Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Poesia Dramática: O Experimentalismo de Sarah Kane em 4:48 Psicose

DOI: http://dx.doi.org/10.18305/1679-5520/scripta.uniandrade.n5p235-251

http://www.uniandrade.br/revista-scripta-uniandrade.php 

downloadpdf

Paraguassu de F. Rocha1

  

Resumo: O objetivo deste artigo é analisar, à luz das discussões teóricas de Lehmann, Sarrazac, Pavis e Pinter, o experimentalismo na peça 4:48 Psicose, de Sarah Kane, na qual a autora retrata a fragmentação do sujeito contemporâneo, revelada através do discurso polifônico da personagem. Nesta peça, Sarah Kane emprega as técnicas do fluxo de consciência para traduzir os mecanismos da memória em poesia dramática e, através de uma narrativa não linear, ela busca a renovação da linguagem teatral, descartando o uso de rubricas, especificação das personagens e do cenário, possibilitando uma multiplicidade de concretizações cênicas.

Palavras-chave: Sarah Kane. Experimentalismo. Poesia dramática.

 

Abstract: The aim of this article is to explore the theoretical discussions of  Lehmann, Sarrazac, Pavis and Pinter to analyze Sarah Kane´s experimentalism in her play 4:48 Psychosis, in which she shows the individual´s fragmentation revealed through the character´s polyphonic speech. In this play, Sarah Kane uses the stream-of-consciousness technique to translate the mechanisms of memory into dramatic poetry, and through a non-linear narrative, she tries to revitalize theater language, eliminating stage-directions and specifications concerning characters and scenery, in this way, extending the limits of possible stage productions.

Key words: Sarah Kane. Experimentalism. Dramatic poetry.

 

1 fatimarocha@hotmail.com Professora do Curso de Letras da Uniandrade.

 

Literatura Citada

AGOSTINHO, Santo. Confissões. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Col. Os pensadores).

ARTAUD, Antonin. O teatro e seu duplo. Trad. Teixeira Coelho. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

BALLONE, G. J. Psicoses e Esquizofrenias. In: PsiqWeb. Disponível em: http://www.psiqweb.med.br/psicoses. Acesso em: 15/01/2007.

BECKETT, Samuel. Proust. Trad. Arthur Nestrovski. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FREUD, Sigmund. A perda da realidade na neurose e na psicose. In: ESB. Rio de Janeiro: Imago, 1997, v. XIX.

JAMISON, Kay Redfield. Quando a noite cai: entendendo o suicídio. Trad. de Gilson B. Soares. Rio de Janeiro: Gryphus, 2002.

KANE, Sarah. Complete Plays. London: Methuen, 2001.

KANE, Sarah. 4:48 Psicose. Trad. Marcos Damaceno. (Cópia xerox).

KARZMARK, Peter. Validity of the serial seven procedure. In: Wilei InterScience. Disponivel em: http://www3.interscience.wiley.com/cgi-bin/abstract. Acesso em: 10 / 02/07.

LEHMANN, Hans-Thies. Postdramatic Theatre. Trans. Karen Jürs-Munby. London and New York: Routledge, 2006.

MENEZES, Tereza. Ibsen e o novo sujeito da modernidade. Trad. Tereza Menezes. São Paulo: Perspectiva, 2006.

MOISÉS, Massaud. Dicionário de Termos Literários. São Paulo: Cultrix, 2004.

NEAR-Death-Experience. In: Wikipedia. Disponível em: http://en.wikipedia.org/wiki/Near-death_experience. Acesso em 10/02.07.

NETO, Alcino Leite. O teatro ilimitado. In: Trópico. Disponível em: http://www.p.php.uol.com.br/tropico. Acesso em: 05/01/07.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. Trad. sob a direção de J. Guinsburg & Maria Lucia Pereira. São Paulo: Perspectiva, 1999.

PINTER, Harold. Writing for the theatre. In: GOETSCH, P. English Dramatic Theories: 20th Century. Tübingen: Max Niemeyer Verlag, 1972, p. 118-124.

SANTOS, Valmir. Ex-atores do CPT contracenam em 4:48 Psicose. In: Folha Online. 26/ 07/2003. Disponível em: http://www.1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada. Acesso em: 05/01/07.

SARRAZAC, Jean-Pierre. O Futuro do Drama: escritas dramáticas contemporâneas. Trad. Alexandra Moreira da Silva. Porto: Campo da Letras, 1999.