Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Índice de Fraturas Faciais no Hospital São Vicente de Paulo em Passo Fundo RS: Estudo Retrospectivo de Dez Anos

DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2238-510X/j.oralinvestigations.v2n2p14-19

https://seer.imed.edu.br/index.php/JOI/index 

downloadpdf

Michele S. Godoi1, Alexandre Basualdo2 & Karen C. Oliveira3

  

Resumo: É incontestável a importância de um serviço de cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial nos hospitais de referência, uma vez que as fraturas faciais são problemas de saúde pública, pois suas sequelas podem resultar em sérias inabilidades morfofuncionais. O presente trabalho teve como objetivo, analisar os prontuários de pacientes atendidos, nos últimos dez anos, na emergência do Hospital São Vicente de Paulo, na cidade de Passo Fundo-RS e, consequentemente, chegar ao índice de fraturas faciais. Foram analisados 1.765 prontuários no Centro de Arquivos do hospital. Após análise, os prontuários foram divididos em gênero (homens e mulheres), faixa etária, causa da fratura e localização na face. Os prontuários utilizados foram de pacientes que sofreram acidentes automobilísticos, de moto, agressão física, acidentes de trabalho, acidentes domésticos, atropelamento, ferimentos por arma de fogo, acidente em esportes, quedas e também daqueles que sofreram alguma fratura facial patológica ou tinham algum tipo de deformidade de crescimento, os quais foram encaminhados ao hospital. Houve uma predominância de fraturas faciais no gênero masculino e, a faixa etária mais acometida, tanto em homens, quanto em mulheres, foi de 21 à 30 anos. A etiologia mais frequente dos traumatismos bucomaxilofaciais, registrados nos prontuários por gênero, nas mulheres foram os acidentes automobilísticos, enquanto nos homens foi a agressão física, acometendo mais em ambos os gêneros a mandíbula

Palavras-chave: Prontuário, Trauma, Face.

 

Abstract: Undoubtedly the importance of a service of surgery and maxillofacial trauma in referral hospitals, since facial fractures are public health problems because their sequelae can result in serious disabilities morphofunctional. This study aimed to examine the records of patients seen in the last ten years, the emergence of the St. Vincent de Paul Hospital in the city of Passo Fundo, and consequently reach the level of facial fractures. We analyzed 1,765 records in the Archives of the hospital center. After analyzing the charts were divided into gender (men and women), age, cause and location of the fracture on the face. The medical records were used for patients who have suffered car accidents, motorcycle, assault, accidents, domestic accidents, trampling, injury by firearms, accident in sports, falls and also those who have suffered some facial fracture pathological or had some deformity of growth and were taken to hospital. Also been studied through the literature review, the types of fractures, their treatments and medical procedures which the first conducted after the patient’s arrival. This study resulted in the prevalence of fractures in men, and the most affected bone was jaw.

Key words: Records, Trauma, Face.

 

1 Graduando de Odontologia da Faculdade Meridional IMED E-mail: <mixe.godoi@gmail.com>;.
2 Professor Mestre da Escola de Odontologia da Faculdade IMED
3 Professora Mestre da Escola de Odontologia da Faculdade IMED

 

Literatura Citada

Carvalho TBO, Cancian LRL, Marques CG, Piatto VB, Maniglia JV, Molina FD. Six years of facial trauma care: an epidemiological analysis of 355 cases. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. 2010 set/out.; 76(5): 565-74. https://doi.org/10.1590/S1808-86942010000500006

Hupp, JR, Ellis ER, Tucker MR. Tratamento das Fraturas Faciais. In:_____. Cirurgia Oral e Maxilofacial Contemporânea. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. p. 487-511.

Brasileiro B F, Vieira JM, Silveira, CES. Avaliação de traumatismos faciais por acidentes motociclísticos em Aracaju/SE. Revista Cirurgia Traumatologia Buco-Maxilo-Facial. 2010 abr/ jun; 10(2):97-104.

Silva HR, Melchioretto EF, Batista OS, Colombo MCSS. Perfil Epidemiológico do Trauma Dentário e Facial em Curitiba. Archives of Oral Research. 2011; 7(3): 267-73.

Shinya K, Taira T, Sawada M, Isshiki N. Facial injuries from falling: age-dependent characteristics. Ann PlastSurg. 1993; 30(5):417-23. https://doi.org/10.1097/00000637-199305000-00005

Motta, MM. Análise epidemiológica das fraturas faciais em um hospital secundário. Revista Brasileira de Cirurgia Plástica. 2009; 24(2): 162-9.

Falcão, MFL, Leite, AV, Silveira, MMF. Estudo Epidemiológico de 1758 Fraturas Faciais tratadas no Hospital da Restauração, Recife/PE. Revista de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial. 2005 julho/setembro; 5(3): 65-72. M. S. Godoi, A. Basualdo, K. C. Oliveira

Mantovani, JC, Campos, LMP, Gomes, MA, Moraes, VRS, Ferreira, FD, Nogueira, EA. Etiologia e incidência das fraturas faciais em adultos e crianças: experiência em 513 casos. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. 2006 março/ abril; 72(2): 235-41.

Tussi, R, Stefenon, M, Júnior, RT, Ávila, GV. Fraturas de Face. Revista Médica HSVP. 2000 janeiro/ junho; 11(26): 16-8.

Fonseca, ASF, Goldenberg, D, Alonso, N, Bastos, E, Stocchero, G, Ferreira, MC. Seating Position, Seat Belt Wearing, an the Consequences in Facial Fractures in Car Occupants. Clinical Sciences. 2007; 62(3): 289-94. https://doi.org/10.1590/s1807-59322007000300013

Martini, MZ, Takahashi, A, Oliveira Neto, HG, Carvalho Júnior, JP, Curcio, R, Shinohara, EH. Epidemiology of Mandibular Fractures Treated in a Brazilian Level I Trauma Public Hospital in the City of São Paulo, Brazil. Brazilian Dental Journal. 2006; 17(3): 243-8. https://doi.org/10.1590/S0103-64402006000300013

Gondola, AO, Pereira, Júnior, ED, Pereira, AM, Antunes, AZ. Epidemiologia das fraturas zigomáticas: uma análise de 10 anos. Revista Odonto Ciência. 2006 abr/jun; 21(52): 158-61.