Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Obras que Falam de si, Viagens na Minha Terra e O Ano da Morte de Ricardo Reis

DOI: http://dx.doi.org/10.18304/1984-6614/scripta.alumni.n12p64-81

http://www.uniandrade.br/revista-scripta-alumni.php 

downloadpdf

Bárbara M. Celestino1

  

Resumo: Com o século XVIII quase se despedindo e outro se iniciando, surgem obras que trazem à tona uma discussão que se tornou valiosa para a literatura e, principalmente, para a teoria literária: a autoteorização do romance. Esse conceito tem como finalidade mergulhar na obra literária e enxergar nela sua auto-explicação, ou pelo menos de uma possibilidade de autorreflexão, como defende Culler (1999), quando afirma que a literatura pode ser encarada também como “construção intertextual ou auto-reflexiva”. Diante dessas afirmações, este trabalho tem como objetivo analisar o desenvolvimento da autorreflexão nas obras: Viagens na minha terra (1846), de Almeida Garrett, e O ano da morte de Ricardo Reis (1984), de José Saramago.

Palavras-chave: Autorreflexão. Literatura portuguesa. Almeida Garrett. José Saramago.

 

Abstract: In the end of the century XVIII and the next beginning, arise works that bring a discussion quite valuable for literature and, mainly, for literary theory: the self theorization of novel, or how we approach in this work, romantic irony. This notion has the goal of diving in to the literary work and observe it theories which might explain themselves or at least a possibility of self-reflection, as argued Culler (1999), when he states that literature can also be seen as "intertextual construction or self-reflective". Based in these statements, this work has the goal of analyzing the development of the romantic irony in Travels in my Homeland (1846), by Almeida Garret, and The Year of the Death of Ricardo Reis (1984), by José Saramago.

Key words: Literary theory. Portuguese Literature. Almeida Garrett. José Saramago.

 

1 Mestranda do Curso de Letras da UEPG. E-mail: babimarcal@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

CULLER, J. Teoria literária: Uma introdução. Tradução de Sandra Vasconcelos. São Paulo: Beca, 1999.

PESSOA, F. Carta a Adolfo Casais Monteiro. Disponível em: <http://arquivopessoa.net/textos/3007>. Acesso em: 06 set. 2014.

GARRETT, A. Viagens na minha terra. São Paulo: Martin Claret, 2008.

GARRETT, A. Viagens na minha terra. Introdução de Maria Ema Tarracha Ferreira. s/l.: Ulisseia, 1997.

HARMUCH, R. A. Limites e não limites: A ironia romântica em A costa do murmúrio, de Lídia Jorge. In: _____; NERY, A. A. Lusografias: (Re)leituras da literatura portuguesa. Ponta Grossa: Toda Palavra, 2012, p. 85-108.

LIMA, L. C. A questão do controle. In: _____. O controle do imaginário & a afirmação do romance: Dom Quixote, As relações perigosas, Mou Flanders, Tristram Shandy. São Paulo: Companhia das Letras, 2009, p. 178-209.

SARAMAGO, J. O ano da morte de Ricardo Reis. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

VOLOBUEF, K. A prosa de ficção do romantismo na Alemanha e no Brasil. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1999.

WATT, I. A ascensão do romance: Estudos sobre Defoe, Richardson e Fielding. Tradução de Hildegard Fiest. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.