Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Ajuste dos Parâmetros da Isoterma de Sorção de Hailwood e Horrobin para Madeira

DOI: http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v02n02a04

http://www.ufpel.tche.br/revistas/index.php/cienciadamadeira/index 

downloadpdf

Jackson R. Eleotério1 & Cláudia M. K. da Silva2

 

Resumo: A higroscopicidade da madeira representa uma das propriedades mais importantes no desenvolvimento do processo de secagem desse material. A determinação desta propriedade é muitas vezes desprezada pela disponibilidade de equações empíricas que estimam os parâmetros da isoterma de sorção proposta por Hailwood e Horrobin, que é uma das mais utilizadas para estimar a umidade de equilíbrio da madeira. O objetivo deste trabalho foi demonstrar que a umidade de equilíbrio deve ser determinada experimentalmente em uma ampla faixa de temperatura e umidade relativa do ar. O ajuste dos parâmetros específicos para a madeira de um grupo de espécies ou para cada espécie individualmente reduziu o erro na estimativa da umidade de equilíbrio. A constante de equilíbrio entre a água hidratada e dissolvida foi o parâmetro que apresentou maiores divergências. O efeito da temperatura foi no sentido de reduzir a adsorção monomolecular, especialmente até 60°C.

Palavras-chave: constantes de equilíbrio, adsorção monomolecular, adsorção polimolecular, umidade de equilíbrio

 

Abstract: The hygroscopicity of wood is one of the most important properties in the development of the drying process of this material. The determination of this property is many times disregarded because empirical equations are available to estimate the parameters of Hailwood and Horrobin sorption isotherm. This isotherm is one of the most popular way used to determine the wood equilibrium moisture content. The aim of this work is to show that the equilibrium moisture content must be experimentally determinated in a wider range of temperature and relative air humidity. The adjust of specific parameters for wood of a set of species or else to each specific specie reduced the errors in the estimated equilibrium moisture content. The equilibrium constant between hydrated and dissolved water was the parameter that showed greater differences. The effect of temperature was aimed to reduce the monomolecular adsorption, mostly until 60 °C.

Key words: equilibrium constants, monomolecular adsorption, polymolecular adsorption, equilibrium moisture content

 

1 Engenheiro Florestal, Dr., Professor do Departamento de Engenharia Florestal, Centro de Ciências Tecnológicas, Universidade Regional de Blumenau, Santa Catarina, Paraná, Brasil. E-mail: jreleote@furb.br
2 Graduanda (Bolsista PIBIC/CNPq) em Engenharia Florestal, Universidade Regional de Blumenau, Centro de Ciências Tecnológicas, Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, Santa Catarina, Brasil. E-mail: clau_mks6@hotmail.com

 

Literatura Citada

BARAÚNA, E. E. P. Umidade de equilíbrio da madeira de angelim vermelho (Dinizia excelsa Ducke), guariúba (Clarisia racemosa) e tauari vermelho (Cariniana micrantha Ducke) em diferentes condições de temperatura e umidade relativa. 2006. 61f. Dissertação (Mestrado) - Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2006.

CHAUHAN, S. S., AGGARWAL P., KARMARKAR A., PANDEY K. K. Moisture adsorption behaviour of esterified rubber wood (Hevea brasiliensis). Holz Als Roh- Und Werkstoff, Heildelberg, v.59, p.250-253, 2001.

ELEOTÉRIO, J. R. Modelagem e simulação do processo de secagem de madeiras serradas de espécies tropicais brasileiras. 2009. 255f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Engenharia Química, Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

JANKOWSKY, I. P.; GALVÃO, A. P. M. Influência do teor de extrativos na umidade de equilíbrio da madeira. IPEF, Piracicaba, v.18, p.1-33, jun. 1979.

JANKOWSKY, I. P.; BRANDÃO, A. T. O.; OLIVEIRA, H.; LIMA, J. C.; MILANO, S. Estimativas da umidade de equilíbrio para cidades da Região Sul do Brasil. IPEF, Piracicaba, v.32, p.61-64, 1986.

KEEY, R. B; LANGRISH, T. A. G.; WALKER, J. C. F. Kiln-drying of lumber. Berlin: Springer Verlag, 2000. 326p (Springer Series in Wood Science).

MARQUES, M. H. B. Agrupamento de 41 espécies de madeiras da Amazônia para secagem baseado em características anatômicas e físicas. 2008. 141f. Tese (Doutorado) - Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

SERNEK, M. Comparative analysis of inactivated wood surfaces. 2002. 193f. Tese (Doutorado) - Virginia Polytechnic Institute And State University, Blacksburg, 2002.

SIMPSON, W. T.. Equilibrium moisture content prediction for wood. Forest Products Journal, Madison, v.21, n.5, p.48-49, 1971.

SKAAR, C. Water in wood. New York: Syracuse University Press, 1972. 218p.

TRUGILHO, P. F.; LIMA, J. T.; MORI, F. A.; SILVA, J. R. M.; MENDES, L. M.; PINTO, L. V. A. Umidade de equilíbrio da madeira para diferentes condições de temperatura e umidade relativa em câmara de climatização. In: EBRAMEM - ENCONTRO BRASILEIRO EM MADEIRAS E EM ESTRUTURAS DE MADEIRA, 7., 2000, São Carlos (SP). Anais... São Carlos: EESC/USP, 2000.

WANGAARD, F. F.; GRANADOS, L. A. The effects of extractives on water-vapor sorption by wood. Wood Science And Technology, Heidelberg, v.1, n.4, p.253-277, 1967.