Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Avaliação da Influência do Estresse na Prevalência de Disfunções Temporomandibulares em Militares Estaduais do Rio Grande do Sul

DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2238-510X/j.oralinvestigations.v2n1p32-37

https://seer.imed.edu.br/index.php/JOI/index 

downloadpdf

Jonatas Graciola1 & Alexandra M. Silveira2

  

Resumo: Objetivos: Este trabalho teve como objetivo verificar a influência de uma atividade profissional vista como bastante estressante, como é o caso de policiais militares, e a correlação desta com a prevalência da disfunção temporomandibular. Métodos: Noventa membros da Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul, responderam a dois questionários, um para detecção de DTM, e outro para estresse. Resultados: Neste trabalho, pacientes com níveis de estresse alto apresentaram os maiores índices de ocorrência de DTM leve e moderada, além de ser o único grupo a apresentar DTM severa. Conclusão: No estudo da correlação, obteve-se uma correlação média.

Palavras-chave: Transtornos da Articulação Temporomandibular, Estresse, Epidemiologia.

 

Abstract: Objectives: This work completion course aimed to investigate the influence of an occupation seen as very stressful, such as military police, and the correlation with the prevalence of temporomandibular disorders. Methods: Ninety members of the Military Police of the State of Rio Grande do Sul, answered two questionnaires, one for detecting TMD. Results: In this study, patients with high stress levels have higher rates of occurrence of mild and moderate TMD, as well as being the only group to have severe TMD. In correlation analysis, we obtained an average correlation. Conclusion:  In the study of the correlation, we obtained an average correlation.

Key words: Temporomandibular Joint Disorders, Stress, Epidemiology.

 

1 Acadêmico da Escola de Odontologia da Faculdade Meridional (IMED), Passo Fundo, RS, Brasil.
2 Professora Mestre da Escola de Odontologia da Faculdade Meridional (IMED), Passo Fundo, RS, Brasil.

 

Literatura Citada

Fonsêca D M Paiva, H J, Bonfante, G. Temporomandibular joint clicking – clinical study. J Dent Res. 1991; 70 (4): 631-43.

Portnoi A G. Stress e disfunção dolorosa da articulação temporomandibular. 1993. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Institudo de Psicologia, Universidade de São Paulo, 1993. 171.

Steenks MH, Wijer A. Disfunções da articulação temporomandibular do ponto de vista da fisioterapia e da odontologia. São Paulo: Ed Santos, 1996.

Pasinato F, Corrêa ECR, Alves J. Avaliação do estado e traço de ansiedade em indivíduos com Disfunção Temporomandibular e assintomáticos. Saúde. 2009; 35 (7): 10-3.

Conti PC, Ferreira PM, Pegoraro LF, Conti JV, Salvador MCG. A cross-sectional study of prevalence and etiology of signs and symptoms of temporomandibular disorders in high school and university students. J Orofac Pain. 1996; 10 (3): 254-61.

Costa M, Accioly HJ, Oliveira J, Maia. E. Estresse: diagnóstico dos policiais militares em uma cidade brasileira. Rev Panam Salud Publica/Pan Am J Public Health. 2007; 21 (4): 217-34. https://doi.org/10.1590/S1020-49892007000300004

Silveira AM, Feltrin PP, Zanetti RV, Mautoni MC. Prevalência de portadores de DTM em pacientes avaliados no setor de otorrinolaringologia. Rev Bras Otorrinolaringol. 2007; 73 (4): 528-41. https://doi.org/10.1590/S0034-72992007000400012

Pereira KNF, Andrade LLS, Costa MLG, Portal TF. Sinais e sintomas de pacientes com disfunção temporomandibular. Rev Cefac. 2005; 7 (2): 221-9.

Salonen L, Hellden L, Carlsson GE. Prevalence of signs and symptoms of dysfunction in the masticatory system: an epidemiologic study in an adult Swedish population. J Craniomandib Disord. 1990; 4 (4): 24-32. J. Graciola, A. M. Silveira

Silveira AM. Prevalência de portadores de DTM em pacientes avaliados no setor de otorrinolaringologia. Dissertação (Mestrado em Odontologia) - Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic, Campinas, 2006.

Magnusson T, Egermark I, Carlsson GE. A longitudinal epidemiologic study of signs and symptoms of temporomandibular disorders from 15 to 35 years of age. J Orofac Pain. 2000; 14 (4): 310-23.

Schiffman EL, Fricton JR, Haley DP, Shapiro BL. The prevalence and treatment needs of subjects with temporomandibular patients. J Am Dent Assoc 1989 ; 295.

Tomacheski DF, Barboza1 VL, Fernandes MR, Fernandes F. Disfunção têmporo-mandibular: estudo introdutório visando estruturação de prontuário odontológico. Publ UEPG Ci Biol Saúde. 2004; 10 (2): 17-25.

Okeson JP. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusal. 6 ed. São Paulo: Elsevier, 2008. 228.

Correia FAS. Prevalência da sintomatologia nas disfunções da articulação temporomandibular e suas relações com idade, sexo e perdas dentais. 1983. Dissertação (Mestrado), Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo. 1983. 99.

Garcia AR. Contribuição para o diagnóstico, prognóstico e plano de tratamento de pacientes com disfunção e/ou desordens temporomandibulares: avaliação clínica, radiográfica e laboratorial (Tese de livre-docência): Faculdade de Odontologia de Araçatuba da Universidade Estadual Paulista, 1997.

Martins RJ, Garcia AR, Garbin CAS, Sundefeld MLMM. Associação entre classe econômica e estresse na ocorrência da disfunção temporomandibular. Rev Bras Epidemiol. 2007; 10 (2): 215-23. https://doi.org/10.1590/S1415-790X2007000200009

Molina OF, Simião BRH, Rank RLC, Aquilino, RN, Tiago CM, Tatim J. Dores dentárias de origem muscular em indivíduos com distúrbios crâniomandibulares e controles: estudo comparativo. Rev. DOR. 2011; 12 (2): 85-92. https://doi.org/10.1590/S1806-00132011000200002

Sánchez-Pérez L, Irigoyen-Camacho ME, Molina-Frechero N, Mendoza-Roaf P, Medina-Solís C, Acosta-Gío E, Maupomé G. Malocclusion and TMJ disorders in teenagers from private and public schools in Mexico City. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2013; 18 (2): 312-24. https://doi.org/10.4317/medoral.18075

Depue RA, Monroe SM, Shackmann SL. The psychobiology of human disease: implications for conceptualizing the depressive disorders. In: 1979. The Psychobiology of the Depressive Disorders, Academic Press. 1979. 3.

Cruz MCFN, Braga VAS, Garcia JGF, Lopes FF, Maia ECS. Condições bucais relacionadas com o estresse: uma revisão dos achados atuais. Rev. Fac. Odontol. 2008; 49 (1): 8-26.

Sainz B, Sainz B, Loutsch JM, Marquart ME, Hill JM. Stress-associated Immunomodulation and Herpes Simplex Vírus Infecctions. Med. Hypotheses, Edinburgh. 2001; 56 (3): 348-56. https://doi.org/10.1054/mehy.2000.1219

Esguep A, Milena S, Gonzalo R. Alteraciones Psicologicas en la Etiopatogenesis de Patologia de la Mucosa Bucal. Rev. Fac. Odont. Univ. Chile. 1997; 15 (2): 15-27.

Soares TV, Pimentel MJ, Aquino LMM, Barbosa CMR. Correlação entre severidade da desordem temporomandibular e fatores psicossociais em pacientes com dor crônica. Odontol. Clín.Cient., Recife. 2012; 11 (3): 197-202.

Mckinney MW, Londeen TF, Turner SP, Levitt SR. Chronic TM disorder and non-TM disorder pain: a comparison of behavioral and psychological characteristics. The Journal of Craniomandibular Practice. 1990; 8 (1): 40-51. https://doi.org/10.1080/08869634.1990.11678298

Maslach C. Entendendo o burnout. Em: Rossi AM, Perrewé PL, Sauter SL, orgs. Stress e qualidade de vida no trabalho: perspectivas atuais da saúde ocupacional. Atlas; 2005. 41.