalcognitivas: Do objecto ao projecto. In R. Neimeyer e M. Mahoney (Eds.). Construtivismo em psicoterapia. Porto Alegre: Artes Médicas.

Gonçalves, Ó. F., Henriques, M., Alves, A., Soares, L., Monteiro, A., Rocha, C., Cardoso, G. (2003). Análise da estrutura, processo e conteúdo narrativo na psicopatologia: comparação entre agorafobia e toxicodependência In Livro de resumos do V Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia, pp.39-39.

Gonçalves, O. F. (Março de 2007). O regresso à ciência básica. Editorial do Boletim

Informativo de Psicologia, Nº 3 (2), Retrieved 15th April, 2007 from World Wide Web http://www.dicas.sas.uminho.pt/uploads/BIPsi%20-%20Fevereiro%20de%202007.pdf

Henriques, M. R., Gonçalves, O., Machado, B., Maia, A., Teixeira, Z., Ribeiro Alves, A., Soares, I. C., Santos, M. J., Ramos M. J. & Soares, L. (2003). Narratives and Psychopathology: validation of prototypes. V National Symposium of Research in Psychology, October, organized by the APP - Associação Portuguesa de Psicologia - Lisbon - Calouste Gulbenkian Foundation, in Livro de resumos do V Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia, pp.37-38.

Huppert, F. A., Baylis, N., & Keverne, B. (2006). The science of well-being. Oxford: Oxford University Press (2nd Edition).

Marujo, H. & Neto, L. M., Caetano, A., & Rivero, C. (2007). Revolução Positiva: Psicologia Positiva e Práticas Apreciativas em contextos organizacionais. Comportamento Organizacional e Gestão, 13 (1), 115-136.

Mellor, D., Stokes, M., Firth, L., Hayashi, Y. & Cummins R. (2008). Need for belonging, relationship satisfaction, loneliness, and life satisfaction. Personality and Individual Differences, 45(3), August, 213-218.

Morahan-Martin, J. & Schumacher, P. (2003). Loneliness and social uses of the Internet. Computers in Human Behaviour, 19, 659-671. doi

Russel, D. W. (1996). UCLA Loneliness Scale (Version3): Reliability, Validity and Factor Structure. Journal of Personality Assessment, 66(1), 20-40. doi

Schultz, D.P. & Schultz, S.E. (1981). História da Psicologia moderna. São Paulo: Cultriz.

Soares, L. Alves, A., Grego, T., Henriques, M., Gonçalves, O. F. (2003). Análise do processo narrativo em pacientes com agorafobia: três sistemas de avaliação dos modos narrativos In Livro de resumos do V Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia, pp.38-38.

Vieira, L. F., Vissoci, J. R. N., Oliveira, L. P., Vieira, J. L. L. (2010). Psicologia do esporte: uma área emergente da psicologia. Psicologia em estudo, 15(2), [retrieved 2012-05-31], pp. 391-399. doi

Wu, C.H. & Yao, G. (2008). Psychometric analysis of the short-form UCLA Loneliness Scale (ULS-8) in Taiwanese undergraduate students. Personality and Individual Differences, 44(8), June 1762-1771. doi