Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Desenvolvimento da Psicologia da Saúde a Partir da Construção da Saúde Pública no Brasil

DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v6n1p4-9

https://seer.imed.edu.br/index.php/revistapsico/index 

downloadpdf

Gênesis M. R. Sobrosa1, Jana G. Zappe2, Naiana D. Patias3, Pascale C. Fiorin4  & Ana C. G. Dias5

  

Resumo: Este trabalho apresenta uma breve discussão sobre a saúde pública no Brasil e a inserção da Psicologia da Saúde no Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de publicações sobre estes temas. Inicialmente, aborda-se brevemente a história da saúde pública, objetivando compreender como a Psicologia da Saúde se desenvolveu e se inseriu neste contexto, o que possibilitou a atuação do psicólogo com as práticas de saúde-doença no campo da saúde pública. Em um segundo momento, será apresentado o campo da Psicologia da Saúde, refletindo sobre seus limites e perspectivas para o futuro. Conclui-se que o psicólogo, ao inserir-se no campo da saúde pública, precisa rever suas teorias e práticas, pois as mesmas ainda se encontram focalizadas na doença e desconsideram aspectos históricos e contextuais relacionados com os processos de saúde-doença.

Palavras-chave: Saúde Pública; Psicologia da Saúde; Sistema Único de Saúde.

 

Abstract: This paper presents a brief discussion about the Brazilian Public Health and the introduction of Health Psychology in the Unified Health System considering publications about these topics. At first, the History of Public Health is briefly presented, in order to understand the development of Health Psychology and how psychologists started working with health-disease contexts in this field. Then, Health Psychology area is presented and its limits and perspectives are considered. It has been concluded that psychologists, especially those who work with Public Health, need to review their practices, because they are still focused on disease and do not take into consideration the history and context of health-disease processes.

Key words: Public Health Care; Health Psychology; Brazilian Health System.

 

1 Psicóloga. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS, bolsista CAPES/PROSUP. E-mail: genesispsi@yahoo.com.br
2 Psicóloga. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, bolsista CNPq. Telefone:(51) 3316-5253 E-mail: janazappe@hotmail.com
3 Psicóloga. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. E-mail: naipatias@hotmail.com
4 Psicóloga. Mestra em Psicologia da Saúde pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM, professora do departamento do curso de Psicologia da Faculdade Integrada de Santa Maria – FISMA. E-mail: paca_psi@yahoo.com.br
5 Psicóloga. Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento pela Universidade de São Paulo – USP, professora adjunta do departamento do curso de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde da UFSM. E-mail: anacristinagarciadias@gmail.com

 

Literatura Citada

Almeida, R. A., & Malagris, L. E. N. (2011). A prática da psicologia da saúde. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, 14(2), 183-202.

Alves, R. F., Ernesto, M. V., Silva, R. P., Souza, F. M., Lima, A. G. B., & Eulálio, M. C. (2011). Psicologia da Saúde: abrangência e diversidade teórica. Mudanças-Psicologia da Saúde, 19(1-2), 1-10.

Andrade, L., Pontes, R. J. S., Martins, J. T.(2000). A descentralização no marco da Reforma Sanitária no Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública, 8(1-2), 85-91.

Bertolozzi, M. R., & Greco, R. M. (1996). As políticas de saúde no Brasil: reconstrução histórica e perspectivas atuais. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 30(3), 380-398.

Calvetti, P. U., Figuera, J., & Muller, M. C. (2008). A bioética nas intervenções em psicologia da saúde. Revista de Psicologia da Vetor Editora, 9(1), 115-120.

Calvetti, P. U., Giovelli, G. M., & Gauer, G. C. (2012). Contribuições da Psicologia da Saúde para a adesão ao tratamento e qualidade de vida de pessoas que vivem com HIV/AIDS. Mudanças-Psicologia da Saúde, 20(1-2), 75-80.

Campos, G. W. S. (2007). Há pedras no caminho do SUS! Ciência e Saúde Coletiva, 12(2): 298-298.

Campos, G. W. S., & Domitti, A. C. (2007). Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cadernos de Saúde Pública, 23(2), 399-407.

Carvalho, D. B., & Yamamoto, O. H. (1999). Psicologia e saúde: Uma análise da estruturação de um novo campo teórico-prático. Psico, 30(1), 5–28.

Cerqueira-Silva, S., Dessen, M. A., & Costa Júnior, A. L.(2011). As contribuições da ciência do desenvolvimento para a psicologia da saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 16(1), 1599-1609.

Chiattone, H. B., & Sebastini, W. R. (2002). Ética e Bioética em Psicologia da Saúde. Revista Universitas Psychologica, 1(2), 14-23.

Dias, A. C. G., & Müller, A. C. (2008). O Psicólogo na Rede Pública de Saúde: Um Estudo Sobre a Formação e a Atuação Profissional. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 1(1), 54-66.

Dimenstein, M. D. B. (1998). Psicólogo nas Unidades Básicas de saúde: desafios para a formação e atuação profissionais. Estudos de Psicologia, 3(1),53-81.

Furtado, O., Bock, A. M. & Teixeira, M. L. ( 2002). Psicologias: Uma introdução ao estudo da psicologia. São Paulo – SP: Saraiva.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo-SP: Atlas.

Gorayeb, R. (2010). Psicologia da Saúde no Brasil. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26, 115-122.

Jesus, S. N., & Rezende, M. M. (2006). Atualidades em Psicologia da Saúde: colaborações Brasil e Portugal. Mudanças - Psicologia da Saúde, 14(2), 121-125.

Lima, M. (2005). Atuação psicológica coletiva: uma trajetória profissional em unidade básica de saúde. Psicologia em estudo, 10(3), 431- 440.

Matarazzo, J. D. (1982). Behavioral health's challenge to academic, scientific, and professional psychology. American Psychologist, 37, 1-14.

Matos, M. G. (2004). Psicologia da saúde, saúde pública e saúde internacional. Análise Psicológica, 3(XXII), 449-462.

Minozzo, F., & Costa, I.I. da. (2013). Apoio matricial em saúde mental entre CAPS e saúde da família: Trilhando caminhos possíveis. Psico-USF, 18(1), 151-160.

Nunes, E. D. (2000). Sobre a história da saúde pública: idéias e autores. Ciência & Saúde Coletiva, 5(2), 251-264.

Oliveira, I. F., Dantas, C. M. B., Costa, A. L. F., Silva, F. L., Alverga, A. R., Carvalho, D. B., & Yamamoto, O. H. (2004). O psicólogo nas unidades básicas de saúde: formação acadêmica e prática profissional. Interações, IX(17), 71-89.

Sebastiani, R. W., & Chaves, E. M. (2003). Psicología de la salud en Brasil - 50 años de historia. Revista Suma Psicologica, 10(1), 25-42.

Spink, M. J. P.(2003). Psicologia Social e Saúde: práticas, saberes e sentidos. Petrópolis - RJ: Vozes.

Teixeira J. A. C. (2004). Psicologia da Saúde. Análise Psicológica, 3(XXII), 441-448.

Traverso-Yépez, M. (2001). A interface Psicologia Social e saúde: perspectivas e desafios. Psicologia em Estudo, 6(2), 49-56.

Vasconcelos, C. M., & Pasche, D. F. (2009). O sistema único de saúde. In: G.W.S. Campos, M.C.S. Minayo., M. Akerman., M.D. Júnior & Y.M. Carvalho (Orgs.), Tratado de saúde coletiva (pp.531-562). São Paulo-Rio de Janeiro: Hucitec e Fiocruz.

Witter, P. (2008). Psicologia da saúde e produção científica. Estudos de Psicologia, 25(4), 577-584.