Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Propriedades de Flexão Estática da Madeira de Carya illinoinensis em Duas Condições de Umidade

DOI: http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v01n02a06

http://www.ufpel.tche.br/revistas/index.php/cienciadamadeira/index 

downloadpdf

Diego M. Stangerlin1, Rafael R. de Melo2, Darci A. Gatto3 & Pedro H. G. de Cademartori4

 

Resumo: O presente trabalho teve como objetivo determinar as propriedades de flexão estática (elasticidade e resistência) da madeira de Carya illinoinensis sob duas condições de umidade e verificar a precisão da estimativa dessas propriedades por meio da massa específica aparente. Para tanto, foram abatidas cinco árvores adultas nas regiões fisiográficas da Depressão Central e Encosta Superior do Nordeste, ambas no Estado do Rio Grande do Sul. De cada árvore, foram retiradas toras de 2,5 m de comprimento, partindo da base, que foram desdobradas para a confecção de corpos-de-prova com dimensões de 2,5 x 2,5 x 41 cm, sendo a maior dimensão no sentido axial. Os ensaios de flexão estática foram realizados com a madeira saturada em água (madeira verde) e ao teor de umidade de equilíbrio de 12% (madeira seca). Os resultados obtidos indicam que a presença de água na madeira reduz substancialmente os valores de elasticidade e resistência. Além disso, o uso da massa específica aparente é adequado para estimativa das propriedades de elasticidade e resistência da madeira de Carya illinoinensis, tanto para a madeira seca a 12% de umidade quanto para a condição de saturação em água.

Palavras-chave: qualidade da madeira, propriedades mecânicas, módulo de elasticidade, módulo de ruptura

 

Abstract: This work aimed to determinate static bending properties (elasticity and strength) of Carya illinoinensis wood in two moisture conditions through of density. For this, five adult trees were felled in the physiographic regions of the Central Depression and the Upper Slopes of the Northeast regions, both in the state of Rio Grande do Sul. For each tree, were removed logs with 2.5 m of length to realize sawing and, later, specimen production with dimension of 2.5 x 2.5 x 41 cm, high dimension to axial direction. The static bending tests were realized with the wood saturated with water (green wood) and the equilibrium moisture content of 12% (dry wood). The results indicate that the presence of water in the timber substantially reduces the values of elasticity and strength. Furthermore, the use of the density is adequate to estimate elasticity and strength properties of Carya illinoinensis wood, both dry wood at 12% moisture content as to the condition of water saturation.

Key words: wood quality, mechanical properties, modulus of elasticity, modulus of rupture

 

1 Engenheiro Florestal, M.Sc., Professor Assistente do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais (ICAA), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) - Campus de Sinop. Avenida Alexandre Ferronato, 1200, Setor Industrial, CEP: 78550-000 - Sinop, MT. E-mail: stangerlin@ufmt.br
2 Engenheiro Florestal, M.Sc., Professor Assistente do Campus Professora Cinobelina Elvas, Universidade Federal do Piauí. Bom Jesus, PI. E-mail: rrmelo2@yahoo.com.br
3 Engenheiro Florestal, Dr., Professor Adjunto do Curso de Engenharia Industrial Madeireira, Departamento de Engenharia Agrícola (DEA), Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Pelotas, RS. E-mail: darcigatto@yahoo.com
4 Acadêmico do Curso de Graduação em Engenharia Industrial Madeireira, DEA-UFPel. E-mail: pedrocademartori@gmail.com

 

Literatura Citada

AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. ASTM D-143: Standard methods for conducting machining tests of wood and wood base materials. Philadelphia, 1995, p. 226-245.

AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. ASTM D-5536: Standard practice for sampling forest trees for determination of clear wood properties. Philadelphia, 1995, p. 605-613.

BODIG, J.; JAYNE, B.A. Mechanics of wood and wood composites. New York: Van Nostrand Reinhold Company Inc., 1982. 712 p.

DIAS, F.M.; LAHR, F.A.R. Estimativa de propriedades de resistência e rigidez da madeira através da densidade aparente, Scientia Forestalis, Piracicaba, n.65, p.102-113. 2004.

FREITAS, A. Potencial de utilização de madeiras em construções. In: ENCONTRO BRASILEIRO EM PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS, 1., 1982, São Paulo. Anais... São Paulo: IPT, 1982.

HASELEIN, C.R.; BERGER, R.; GOULART, M.; STHAL, J.; TREVISAN, R.; SANTINI, E.J.; LOPES, M.C. Propriedade da madeira úmida e a 12% de umidade de um clone de Eucalyptus saligna Smith sob o efeito do espaçamento e da adubação. Ciência Florestal, Santa Maria, v.12, n.2, p.147-152. 2002.

LISBOA, C.D.J.; MATOS, J.L.M.; MELO, J.E. Amostragem e propriedades físicomecânicas de madeiras amazônicas. Brasília: Ibama, 1993. (Coleção Meio Ambiente. Série Estudos Floresta, 1).

KOLLMANN, F. Tecnologia de la madeira y sus applicaciones. Madrid: Gráficas Reunidas S.A., 1959. 674p.

LIMA, J.T.; DELLA LUCIA, R.M.; VITAL, B.R. Influência do teor de umidade nas propriedades mecânicas da madeira de Eucalyptus saligna Smith. Revista Árvore, Viçosa, v.10, n.1, p.27-43. 1986.

MORESCHI, J.C. Propriedades tecnológicas da madeira. Curitiba: Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal, Setor de Ciências Agrárias/UFPR, 2010. 176 p.

PANSHIN, A.J.; DE ZEEUW, C. Text book of wood technology. 4.ed. New York: Mc. Graw Hill, 1980. 722p.

STANGERLIN, D.M.; MELO, R.R.; SANTINI, E.J.; GATTO, D.A.; DOMINGUES, J.M.X.; CALEGARI, L.; MULLER, M.T. Avaliação da resistência ao impacto para as madeiras de Eucalyptus botrioides e Eucalyptus saligna. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL, 10., 2008, Nova Prata. Anais... Santa Maria: UFSM, 2008. p.1-7.

TREVISAN, R.; STAHL, J.; HASELEIN, C.R.; LOPES, M.C.; ROSSO, S. Comparação entre as propriedades mecânicas da madeira verde e seca de Eucalyptus grandis. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL, 9., 2003, Nova Prata. Anais... Santa Maria: UFSM, 2003. p.1-6.

VITAL, B.R. Métodos de determinação de densidade da madeira. Viçosa: Boletim Técnico SIF, 1984. 21p.

VIVIAN, M.A.; MODES, K.S.; BELTRAME, R.; MORAIS, W.C.; SOUZA, J.T.; MACHADO, W.G.; SANTINI, E.J.; HASELEIN, C.R. Resistência da madeira de canafístula (Peltophorum dubium (Spreng.) Taub.) ao PSF e a umidade de equilíbrio. Ciência da Madeira, Pelotas, v.1, n.1, p.12-25. 2010.