Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Uso da Avaliação não Destrutiva em Vigotas de Angelim Vermelho (Dinizia excelsa Ducke)

DOI: http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v03n02a06

http://www.ufpel.tche.br/revistas/index.php/cienciadamadeira/index 

downloadpdf

Caio F. A. M. de Almeida1, Cláudio H. S. Del Menezzi2 & Thyago C. da Silva1

 

Resumo: O objetivo do trabalho foi avaliar a madeira de angelim vermelho (Dinizia excelsa Ducke) por meio de métodos não destrutivos (vibração transversal, ultrassom e ensaio estático) e determinar o método mais adequado para estimar o módulo de elasticidade estático. Cinquenta vigas estruturais de angelim vermelho foram avaliadas não destrutivamente determinando-se os módulos de elasticidade estático (EM), o de vibração transversal (Edvt) e a constante dinâmica ultrassônica (CLL). Os resultados obtidos foram analisados por meio de regressão linear simples, utilizando como variáveis independentes o Edvt, o CLL e outras variáveis relacionadas para a estimativa de EM. Os resultados apontaram que o Edvt apresentou-se mais adequado do que o CLL para a estimativa de EM. Conclui-se que o método de vibração transversal foi o mais recomendado para o uso em Dinizia excelsa Ducke, sendo observados também bons resultados de rigidez para a espécie estudada.

Palavras-chave: madeira tropical, ultrassom, vibração transversal, módulo de elasticidade

 

Abstract: The objective of this paper was to evaluate the wood from Angelim Vermelho (Dinizia excelsa Duck) by means of nondestructive methods (transverse vibration, ultrasound and static bending) and also to determine the most suitable method to estimate static bending modulus of elasticity. Fifty structural beams from angelim vermelho were nondestructively evaluated and static bending modulus of elasticity (EM), transverse vibration (Edvt) and ultrasound stiffness coefficient (CLL) were calculated. Data was analyzed through linear simple regression using Edvt and CLL as predictors of EM. The results pointed out that Edvt was the most suitable variable to estimate EM in comparison to CLL. It could be concluded that transverse vibration is recommended to grade wood from Dinizia excelsa Ducke, which presented good values of stiffness.

Key words: tropical wood, ultrasound, transverse vibration, modulus of elasticity

 

1 Engenheiro Florestal, Departamento de Engenharia Florestal, Universidade de Brasília (UnB). E-mail: caioalmeida5@gmail.com, thyagocs@gmail.com
2 Doutor em Engenharia Florestal, Departamento de Engenharia Florestal, Universidade de Brasília (UnB). E-mail: cmenezzi@unb.br

 

Literatura Citada

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 7190: Projeto de estruturas de madeira. Rio de Janeiro: ABNT, 1997.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 7190: Projeto de estruturas de madeira (projeto de revisão). Rio de Janeiro: ABNT, 2010.

AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS (ASTM). ASTM D 4761: Standard test methods for mechanical properties of lumber and wood-base structural material. Philadelphia, 2002.

CALIL JÚNIOR, C.; MINÁ, A. J. S. Vibração transversal: um método eficiente para classificação de peças estruturais de madeira. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.7, n.2, p. 335-338, 2003.

CANDIAN, M. Estudo da classificação não-destrutiva de peças serradas de espécies cultivadas no Brasil para uso em estruturas. 2007. 154f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2007.

CARRASCO, E. V. M.; CARVALHO, E. P.; OLIVEIRA, A. L. C. Determinação da incerteza de medição nos ensaios de compressão paralela às fibras. Revista Árvore, v.32, n.1, p. 119-127, 2008.

DEL MENEZZI, C. H. S.; TOMASELLI, I.; SOUZA, M. R. Avaliação não-destrutiva de painéis osb modificados termicamente: parte 1-efeito do tratamento térmico sobre a velocidade de propagação de ondas de tensão. Scientia Forestalis, n.76, p. 67-75, 2007.

DEL MENEZZI, C. H. S.; SILVEIRA, R. S.; SOUZA, M. R. Estimativa das propriedades de flexão estática de seis espécies de madeiras amazônicas por meio da técnica não-destrutiva de ondas de tensão. Acta Amazonica, v.40, n.2, p. 325- 332, 2010.

EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL. Espécies arbóreas da Amazônia no. 6: angelimvermelho, Dinizia excelsa. 2004.

FIORELLI, J.; DIAS, A. A.; COIADO, B. Propriedades mecânicas de peças com dimensões estruturais de Pinus spp: correlação entre resistência à tração e classificação visual. Revista Árvore, v.33, n.4, p. 741-750, 2009.

GONÇALEZ J. C.; VALE, A. T.; COSTA, A. F. Estimativas das constantes elásticas da madeira por meio de ondas ultra-sonoras (ultra-som). Cerne, v.7, n.1, p. 81-92. 2001.

JANKOWSKY, I. P. Circular técnica nº 81 IPEF. Dezembro/1979.

NOGUEIRA, M. Classificação de peças de madeira serrada de dimensões estruturais de Eucalyptus sp. com uso de ensaios não-destrutivos. 2007. 204f. Tese (Doutorado em Agronomia) – Universidade Estadual Paulista, Botucatu, 2007.

PIRES, F. A. C.; DEL MENEZZI, C. H. S.; DE SOUZA, M. R. Grading structural tropical lumber using stress wave, transverse vibration and ultrasonic method. In: PROCEEDINGS 17TH INTERNATIONAL NONDESTRUCTIVE TESTING AND EVALUATION OF WOOD SYMPOSIUM, 2011, Sopron, Hungria. Anais… Sopron: University of West Hungary, 2011. p.223-230.

QUOIRIN, N. S. R. Diagnóstico de defeitos em madeira por tomografia de raios x. 2004. 142f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2004.

STANGERLIN, D. M.; CALEGARI, L.; SANTINI, E. J.; DOMINGUES, J. M. X.; GATTO, D. A.; MELO, R. R. Determinação do módulo de elasticidade em madeiras por meio de métodos destrutivo e não-destrutivo. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v.3, n.2, p. 145-150, 2008.

TARGA, L. A.; BALLARIN, A. W.; BIAGGIONI, M. A. M. Avaliação do módulo de elasticidade da madeira com uso de método não-destrutivo de vibração transversal. Engenharia Agrícola, v.25, n.2, p. 291-299, 2005.

TELES, R. F.; DEL MENEZZI, C. H. S.; SOUZA, F.; SOUZA, M. R. Nondestructive evaluation of a tropical hardwood: interrelationship between methods and physical-acoustical variables. Ciência da Madeira, v.2, n.1, p. 1-14, 2011.