Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Definição de Plano Experimental para Comparação de Cultivares de Milho em Áreas Limitadas

DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v3n3p325-332

http://rbms.cnpms.embrapa.br/index.php/ojs/index 

downloadpdf

Thomas N. Martin1, Lindolfo Storck2, Sidinei J. Lopes3, Paula M. dos Santos4, Melissa P. de Carvalho5 & Henrique P. Damo6

 

Resumo: Com o objetivo de auxiliar o planejamento experimental para a cultura de milho, realizado em áreas experimentais limitadas, foi conduzido um experimento com quatro bases genéticas distintas (DAS 9560 - híbrido simples, AG 6018 - híbrido triplo, AG 303 - híbrido duplo e PAMPA - variedade cultivada). Utilizou-se a metodologia proposta por Hatheway (1961), que relaciona a diferença verdadeira entre duas médias de tratamentos e o número de unidades básicas, em três situações de números de repetições  (4, 8 e 16), a fim de verificar para o rendimento de grãos qual a combinação que pode minimizar a área experimental para a cultura de milho. Verificou-se que, em experimentos com a cultura de milho, nos quais a área experimental é limitada, os principais influenciadores são a heterogeneidade do material experimental (bases genéticas) e a heterogeneidade do solo, além do número de repetições e de tratamentos. Para valores altos do índice de heterogeneidade do solo e/ou da variabilidade genética de milho, recomenda-se, para uma dada área fixa, usar parcelas maiores e um menor número de repetições do que parcelas menores e maior número de repetições.

Palavras-chave: Zea mays L, restrição de área, tamanho de parcela e precisão experimental.

 

Abstract: With the objective of assisting the corn experimental planning carried out in limited areas, an experiment with four distinct genetic bases was led (simple hybrid – DAS 9560, triple hybrid – AG 6018, double hybrid - AG 303, cultivated variety – PAMPA). It was used the methodology proposed by Hatheway (1961), which relates the true difference between two treatment means and the number of basic units in three situations of repetition numbers (4, 8 and 16), in order to verify which combination minimizes the experimental area for the maize grain yields. As a result, it can be said that, in corn experiments in limited areas, the main influences are the heterogeneity of the experimental material (genetics) and the soil heterogeneity, besides the number of repetitions and treatments. For high values of the soil heterogeneity index and/or the corn genetic variability, using a fixed area, one should use bigger plots and a lesser number of repetitions instead of smaller plots and bigger repetition numbers.

Key words: Zea mays L, area restriction, plot size and experimental precision.

 

1 Engenheiro Agrônomo, Mestre em Agronomia, Doutorando ESALQ/USP.
2 Bolsista do CNPq. Engenheiro Agrônomo, Doutor, Professor Titular, Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria. CEP. 97105-900 Santa Maria, RS. E-mail: lindolfo@smail.ufsmbr (autor para correspondência).
3 Engenheiro Agrônomo, Doutor, Professor Adjunto do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria.
4 Aluna do PPG Agronomia da Universidade Federal de Santa Maria
5 Aluno do Curso de Agronomia da Universidade Federal de Santa Maria. Bolsa BIC/FAPERGS.
6 Aluno do Curso de Agronomia da Universidade Federal de Santa Maria. Bolsa PIBIC/CNPq. Trabalho executado com recursos financeiros da FAPERGS.

 

Literatura Citada

ARRIEL, N. H. C.; RAMALHO, M. A. P.; ANDRADE, H. B. Número de repetições e influência da seleção em progênies de meio-irmãos de Eucalyptus camaldulensis. Revista Árvore, Viçosa, v.7, n.2, p.213-223, 1993. 

BARBIN, D. Componentes de variância – teorias e aplicações. Piracicaba: FEALQ, 2.ed., 120p. 1993.

COMISSÃO DE FERTILIDADE DO SOLO-RS/SC. Recomendações de adubação e calagem para o estado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 3ed. Passo Fundo: SBCC – Núcleo Regional Sul, EMBRAPA/CNPT, 1995. 223p.

DE LA LOMA, J. L. Experimentación Agrícola. México: Hispano Americana, 1955. 500p.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos (Rio de Janeiro, RJ). Sistema brasileiro de classificação dos solos. Brasília: Embrapa- SPI, 1999. 412p.

GOMEZ, K. A.; GOMEZ, A. A. Statistical procedures for agricultural research. 2 ed. New York: John Wiley, 1984. 680p.

HATHEWAY, W. H. Convenient plot size. Agronomy Journal, Madison, v.53, n.4, p.279- 280, 1961. https://doi.org/10.2134/agronj1961.00021962005300040025x

LE CLERG, E. L.; LEONARD W. H.; CLARK. A. G. Field plot technique. Minneapolis: Burgues publishing, 1962. 373p.

LEMOS, M. A. Variabilidade fenotípica em híbridos simples, híbridos duplos, variedades e compostos de milho (Zea mays). 1976. 62f. Tese (Doutorado) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba.

LÚCIO, A. D. Parâmetros da precisão experimental das principais culturas anuais do Estado do Rio Grande do Sul. 1997. 64f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Agronomia, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria.

LUGO, F. C. Tamaño de parcela experimental y su forma. Revista de la Facultad Agronomia, La Plata, v.9, n.3, p.55-74, 1977.

MARKUS, R. Elementos de estatística aplicada. UFRGS - Faculdade de Agronomia: Porto Alegre, 1974. 329p.

MARQUES, D. G. As pressuposições e a precisão dos ensaios de competição de cultivares de milho no estado do Rio Grande do Sul. 1999, 42f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pósgraduação em Agronomia, Universidade Federal de Santa Maria.

PALOMINO, E.C.; RAMALHO, M. A. P.; FERREIRA, D. F. Tamanho da amostra para avaliação de famílias de meios-irmãos de milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.35, n.7, p.1433-1439, 2000. https://doi.org/10.1590/S0100-204X2000000700018

RAMALHO, M. A. P.; DUARTE, G. S.; SILVEIRA, J. V. Estimativas do tamanho ideal da parcela para experimentos com a cultura do feijão. Revista Ciência e Prática, Lavras, v.1, n.1, p.5-12, 1977.

RAMPTON, H. H.; PETERSEN, R. G. Relative efficiency of plot sizes and number of replications as indicated by yields of Orchardgrass Seed in a uniformity test. Agronomy Journal, Madison, v.54, n.3, p.247-249, 1962. https://doi.org/10.2134/agronj1962.00021962005400030019x

RESENDE, M. D. V. Seleção de genótipos de milho (Zea mays, L.) em solos contrastantes. 1989, 212f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Agronomia, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba.

SMITH, H. F. An empirical law describing heterogeneity in the yields of agricultural crops. Journal Agricultural Science, Camberra, n.28, p.1-23, 1938.

STEEL, R. G. D.; TORRIE, J. H.; DICKEY, D. A. Principles and procedures of statistics. Nova York: McGraw Hill Book, 3 ed. 1997. 666p.

STORCK, L.; GARCIA,.D.C; LOPES, S.J.; ESTEFANEL, V. Experimentação vegetal. Santa Maria: UFSM, 2000. 198p.

STORCK, L.; UITDEWILLIGEN, W. P. M. Estimativa para tamanho e forma de parcela e número de repetições para experimentos com milho (Zea mays L.). Agronomia Sulriograndense, Porto Alegre, n.16, v.2, p.269-282, 1980.