Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Quantificação de Elementos Potencialmente Tóxicos Presentes em Diferentes Cultivares de Grãos de Soja e Milho Comercializados na Região Noroeste do Paraná

DOI: http://dx.doi.org/10.18188/1983-1471/sap.v12n3p182-192

http://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/index 

downloadpdf

Cristina L. Massocatto1*, Kristiany M. Diniz2, Jaqueline Bolson3, Affonso C. Gonçalves Júnior4 & Douglas C. Dragunski5

 

Resumo: A soja e o milho são culturas que estão entre as mais plantadas na região noroeste do Paraná. Dessa forma, um estudo sobre alguns metais tóxicos e micronutrientes que são essenciais para o crescimento dessas plantas se faz necessário para o desenvolvimento dessas culturas e também para a saúde dos seres humanos. Assim, este trabalho objetivou quantificar os elementos Fe, Cu, Zn, Cr, Mn, Ni, Na e Pb em diferentes cultivares de soja e milho comercializados na região noroeste do Paraná. Os grãos de soja e de milho foram adquiridos da Cooperativa Agropecuária Goioerê (COAGEL), situada na cidade de Umuarama, no noroeste do Paraná. Foram analisados 36 cultivares para o milho e 14 para a soja. Primeiramente, as amostras foram secas a 100ºC, trituradas e peneiradas. A digestão utilizada foi via úmida com ácido nítrico e peróxido de hidrogênio. Todas as amostras analisadas apresentaram os metais Fe, Zn, Cu, Cr, Mn e Na. Constatou-se que as quantidades dos minerais estudados variaram bastante para os diferentes cultivares, sendo que as maiores concentrações foram encontradas nas amostras de soja no que se refere aos metais Fe, Cu, Mn e Na, enquanto o milho apresentou as maiores concentrações de Cr e Zn. Em relação ao Cr, não se pode afirmar qual espécie química está presente (III ou VI), assim, deve-se ter precaução ao ingerir estes grãos como alimento. Também foi avaliada a correlação entre os metais, constatando que entre os minerais na soja as correlações foram superiores àquelas obtidas com o milho.

Palavras-chaves: sementes, metais, absorção atômica.

 

Abstract: Soybeans and corn are among the crops that are commonly grown in the Northwest of Paraná. Therefore, a study of some toxic metals and micronutrients that are essential for the growth of these plants is necessary for the development of these crops and also for human health. This study aimed to quantify the elements Fe, Cu, Zn, Cr, Mn, Ni, Na and Pb in different cultivars of soybeans and corn commercialized in the Northwest of Paraná. Soybeans and corn were purchased from the Goioerê Agricultural Cooperative (COAGEL), located in the city of Umuarama, in the Northwest of Paraná. Thirty-six cultivars of corn and fourteen cultivars of soybean were analyzed. Samples were dried at 100ºC, grinded and sifted. Digestion was made in a moist medium with nitric acid and hydrogen peroxide. All samples showed the metals Fe, Zn, Cu, Cr, Mn and Na. It was found that the quantities of minerals studied varied widely for the different cultivars, and the highest concentrations were found in the soybean samples with regard to the metals Fe, Cu, Mn and Na, while the corn had the highest concentrations of Cr and Zn. Regarding Cr, it is not possible to know which chemical species is present (III or VI); therefore, caution is recommended when eating these grains as food. We also analyzed the correlation between the metals and found that correlations between minerals in soybean were higher than correlations between minerals in corn.

Key words: seeds, metals, atomic absorption.

 

1 Mestre em Biotecnologia Aplicada à Agricultura, Universidade Paranaense (UNIPAR), Praça Mascarenhas de Moraes, CEP 87502-210, Umuarama/PR, Brasil. E-mail: cristinalm_@hotmail.com. *Autor para correspondência
2 Mestre em Química, Universidade de Londrina (UEL), Caixa Postal 6001, CEP 86051-990, Londrina/PR, Brasil. E-mail: krisdiniz@hotmail.com
3 Graduada em Farmácia, Universidade Paranaense (UNIPAR), Praça Mascarenhas de Moraes - CEP 87502-210, Umuarama/PR, Brasil. E-mail: jaquebolson@hotmail.com
4 Pós-Doutor em Ciências Ambientais, Professor Associado do Centro de Ciências Agrárias da UNIOESTE, Rua Pernambuco 1777, CEP 85960-000, Marechal Cândido Rondon/PR, Brasil. E-mail: affonso@unioeste.br
5 Professor Doutor do Mestrado em Biotecnologia Aplicada à Agricultura, Universidade Paranaense (UNIPAR), Praça Mascarenhas de Moraes, CEP 87502-210, Umuarama/PR, Brasil. E-mail: dcdragunski@unipar.br

 

Literatura Citada

BARBOSA FILHO, M.P.; FAGERIA, N.K.; CARVALHO, J.R.P. Fontes de zinco e modos de aplicação sobre a produção de arroz em solos de cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.17, n.12, p.1713-1719, 1982.

BAKER, A.J.M. Accumulators and excluders-strategies in the response of plants to heavy metals. Journal of Plant Nutrition, New York, v.3, n. 1/4, p.643-654, 1981.

BERTON, R.S. Riscos de contaminação do agrossistema com metais pesados. In: BETTIOL, W.; CAMARGO, O.A. (Ed.). Impacto ambiental do uso agrícola do lodo de esgoto. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2000. p.259-268.

BINOVA. Tratamento de sementes: Stimulus fertilizante. Ribeirão Preto: Binova, 2002. p.2.

BORKERT, C.M.; PAVAN, M.A; BATAGLIA, O.C. Disponibilidade e avaliação de elementos catiônicos: ferro e manganês. In: FERREIRA, M.E.; CRUZ, M.C.P.; RAIJ, B. van & ABREU, C.A., eds. Micronutrientes e elementos tóxicos na agricultura. Jaboticabal, CNPq/FAPESP/Potafós, 2001. p.151-185.

BOURSIER, P.; LYNCH, J.; LÄUCHLI, A.; EPSTEIN, E. Chloride partioning in leaves of saltstressed sorghum, maize, wheat and barley. Australian Journal of Plant Physiology, Melbourne, v.14, p.463-473, 1987.

Brasil. Decreto n°55871, de 26 de março de 1995. D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo, de 19 de setembro de 2000. http://www.anvisa.gov.br, acessado em setembro de 2009.

Brasil, Resolução RDC nº 269, de 22 de setembro de 2005 . ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, de 23 de setembro de 2005.

CHEESEMAN, J.M. Mechanisms of salinity tolerance in plants. Plant Physiology, Rockville, 1988. v.87, p.547-550.

CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento, Acompanhamento da safra brasileira, Grãos 2011-2012, junho de 2012, p.22-23, http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/12_06_05_09_50_17_boletim_safra__junho-2012.pdf , acessado em junho de 2012.

EMBRAPA SOJA. Tecnologia de produção de soja. Londrina: Embrapa Soja, 2001. 281p.

FAQUIN, VALDEMAR. Nutrição Mineral de Plantas. Minas Gerais: Universidade Federal de Lavras, 2005.183p.

FERREIRA, A.S.; CAMARGO, F.A.O.; TEDESCO, M.J.; BISSANI, C.A. Effects of tannery and coal mining residues on chemical and biological soil properties and on corn soybean yields. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v.27, n.4, 2003.

GALRÃO, E.Z. Resposta do trigo à aplicação de cobre em um latossolo orgânico de várzea. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.12, n.3, p.275-279, 1988.

GONÇALVES JR., A.C; LUCHESE, E.B.; LENZI, E. Avaliação da fitodisponibilidade de cádmio, chumbo e crômio, em soja cultivada em Latossolo Vermelho Escuro, tratado com fertilizantes comerciais. Química Nova, São Paulo, v.23, n.2, p.173-177, 2000.

GONÇALVES JR., A.C.; PESSOA, A.C.S. Avaliação da fitodisponibilidade de cádmio, chumbo e crômio, em soja cultivada em Argissolo Vermelho Eutrofico, tratado com fertilizantes comerciais. Scientia Agraria, Curitiba, v.3, n.1-2, p.19-23, 2002.

GONÇALVES JR., A.C.; SACON, E.; MONDARDO, E. Capacidade dos métodos extratores e fitodisponibilidade de cobre para uma cultura de milho cultivado em Arguissolo VermelhoAmarelo Eutrofico. Revista Varia Scientia, v.04, n.08, p.103-111, 2005.

GUEDES, J.A.; LIMA, R.F.S.; DE SOUZA, L.C. Metais pesados em água do rio Jundiaí – Macaíba/RN. Revista de Geologia, v.2, n.18, p.131-142, 2005.

GUSSARSSON, M.; ADALSTEINSSON, P.J.; ASP, H. Cadmium and copper interactions on the accumulation and distribution of Cd and Cu in birch (Betula pendula Roth) seedlings. Plant and Soil, Dordrecht, v.171, p.185-187, 1995.

GREENWAY, H.; MUNNS, R. Mechanisms of salt tolerance in nonhalophytes. Annual Review of Plant Physiology, Palto Alto, v.31, n.1, p.149-190, 1980.

IBGE – Instituto Brasileiro de de Geografia e Estatística. Referência obtida na Internet. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br.> Acesso em: set. 2010.

KABATA-PENDIAS, A.; PENDIAS, H. Trace elements in soils and plants. 3.ed. Boca Raton, CRC Press, 2001. 413p.

KLASSEN, C.D.; WATKINS III J.B.Toxicologia, a Ciência Básica dos Tóxicos, de Casarett e Doull. Portugal, 2001. p.559-567.

LUCHESE, A.V.; GONÇALVES JR., A.C.; LUCHESE, E.B.; BRACCINI, M.C.L. Emergência e absorção de cobre por plantas de milho (Zea mays) em resposta ao tratamento de sementes com cobre. Ciência Rural, Santa Maria, v.24, n.6, p.1949-1952, 2004.

MAIGA, A.; DIALLO, D., BYE, R.; PAULSEN, B.S. Determination of some toxic and essential metal ions in medicinal and edible plants from Mali. Journal of Agricultural and Food Chemistry, v.53, p.2316-1321, 2005.

MALAVOLTA, E.; Fertilizantes e seu impacto ambiental:metais pesados, mitos, mistificação e fatos. São Paulo: Produquímica, 1994. 153p.

MALAVOLTA, E. Manual de nutrição mineral de plantas. Viçosa: UFV, 2006. 631p.

MORTVEDT, J.J. Tecnologia e produção de fertilizantes com micronutrientes. Presença de elementos tóxicos. In: FERREIRA, M.E.. (Ed.). Micronutrientes e elementos tóxicos na agricultura. Jaboticabal: CNPq/Fapesp/Potafos, 2001, p.237-253.

PARDUCCI, S.; SANTOS, O.S.; CAMARGO, R.P.; LEÃO, R.M.A.; BATISTA, R.B. Micronutrientes biocrop. Campinas: Microquímica, 1989. 101p.

VALADARES, J.M.A.; CAMARGO, O.C. Manganês em solos do estado de São Paulo. In: CONGRESSO BRASILEIRO, 17, Salvador, 1981 Programas e resumos. Campinas, Sociedade Brasileira de Ciência do Solo ,1981. p.85.

VIDOR, C.; PERES, J.R.R. Nutrição das plantas com molibdênio e cobalto. In: BORKERT, C.M.; LANTMANN, A.F., eds. Enxofre e micronutrientes na agricultura brasileira. Londrina: Embrapa/CNPSo/SBCS,1988. p.179-204.

YAMADA, L.T.P.; BARCELOS, M.F.P.; DE SOUSA, R.V.; DE LIMA, A.L. Composição química e conteúdo de ferro solúvel em soja [Glycine max (L.) Merrill]. Ciência e Agrotecnologia, v.27, n.2, p.406-413. 2003.