Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Poética da Ruptura de Suzan-Lori Parks: Alegorização de Figuras em The America Play

DOI: http://dx.doi.org/10.18305/1679-5520/scripta.uniandrade.n5p267-277

http://www.uniandrade.br/revista-scripta-uniandrade.php 

downloadpdf

Braz Pinto Junior1

  

Resumo: Uma revisão crítica da história dos EUA faz de The America Play de Suzan-Lori Parks uma obra exemplar no que diz respeito à discussão identitária contemporânea. Uma leitura dos aspectos estruturais da peça, porém, revela a construção de um texto em que o caráter alegórico, personagens sobrepostas e cenas fragmentadas, em combinação com recursos poéticos como uma linguagem auto-expressiva fazem surgir um ambiente atemporal. Certas imagens desse universo, como o “Grande Buraco da História”, símbolo da ausência do sujeito afro-descendente na história oficial norte-americana, dão sustentação à criação de novos ícones e paradigmas, nascidos da desconstrução de outros, mais antigos. Essa tática de fazer da história oficial e/ ou do teatro convencional um “campo minado” contribui para estabelecer, no texto de Suzan-Lori Parks, não apenas a discussão de novos valores sociais, mas também de novas proposições estéticas.

Palavras-chave: Suzan-Lori Parks. Experimentalismo. Poética da ruptura. Alegorização.

 

Abstract: Suzan-Lori Parks’ critical revision of U.S. history in The America Play is of seminal importance, because it highlights the question of cultural identity in our time. The structural aspects of the play reveal allegorical features, displaying overlapping characters and fragmented scenes in combination with poetical resources in the form of selfexpressive language, which confer universality to the text. Some images from this universe, such as the “Great Hole of History”, symbolize the absence of the African-American subject from official U.S. history, while deconstruction of traditional models provides supportive background for the creation of new icons and modes of representation.This strategy of undoing official history and/ or conventional theater, turning them into a mined territory, contributes to establish, in Suzan-Lori Parks’ text, a discussion of new social values as well as new aesthetic premises.

Key words: Suzan-Lori Parks. Experimentalism. Poetic discontinuities. Allegorization.

 

1 brazpjr@bol.com.br Mestrando em Teoria Literária pela UNIANDRADE. Professor do Curso de Letras da UNIANDRADE.

 

Literatura Citada

BÍBLIA SAGRADA. Bíblia Ave Maria. Trad. Monges de Maredsous (Bélgica). Ver. Frei João José Pereira de Castro et al. 149ª Edição. São Paulo: Ave Maria, 2002.

FERREIRA, A. B. de H. Novo Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

LEHMANN, Hans-Thies. Postdramatic Theatre. Trad. Karen Jürs-Munby. Londres: Routledge, 2006.

OWENS, Craig. “The Allegorical Impulse: Toward a Theory of Postmodernism.” In: WALLIS, Brian. Art After Modernism: Rethinking Representation. New York: The New Museum of Contemporary Art, 1994.

PARKS, Suzan-Lori. The America Play and other works. New York: Theatre Communications Group, 1995, p. 157-199.

WIKIPEDIA. The Free Encyclopedia. African American Vernacular English. Disponível em http://en.wikipedia.org/wiki/African_American_Vernacular_English. Acesso em 12/01/2007.

WILMER, S. E. Restaging the Nation: The Work of Suzan-Lori Parks. Disponível em http://www.utpjopurnals.com/product/md/433/nation7.html. Acesso em 15/11/2007.