Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Tamanho de Semente, Profundidade de Semeadura e Crescimento Inicial do Milho em Duas Épocas de Semeadura

DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v3n3p370-380

http://rbms.cnpms.embrapa.br/index.php/ojs/index 

downloadpdf

Luís Sangoi1, Milton L. de Almeida2, Delson Horn3, Paula Bianchet4, Marcos A. Gracietti4, Amauri Schmitt4 & Cleber Schweitzer4

 

Resumo: A cultura do milho é altamente dependente da população de plantas para alcançar altos rendimentos de grãos. O estande final da lavoura é afetado por diversos fatores, entre os quais se incluem o tamanho da semente, a profundidade de semeadura e a época de implantação da cultura. Este trabalho foi conduzido objetivando avaliar os efeitos da utilização de sementes de tamanhos contrastantes e da variação na profundidade de semeadura sobre a emergência e crescimento inicial do milho, em duas épocas de semeadura. O trabalho foi implantado em caixas de madeira, com 1,2 m de lado e 30 cm de altura, sob condições naturais de radiação. Foram testadas duas épocas de semeadura: 29/01/2003 e 26/03/2003. Em cada época de cultivo utilizou-se um fatorial 4 x 2, no delineamento completamente casualizado, testando-se quatro profundidades de semeadura: 2,5 cm, 5,0 cm, 7,5 cm e 10,0 cm; e dois tamanhos de semente: grandes (massa de 1.000 grãos de 451,2g) e pequenas (massa de 1.000 grãos de 245,2g). Durante a fase de estabelecimento de estande, estimou-se a percentagem de plântulas emergidas, a velocidade de emergência e o comprimento do mesocótilo. Na colheita, efetuada quando as plantas apresentavam de quatro a cinco folhas expandidas, determinou-se a estatura de planta e o acúmulo de massa seca da parte aérea. Os dados foram analisados estatisticamente pela análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Duncan, ao nível de significância de 5%. O aumento na profundidade de semeadura de 2,5 cm para 10,0 cm reduziu a percentagem de plantas emergidas na semeadura feita no final de março. O tamanho da semente não interferiu sobre a percentagem e velocidade de emergência nas duas épocas de cultivo, independentemente da profundidade de semeadura. A utilização de sementes maiores propiciou a obtenção de plantas mais altas e com maior acúmulo de fitomassa na colheita. A quantidade de reservas presentes no endosperma foi mais importante para acelerar o crescimento inicial após a emergência do que para definir a quantidade de plântulas emergidas.

Palavras-chave: Zea mays, semente, emergência, temperatura de solo, estande.

 

Abstract: Maize is highly dependent on plant population to reach high grain yields. The crop stand definition is affected by several factors such as seed size, sowing depth and planting date. This work was carried out aiming to evaluate the impact of contrasting seed sizes and sowing depths on plant emergence and maize initial growth at two planting dates. The trial was performed in square boxes, measuring 1,2m wide and 0,3m high, under natural radiation conditions. Two planting dates were tested: 01/29/2003 and 03/ 26/2004. A 4 x 2 completely randomized factorial design was used at each planting date. Four sowing depths were evaluated: 2,5 cm, 5,0 cm, 7,5 cm and 10,0 cm. Two seed sizes were assessed: large (mass of 1,000 grains of 451.2g) and small (mass of 1,000 grains of 245,2). The percentage and speed of plant emergence were estimated during the stand establishment period. Plant height and shoot dry mass were determined at the harvesting day. Plants were harvested when they had four to five expanded leaves. A variance analysis was used to assess the data. Average data were compared through the Duncan’s Test at  5% probability level. The increase in sowing depth from 2,5 cm to 10,0 cm decreased the percentage of plant emergence when maize was sown at the end of March. Seed size did not affect the percentage and speed of plant emergence, regardless of sowing depth or planting date. Plants derived from large seeds were taller and heavier than those originated from small seeds. Endosperm stored compounds were more important to accelerate the plant initial growth after emergence than to define the quantity of emerged seedlings.

Key words: Zea mays, seed, emergence, soil temperature, stand.

 

1 Bolsista do CNPq. Engº Agrº, Ph.D., Professor da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC. Caixa postal 281, CEP. 88520-000 Lages, SC. E-mail: a2ls@cav.udesc.br (autor para correspondência).
2 Bolsista do CNPq. Engº Agrº, Dr., Professor da UDESC. E-mail: a2mla@cav.udesc.br
3 Bolsista do CNPq. Aluno do Curso de Mestrado em Ciência do Solo da UDESC.
4 Aluno do Curso de Agronomia da UDESC. Bolsista de Iniciação Científica.

 

Literatura Citada

ALMEIDA, M.L. de.; SANGOI, L.; VIEIRA, R. Jr. STRIEDER, M.; SILVA, L.C. da.; ZANIN, C.G. Análise da relação entre crescimento inicial e rendimento de grãos de híbridos de milho através do uso de sementes de diferentes tamanhos. In: REUNIÃO TÉCNICA CATARINENSE DE MILHO E FEIJÃO, 4, 2003, Lages. Resumos expandidos... Lages, UDESC, 2003. p.124-129.

ANDRADE, F.; CIRILO, A.; UHART, S.; OTEGUI, M. Ecofisiologia del cultivo de maiz. Buenos Aires: DEKALB, 1996. 292p.

ANDRADE, R.V.; ANDREOLI, C.; NETTO, D.A.M. Efeito do tamanho e da forma da semente na produtividade do milho. Sete Lagoas, EMBRAPA-CNPMS, 1998. 19p. (EMBRAPA-CNPMS, Boletim de Pesquisa, 3).

BREDEMEIER, C.; MUNDSTOCK, C.; BÜTTENBENDER, D. Efeito do tamanho das sementes de trigo no desenvolvimento inicial das plantas e no rendimento de grãos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.36, p.1061- 1068, 2001. https://doi.org/10.1590/S0100-204X2001000800008

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília: EMBRAPA, 1999. 412p.

FORSTHOFER, E.L.; SILVA, P.R.F. da.; ENDRIGO, P.C.; RAMBO, L; SUHRE, E.; SILVA, A.A. da.; STRIEDER, M.L. Emergência e desenvolvimento inicial de seis híbridos de milho em função de tamanho de sementes, profundidade de semeadura e de temperatura de solo. In: REUNIÃO TÉCNICA ANUAL DO MILHO,48, 2003, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: FEPAGRO, 2003. CD.

JANOWIAK, F.; LUCK, E.; DÖRFFLING, K. Chilling tolerance of maize seedlings in the field during cold periods in spring is related to chillinginduced increased in abscisic acid level. Journal of Agronomy and Crop Science, Berlim, v.189, p.156-161, 2003.

NASSIF, S.M.L.; PEREZ, S.C.J.G. Efeitos da temperatura na germinação de sementes de amendoim de campo. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.22, p.1-6, 2000. https://doi.org/10.17801/0101-3122/rbs.v22n1p1-6

RITCHIE, S.W.; HANWAY, J.J. How a corn plant develops. Ames, Iowa State University of Science and Technology, 1993. 26p. (Special Report, 48).

SALVADOR, R.J.; PEARCE, R.B. Proposed standard system of nomenclature for maize grain filling events and concepts. Maydica, Bérgamo, v.40, p.141-146, 1995.

SCOTTI, C.A.; KRZYZANOWSKI, F.C. Influência do tamanho da semente sobre a germinação e vigor em milho. Boletim Técnico Agronômico do Paraná, Londrina, v.5, p.1-10, 1977.

SHIEH, W.J.; McDONALD, M.B. The influence of seed size, shape and treatment on inbred seed corn quality. Seed Science and Technology, Zurich, v.10, n.2, p.307-313, 1982.

SILVA, P.R.F. da.; ARGENTA, G.; Ecofisiologia e fenologia das culturas do milho e do sorgo. In: PARFITT, J.M.B. Coord. Produção de milho e sorgo na várzea. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2000. p. 7-18.

SILVA, W.R.; MARCOS FILHO, J. Influência do peso e do tamanho das sementes de milho sobre o desempenho no campo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília. v.17, n.12, p.1743-1750, 1982.

STONE, P.J.; SORENSEN, I.B.; JAMIESON, P.D. Effect of soil temperature on phenology, canopy development, biomass and yield of maize in a cool-temperate climate. Field Crops Research, Amsterdam, v.63, p.169-178, 1999. https://doi.org/10.1016/S0378-4290(99)00033-7

TOLLENAAR, M.; WU, J. Yield improvement in temperate maize is attributable to greater stress tolerance. Crop Science, Madison, v. 39, p.1597- 1604, 1999. https://doi.org/10.2135/cropsci1999.3961597x

Von PINHO, E. V. R.; SILVEIRA, J. F.; VIEIRA, M. G. G. C., FRAGA, A. C. Influência do tamanho e do tratamento de sementes de milho na preservação da qualidade durante o armazenamento e posterior comportamento no campo. Ciência e Prática, Lavras, v.19, n. 1, p.30-36, 1995.