Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Adaptabilidade e Estabilidade de Cultivares de Milho-Pipoca por Meio de Dois Métodos de Classificação1

DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v1n3p78-88

http://rbms.cnpms.embrapa.br/index.php/ojs/index 

downloadpdf

Helber V. Nunes2, Glauco V. Miranda2, João C. C. Galvão2, Leandro V. de Souza2 & Lauro J. M. Guimarães2

 

Resumo: Estimou-se a adaptabilidade e a estabilidade de cultivares de milho-pipoca, utilizando dois métodos de classificação, quando submetida a diferentes condições ambientais. A simulação de ambiente foi realizada por meio das épocas de semeadura, em setembro, outubro, novembro e dezembro, nas condições edafoclimáticas da Região da Zona da Mata de Minas Gerais. Para isso, foram instalados oito ensaios, nos anos agrícolas de 1998/1999 e 1999/2000, na Estação Experimental de Coimbra, MG, pertencente à Universidade Federal de Viçosa. Os tratamentos foram as cultivares melhoradas IAC 112, RS 20 e Zélia e as populações Beija-Flor, Branco, CMS 42, CMS 43, Rosa-Claro e Viçosa. O delineamento utilizado foi o de blocos ao acaso, com quatro repetições. As parcelas foram constituídas de quatro fileiras de quatro metros lineares aproveitadas. O espaçamento entre fileiras foi de 0,9 metro e o estande final de 45.000 plantas ha-1. A adaptabilidade e estabilidade da produtividade de grãos e capacidade de expansão foram obtidas por um método baseado na regressão linear e outro não-paramétrico. O rendimento de grãos apresentou a média geral de 2.740 kg ha-1 e as cultivares mais produtivas foram CMS 43 (3.430 kg ha-1), CMS 42 (3.045 kg ha-1) e IAC 112 (3.045 kg ha-1). A capacidade de expansão apresentou média geral de 17,5 e as cultivares com as maiores médias foram IAC 112, com 24, RS 20, com 22 e Zélia, com 24. Os métodos de adaptabilidade e estabilidade de Ebehart e Russell, e Lin e Binns, identificaram, em relação à produtividade, as cultivares com maior estabilidade: CMS 43, CMS 42, IAC 112 e Rosa-claro. Para a CE, pelos dois métodos de adaptabilidade e estabilidade, identificaram como as cultivares mais estáveis, tanto para ambientes favoráveis quanto desfavoráveis, Zélia, IAC 112, RS 20 e Beija-flor. A cultivar IAC 112 foi a única que apresentou estabilidade para as duas características simultaneamente. Concluiu-se que as cultivares diferem quanto à adaptabilidade e estabilidade de rendimento de grãos e capacidade de expansão; a capacidade de expansão é mais sensível às alterações desfavoráveis do ambiente do que o rendimento de grãos; a cultivar IAC 112 apresenta os melhores rendimentos de grãos e capacidade de expansão; os dois métodos de adaptabilidade e estabilidade são eficientes e semelhantes para classificar as cultivares e o melhoramento das populações locais deve priorizar o aumento da CE em relação às demais características agronômicas.

Palavras-chave: Milho-pipoca, adaptabilidade e estabilidade, época de plantio, capacidade de expansão, rendimento de grãos.

 

Abstract: A study was carried out in order to estimate the adaptability and stability of the popcorn cultivars submitted to different environmental conditions. The simulated environments were the different sowing times in September, October, November and December, under the edaphoclimatic conditions of the Zona da Mata region, Minas Gerais, Brazil. So, eight assays were installed at the Coimbra Experimental Station pertaining to the Universidade Federal de Viçosa, during the agricultural years 1998/1999 and 1999/2000. The treatments consisted of the cultivars IAC 112, RS 20, and Zélia, and the Beija-flor, Branco, CMS 42, CMS 43, Rosa-claro, and Viçosa populations. The randomized block experimental design was used with four replicates. The plots consisted of four 4m-length rows. The spacing among rows were 0.9 m, whereas the final stand was 45,000 plants ha-1. The adaptability and stability of the kernel productivity (kg ha-1) and the popping expansion capacity of the popcorn cultivars were obtained by methods based on linear regression and non parametric. The general average of the kernel productivity was 2740 kg ha-1, while the most productive cultivars were CMS 43 (3430 kg ha-1), CMS 42 (3045 kg ha-1) and IAC 112 (3045 kg ha-1). The general average of the popping expansion capacity was 17.5, and the cultivars showing the highest averages were IAC 112 with 24, RS 20 with 22 and Zélia with 24. For productivity, the cultivars with more stability were CMS 43, CMS 42, IAC 112 and, Rosa-claro. For popping expansion capacity, the cultivars with more stability were Zélia, IAC 112, RS 20 and, Beija-flor. The cv. IAC 112 showed stability to productivity and popping expansion capacity. The following conclusions were drawn: the cultivars differed for adaptability and stability of the kernel productivity and the popping expansion capacity as well; the adaptability and stability of the kernel productivity and the popping expansion capacity showed no concordance to each cultivar; the popping expansion capacity was more sensitive to unfavorable alterations in the environment than kernel productivity; and IAC 112 exhibited the best association between the kernel productivity and popping expansion capacity.

Key words: Popcorn, adaptability and stability, popping expansion capacity, sowying dates, productivity.

 

1 Parte da Tese de Mestrado do primeiro autor
2 Departamento de Fitotecnia, Universidade Federal de Viçosa. CEP. 36571-000 Viçosa, MG. E-mail: glauco@ufv.br (autor para correspondência)

 

Literatura Citada

AGRIANUAL. Anuário da Agricultura Brasileira. São Paulo: FNP Consultoria e Comércio, 2001. 521p.

ANDRADE, R.A. Cruzamentos dialélicos entre seis variedades de milho pipoca. 1996. 79 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

BURAK, R.; BROCCOLI, A.M. Genotype by environment interaction on popping expansion and yield in popcorn hybrids cultivated in Argentina. Maize Genetics Cooperation Newsletter, v. 74, 1999. Disponível em: <http://www.agron.missouri.edu/mnl/74/80burak.html>

BURNHAM LARISH, L.L.; BREWBAKER, J.L. Diallel analyses of temperate and tropical popcorns. Maydica, Bergamo, v. 44, p. 279-284, 1999.

CARNEIRO, P.C.S. Novas metodologias de análise da adaptabilidade e estabilidade de comportamento. Viçosa: UFV, 1998. 168p.

CIMMYT. Managing trials and reporting data for CIMMYT’s international. Maize Testing Program. Méxica, D.F., 1985.

COIMBRA, R.R. Seleção entre famílias de meios- irmãos da população DFT 1-Ribeirão de milho- pipoca. 2000. 54 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

COIMBRA, R.R.; MIRANDA, G. V.; VIANA, I.M.S.; CRUZ, C. D. Correlações entre caracteres na população de milho pipoca DFT-1 Ribeirão. Revista Ceres, Viçosa, v.48, p. 427-435, 2001.

CRUZ, C. D. Programa genes; aplicativo computacional em genética e estatística. Viçosa: UFV, 1997. 442 p.

CRUZ, C.D.; REGAZZI, A.J. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. Viçosa: UFV, 1994. 390 p.

CRUZ, J.C.; PACHECO, C.A.P.; PEREIRA FILHO, I.A.; OLIVEIRA, A.C. Efeito da cultivar, espaçamento e densidade de plantio sobre a produção e a qualidade do milho-pipoca. Relatório Técnico Anual do Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo.1992-1993. Sete Lagoas, v.6, p.251-252, 1994.

DUARTE, A.P.; PATERNIANI, M.E.A.G.Z.. (Coord). Cultivares de milho no Estado de São Paulo. Campinas: Instituto Agronômico, 1998. 81 p. (IAC. Documentos, 62).

EBERHART, S.A.; RUSSELL, W.A. Stability parameters for comparing varieties. Crop Science, Madison, v.6, p.36-40, 1966. https://doi.org/10.2135/cropsci1966.0011183X000600010011x

FERREIRA, M.T.R.; NASPOLINI FILHO, V. Bibliografia sobre melhoramento do milho. Brasília: EMBRAPA-DID, 1986. 238 p.

FANTIN, G. M.; SAWAZAKI, E.; BARROS, B. C. Avaliação de variedades de milho pipoca quanto a resistência a doenças e qualidade da pipoca. Summa Phytopathologica, Jaguariuna, v.17, n.2, p. 90-104, 1991.

FARIAS, F.J.C.; RAMALHO, M.A.P.; CARVALHO, L.P.; MOREIRA, J.A.N.; COSTA, J.N. Parâmetros de estabilidade propostos por Lin e Binns (1988) comparados com o método da regressão. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.32, n.4, p.407-414, abr. 1997.

GALVÃO, J.C.C.; SAWAZAKI, E.; MIRANDA, G.V. Comportamento de híbridos de milho-pipoca em Coimbra, Minas Gerais. Revista Ceres, Viçosa, v.47, n.270, p.201-218, 2000.

HÜEN, M. Nonparametric measures of phenotypic stability. Part 1: theory Euphytica, Wageningen, v. 47, p. 189-194, 1990.

MIRANDA, G.V. Comparação de métodos de avaliação da adaptabilidade e estabilidade de comportamento de cultivares: exemplo com a cultura de feijão (Phaseolus vulgaris L.). 1993. 120 f. Tese (Mestrado em Genética e Melhoramento) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

MIRANDA, G.V.; VIEIRA, C.; CRUZ, C.D.; ARAÚJO, G.A.A. Comparação de métodos de avaliação da adaptabilidade e da estabilidade de cultivares de feijoeiro. Acta Scientiarum, Maringá, v. 20, p.249-255, 1998.

MUNIZ, J.A.; RAMALHO, M.A.P.; GONÇALVES, G.A. Avaliação da estabilidade de cultivares de milho em deferentes níveis de adubação e locais na região de Lavras-MG. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.20, n.3, p.267-274, jul./set. 1996.

MURAKAMI, D.M. Novas metodologias de análise de interação genótipos x ambientes: análise combinada de estratificação, adaptabilidade e estabilidade e análise de representatividade ambiental. 2001. 128 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

RIBEIRO JUNIOR, J.I. Análises estatísticas no Saeg. Viçosa: UFV, 2001. 301 p.

SAWAZAKI, E. Melhoramento do milho-pipoca. Campinas: Instituto Agronômico, Campinas, 1995. 21p.

SAWAZAKI, E. Parâmetros genéticos em milho- pipoca (Zea mays L.). Piracicaba, 1996. 157 f. Dissertação (Doutorado em Genética e Melhoramento de Plantas) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

SHIMIDT, E.R. Correção de rendimento de parcelas, estratificação ambiental e adaptabilidade e estabilidade de cultivares de milho. 2000. 178 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

SILVA, A.C.D. Adaptabilidade e estabilidade de comportamento de cultivares de milho (Zea mays L.) em duas densidades de plantio e em dez ambientes, na Zona da Mata de Minas Gerais. 1991. 78 f. Tese (Mestrado em Genética e Melhoramento) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

SOUZA, F.R.S. Estabilidade de cultivares de milho (Zea mays L.) em diferentes épocas de plantio em Minas Gerais. 1989. 80 f. Tese (Mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas) – Escola Superior de Agricultura de Lavras, Lavras.

TORRES, R.A.A. Estudo da estabilidade fenotípica de cultivares de milho (Zea mays L.). 1988. 133 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento de Plantas) – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piraricaba.

VENCOVSKY, R.; BARRIGA, P. Genética biométrica no fitomelhoramento. Ribeirão Preto: Sociedade Brasileira de Genética, 1992. 496p.

ZIEGLER, K.E.; ASHMAN, B. Popcorn. In: HALLAUER, A. R. Specialty corns, Ames: CRC Press, 1994. p.189-223.