Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Propriedades Físico-Mecânicas da Madeira de Eucalyptus urophylla S.T. Blake no Sentido Radial e Longitudinal

DOI: http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v01n02a01

http://www.ufpel.tche.br/revistas/index.php/cienciadamadeira/index 

downloadpdf

Wescley V. Evangelista1, José de C. Silva2, Ricardo M. D. Lucia2, Lilian M. Lobo3 & Maria O. A. de Souza4

 

Resumo: O objetivo desse trabalho foi avaliar algumas propriedades da madeira de Eucalyptus urophylla, no sentido radial e em duas posições no sentido longitudinal. O material, com 6,3 anos, foi proveniente da Votorantim Metais Zinco S.A., localizada em Vazante, Minas Gerais,. Utilizaram-se seis árvores, das quais foram retiradas as duas primeiras toras da base, ambas com comprimento de três metros. As toras foram desdobradas e da parte superior de cada prancha diametral retirou-se uma amostra de madeira, com um metro de comprimento, de onde prepararam-se os corpos-de-prova para a determinação das propriedades estudadas. Avaliaram-se a massa específica básica e aparente a 12% de umidade, contrações totais e a 12% de umidade, dimensões de fibras e vasos, e os módulos de ruptura e elasticidade em flexão estática. Houve tendência de aumento, no sentido medulacasca, da massa específica, contração longitudinal total, comprimento das fibras, diâmetro dos vasos e dos módulos de ruptura e elasticidade. A contração longitudinal parcial, os coeficientes anisotrópicos e a frequência de vasos diminuíram nesse sentido. As contrações tangenciais e radiais, a largura, diâmetro do lume e a espessura da parede das fibras apresentaram outros padrões de variação. Somente a contração volumétrica parcial, contração radial parcial e frequência de vasos apresentaram diferenças significativas entre a primeira e segunda tora. As principais correlações observadas foram do módulo de ruptura e elasticidade com a massa específica e do diâmetro do lume das fibras com a massa específica básica, com contração longitudinal total e com o módulo de ruptura em flexão estática.

Palavras-chave: eucalipto, massa específica, contração, anatomia da madeira, flexão estática

 

Abstract: The objective of this work was to evaluate some wood properties of a clone of Eucalyptus urophylla in the radial direction and in two positions along the trunk. The studied material came from Votorantim Metais Zinco S.A., and the plantations, located in Vazante, State of Minas Gerais, Brazil, were six years old. Six trees were harvested from which were cut two logs with three meter long each. Those logs were sawed into thick diametral slabs. A one-meter sample was obtained from these planks in the radial direction. Following this, samples were taken for the evaluation of specific gravity and apparent density, shrinkage from green or from 12% moisture, fiber and vessel sizes and static bending properties. It was found that basic and apparent specific gravities, total longitudinal shrinkage, fiber length, vessel diameter and moduli of rupture and elasticity tended to increase in the bark-to-pith direction, while partial longitudinal shrinkage, the tangential/radial ratios and the vessel frequency were reduced. Radial and tangential shrinkages, width, lumen diameter and fiber wall thickness showed different patterns of variation. Only partial volumetric, radial shrinkages and vessel frequency showed different values between the two logs taken from the same tree. The main correlations observed were between modulus of elasticity and of rupture with either specific gravity or apparent density and between fiber lumen diameter with specific gravity, total longitudinal shrinkage and with modulus of rupture in static bending.

Key words: eucalypt, specific gravity, shrinkage, wood anatomy, static be

 

1 Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal, Departamento de Engenharia Florestal, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa-MG, CEP 36570-000, e-mail: wescleyviana@yahoo.com.br; odetearq@yahoo.com.br
2 Professor do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa-MG, CEP 36570-000, e-mail: jcastro@ufv.br; rdlucia@ufv.br
3 Programa de Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas, Departamento de Solos, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa-MG, CEP 36570-000, e-mail: lobo.lilian@yahoo.com.br
4 Rodrigues Monteiro Arquitetura e Construção, Rua Dr. Vasconcelos, nº. 87, Centro, Três Rios-RJ, CEP 25804-240, e-mail: odetearq@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ADORNO, M. F. C.; GARCIA, J. N. Correlações lineares entre as principais características tecnológicas da madeira de clones de Eucalyptus grandis e Eucalyptus urophylla. Scientia Forestalis, Piracicaba, SP, n. 63, p. 44-53, 2003.

ALZATE, S. B. A. Caracterização da madeira de árvores de clones de Eucalyptus grandis, E. saligna e E. grandis x urophylla. 2004. 133 f. Tese (Doutorado em Recursos Florestais - Tecnologia de Produtos Florestais) – Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP, 2004.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. Projeto de estruturas de madeira – NBR 7190. Rio de janeiro: ABNT. 1997. 107 p.

CRUZ, C. R.; LIMA, J. T.; MUNIZ, G. I. B. Variações dentro das árvores e entre clones das propriedades físicas e mecânicas da madeira de híbridos de Eucalyptus. Scientia Forestalis, Piracicaba, SP, n. 64, p. 33-47, 2003.

GONÇALVES, F. G. et al. Estudo de algumas propriedades mecânicas da madeira de um híbrido clonal de Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 33, n. 3, p. 501-509, 2009.

IAWA COMMITTEE. IAWA list of microscopic features for hardwood identification. IAWA Bulletin n.s., v. 10, n. 3, 1989. p. 221-332.

OLIVEIRA, J. T. S. Caracterização da madeira de eucalipto para a construção civil. 1997. 2 v., 429 f. Tese (Doutorado em Engenharia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 1997.

PANSHIN, A. J.; DE ZEEUW, C. Textbook of wood technology. 4. ed. New York: McGraw Hill, 1980. 722 p.

ROCHA, F. T.; FLORSHEIM, S. M. B.; COUTO, H. T. Z. Variação das dimensões dos elementos anatômicos da madeira de árvores de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden aos sete anos. Revista do Instituto Florestal, São Paulo, SP, v. 16, n. 1, p. 43-55, 2004.

SILVA, J. C.; CASTRO, V. R.; XAVIER, B. A. Manual prático do fazendeiro florestal: produzindo madeira com qualidade. 2. ed. Viçosa, MG, 2008. 72p.

SOUSA JÚNIOR, W. P. Propriedades físicas, mecânicas e anatômicas das madeiras de Eucalyptus cloeziana e de Eucalyptus urophylla oriundas dos municípios de turmalina e de Paraopeba (MG). 2004. 64 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2004.

TOMAZELLO FILHO, M. Variação radial da densidade básica e da estrutura anatômica da madeira de Eucalyptus saligna e Eucalyptus grandis. IPEF, Piracicaba, v.29, p.37-45, 1985.

TRUGILHO, P. F. et al. Qualidade da madeira de clones de espécies e híbridos naturais de Eucalyptus. Scientia Forestalis, Piracicaba, SP, n. 73, p. 55-62, 2007.

TRUGILHO, P. F. Densidade básica e estimativa de massa seca e de lignina na madeira em espécies de Eucalyptus. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, MG, v. 33, n. 5, p. 1228-1239, set./out., 2009.

VALE, R. S. et al. Efeito da desrama artificial na qualidade da Madeira de clones de eucalipto em sistema agrossilvipastoril. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 26, n. 3, p. 285-297, 2002.