Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Testemunhas e Sobreviventes, a (Re)Invenção de Identidades. Viuvez, Gênero e o Estado de Exceção na America Latina

DOI: http://dx.doi.org/10.18351/2179-7137/ged.2015n1p61-75

http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ged/index 

downloadpdf

Lidia M. V. Possas1

 

Resumo: Analisar a viuvez no contexto histórico e traumático tempo das ditaduras militares latino americanas dos anos 70- 80, no Brasil e Argentina, diante da erupção do estado de exceção prolongado, onde foi possível observar as relações de gênero fazendo emergir novos significados nas performances constantes dos sujeitos envolvidos. Os relatos coletados evidenciam diferentes perspectivas de construção de si quando se expressaram e reconstruíram suas identidades vivenciadas em um ambiente político tensionado pelas ideologias em confronto no cotidiano, nas lutas de resistências e, nas formas de sobrevivência na fase de democratização.

Palavras-chave: Sobreviventes, Testemunhos, Viuvez, Gênero, Estado de Exceção.

 

Resumen: El presente texto analiza la viudez en el contexto histórico y en tiempo traumático de las dictaduras militares latinoamericanas de los años 70-80, en el Brasil y Argentina, debido a la erupción de estado de excepción, donde fue posible observar las relaciones de género haciendo de aparecer los nuevos significados en constantes performances de los sujetos envueltos. Los relatos demuestran perspectivas diferentes de la construcción del si cuando fueran expresados y reconstruidos en sus identidades vividas en una atmósfera política tensionada pos las ideologías en la confrontación cotidiana, en las luchas de resistencias y, en las formas de supervivencia en la fase de democratización.

Palabras Clave: Supervivientes, Testemunhos, Viudez, Género, Estado de excepción.

 

1 Livre Docente em História, Relações de Gênero e Feminismos na America Latina, junto ao Departamento de Ciências Políticas e Econômicas e Coordª.do Laboratório Interdisciplinar de Estudos de Gênero/LIEG - /UNESP, campus de Marília, SP – BRASIL. lidia.possas@uol.com.br

 

Literatura Citada

AGAMBEN, Giorgio. (2009) O que é ser contemporâneo e outros ensaios. Chapecó, SC. Argos.

CALVEIRO, Pilar. (2014). Poder e Desaparecimento. Os campos de Concentração na Argentina. São Paulo, Boitempo.

Diário de la memoria- EXILIOS: Destinos. Experiencias. Relatos. Comisión y Archivo Provincial de da la Memoria . Cordoba, Ano V, vol. N.6 dez.2012 .

INSTITUTO HOUAISS. (2001). Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa 1.0. São Paulo: Objetiva,1 CDRom.

LARROSA, Jorge. (2014). Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica.

MARANHAO FILHO, Eduardo Meinberg de Albuquerque (2009). Por uma Historia do tempo Presente: uma historia de nós mesmos. IN: Fronteiras: Revista Catarinense de História, Florianópolis, n.17, p.137-151.

MARIANI, Ana. Magacausa (2012). La Perla, Derecho a La Verdad / Dereho a La Justicia. Comission y Archivo Provincial de La Memória, Cordoba.

MEZAROBA, Glenda. Um acerto de contas com o futuro: a anistia e suas consequências. Consultada em 2006 em dissertacaoglenda.pdf.

POSSAS, Lidia M. V. (2011). As Fronteiras: retomando a palavra e libertando significados. Quem sou eu? As mulheres e as identidades redescobertas. Territórios e Fronteiras (Online), v.4, p.1 – 267.

SAVAZZONI, Simone de Alcantara. Crime de Genocídio. Consultado em 04 jul. 2009 em http://www.lfg.com.br.