Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Controle do Crestamento Bacteriano Comum na Cultura do Feijoeiro pelo Uso de Fertilizantes Foliares

DOI: http://dx.doi.org/10.18188/1983-1471/sap.v12n1p66-72

http://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/index 

downloadpdf

Clair A. Viecelli1-2 & Tânia Moerschbächer1

 

Resumo: O feijão (Phaseolus vulgaris L.) é um dos mais importantes constituintes da dieta da população brasileira, possuindo excelente fonte proteica; porém, seu rendimento é baixo devido a doenças como o crestamento bacteriano comum, causado pela bactéria Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli. O objetivo desse trabalho foi verificar a influência dos fertilizantes foliares CaB (Cálcio e Boro), Mn (Manganês) e Z (Zinco) na severidade da doença. Para tanto, plantas de feijoeiro foram cultivadas em casa de vegetação e, na fase vegetativa V2, aplicaram-se tratamentos com os fertilizantes foliares, além dos controles água, bactericida Agrimicina (50 mg i.a.L-1) e acibenzolar-S-metil (75 mg i.a. L-1), e três dias depois, inoculou-se o patógeno. A suspensão bacteriana foi inoculada na concentração de 5 x 107 UFC mL-1. Aos 17, 21 e 25 dias após a inoculação, avaliou-se a severidade com escala diagramática e os dados foram submetidos à ANOVA e ao teste de Tukey (p = 0,05) pelo programa SISVAR. Os resultados demonstram redução da severidade em até 47% comparados com os da testemunha quando aplicado manganês, tornando-o promissor para pesquisas relacionadas ao controle alternativo desse patossistema.

Palavras-chaves: nutrição mineral, controle alternativo.

 

Abstract: The common bean (Phaseolus vulgaris L.) is one of the most important constituents of the Brazilian’s diet, being an excellent source of proteins; however, this crop presents low yield due to diseases such as the common bacterial blight, caused by Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli. This study aimed to examine the influence of foliar fertilizers CaB (Calcium and Boron), Mn (Manganese) and Z (Zinc) on disease severity. Therefore, bean plants were grown in a greenhouse and, in the vegetative phase V2, treatments with foliar fertilizers and the controls water, bactericidal Agrimicina (50 mg i.a.L-1 ) and acibenzolar-S-methyl (75 mg i.a L-1) were applied, and three days after, the pathogen was inoculated. The bacterial suspension was inoculated at a concentration of 5 x 107 UFC mL-1. At 17, 21 and 25 days after inoculation, disease severity was evaluated with diagrammatic scale and the data were submitted to ANOVA and Tukey’s test (p = 0.05) through the software SISVAR. The results show reduction of severity up to 47% when compared to control with the application of Manganese, being promising for research related to alternative control of this pathosystem.

Key words : mineral nutrition, alternative control.

 

1 Faculdade Assis Gurgacz – FAG, Curso de Agronomia. Av. das Torres 500, CEP: 85.806-095, Bairro Santa Cruz, Cascavel/PR
2 Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, Campus Toledo, Curso de Agronomia. Av. da União 500, Jardim Coopagro, CEP 85902-532, Toledo/PR. E-mail: clair@fag.edu.br, clair.viecelli@pucpr.br , tania_nyna@yahoo.com.br. *Autor para correspondência

 

Literatura Citada

BORÉM, A.; PETERNELLI, L.A. Hibridização artificial em soja e feijão. Viçosa: Editora UFV, 1997. 43p.

DIAZ, C.G. Avaliação de danos causados por Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli em feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) 2000. 79p. (Tese de Doutorado) - Piracicaba. Universidade de São Paulo, ESALQ, 2000.

FANCELLI, A.L.; DOURADO NETO, D. Produção de feijão. São Paulo: Editora USP, 2007. 56p.

FLOSS, E.L. Fisiologia das plantas cultivadas: o estudo do que esta por trás do que se vê. Passo Fundo: Elmar Luiz Floss. 3ª ed., 2006, 751p.

GHINI, R.; KIMATI, H. Resistência de fungos a fungicidas. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2000. 78p.

GARCIA JÚNIOR, D.; POZZA E.A.; POZZA A.A.A; SOUZA, P.E.;. CARVALHO J.C.; BALIEIRO, A.C. Incidência e severidade da cercosporiose do cafeeiro em função do suprimento de potássio e cálcio em solução nutritiva. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v.28, n.3, p.286290, 2003.

KERBAUY, G.B. Fisiologia Vegetal. 2ª edição, Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S.A, 2012, 431p.

KIMATI, H.; AMORIM, L.; REZENDE, J.A.M.; BERGAMIM FILHO, A.; CAMARGO, L.E.A. Manual de fitopatologia Doenças das plantas cultivadas. Vol.2, São Paulo: Editora Ceres, 2005. 275p.

MALAVOLTA, E. Manual de Nutrição Mineral de Plantas. Piracicaba: Editora Ceres, 2006, 223-360p.

MALAVOLTA, E.; PIMENTEL, G.F.; ALCARDE, J.C. Adubos e Adubações. São Paulo: Editora Nobel, 2002, 14p.

MARIANO, R.L.R.; ASSIS, S.M.P. Quantificação de inóculo de bactérias fitopatogênicas, In: MARIANO, R.L.R. Manual de práticas em fitobacteriologia. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2000. p.49-52.

MARIANO, R.L.R.; SILVEIRA, E.B. Isolamento de bactérias fitopatogênicas. Manual de práticas em fitobacteriologia. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2000. p.2735.

MORAES, W.B.C. Controle alternativo de fitopatógenos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.27, p.175-190. 1992.

PAULA JUNIOR, T.J.; FARIA VIEIRA, R., CHAGAS, M.C., SOUZA CARNEIRO, J.E., ANDRADE ARAUJO, G.A., VENZON, M.; PATTO RAMALHO, M.A.; BARBOSA ABREU, A.F.; BASTOS ANDRADE, M.J. 101 Culturas, Feijão. Viçosa: Editora Livroceres, 2006. 43p.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Plant Physiology. 4ª ed. Sunderland: Sinauer Associates, 2006, 794p.

VIEIRA, L.C.; HEMP, S.; NADAL, R. A cultura do Feijão em Santa Catarina. Florianópolis: Editora EPAGRI – Empresa de Pesquisa Agropecuária e Difusão Tecnológica de Santa Catarina S.A., 1992. 67p.