Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Identificação, Seleção e Caracterização das Espécies Vegetais Destinadas ao Jardim Sensorial Tumucumaque, Município de Serra do Navio, AP/ Brasil

DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v3n1p22-30

http://periodicos.unifap.br/index.php/biota/index 

downloadpdf

Cristiane R. Menezes1 & Edna L. Hardoim2

 

Resumo: No jardim sensorial as espécies utilizadas para paisagismo devem ter características específicas que despertem os sentidos dos seres humanos tais como o olfato, tato e visão. Atualmente o Jardim Sensorial (JS) tem sido objeto de estudos relacionados com o Ensino de Ciências como um espaço destinado às aulas práticas nas escolas de Ensino Fundamental, além de constituir-se uma ferramenta de inclusão para alunos com necessidades educacionais especiais. A escolha de espécies que atendam tais características inerentes ao Jardim Sensorial é o objetivo deste trabalho. Desta forma foi realizada a visita em cinco locais com JS para verificação das plantas ornamentais ali existentes, sendo posteriormente feita a análise e classificação destas para sua utilização no Jardim sensorial. As plantas selecionadas foram classificadas segundo seu hábito, habitat, grupo evolutivo e características sensoriais e os resultados agrupados em tabelas e quadros demonstrativos. Foram previamente selecionadas as seguintes espécies: Acalypha reptans Sw., Aloe vera (L.) Burm, Alternanthera dentata (Moench) Stuchlik ex RE Fr.., Anthurium andraeanum Linden, Arachis repens Handro, Catharanthus roseus (L.) G.Don, Episcia cupreata (Hook.) Hanst., Ixora coccinea L., Melissa officinalis L., Mentha sp, Ocimum basilicum L., Rosmarinus officinalis L., Sanseviera trifascinata Prain, Zoynia tenuifolia Thiele. Os resultados das informações obtidas demonstraram a predominância de espécies exóticas e introduzidas em relação as nativas, isto se deve a escassez de pesquisas direcionadas para a identificação de espécies nativas com potencial de uso paisagístico, e em especial para Jardim sensorial.

Palavras-chave: Ensino de Ciências; Amazônia; Etnobotânica.

 

Abstract: In the sensory garden species used for landscaping must have specific characteristics that arouse the senses of human beings such as smell, touch and sight. Currently Sensory Garden has been the subject of studies related to the Teaching of Science as a space for the practical classes in the schools of basic education, as well as building up a tool of inclusion for students with special needs. The choice of species that meet these characteristics inherent in the Sensory Garden is the objective of this work. Thus the visit was conducted in 05 sites for verification of ornamental plants that exist there, and later performed the analysis and classification of these for use in the sensory garden. The selected plants were classified according to their habit, habitat, evolutionary group and sensory characteristics and the results grouped in tables and charts statements, also was concerned with the correct taxonomic identification of species. We selected the following species: Acalypha reptans Sw., Aloe vera (L.) Burm, Alternanthera dentata (Moench) Stuchlik ex RE Fr.., Anthurium andraeanum Linden, Arachis repens Handro, Catharanthus roseus (L.) G.Don, Episcia cupreata (Hook.) Hanst., Ixora coccinea L., Melissa officinalis L., Mentha sp, Ocimum basilicum L., Rosmarinus officinalis L., Sanseviera trifascinata Prain, Zoynia tenuifolia Thiele. The results demonstrated the predominance of exotic species introduced for the native, this is due to lack of research directed towards the identification of native species with potential use landscaping, and special sensory garden.

Key words: Science education; Amazon; ethnobotany.

 

1 Universidade Federal do Amapá, Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Laboratório de Botânica; Rodovia JK, Km 02, Zerão, Macapá-AP, CEP: 68.902-280. Email: cristiane.r.menezes@gmail.com
2 Universidade Federal do Mato Grosso, Instituto de Biociências, Departamento de Botânica e Ecologia; Boa Esperança, Cuiabá-MT, CEP: 78.060-900. E-mail: ehardoim@terra.com.br

 

Literatura Citada

ALVES, S.F.N.S.C.; PAIVA, P.D.O. Os sentidos: jardins e paisagens. Revista Brasileira de Horticultura ornamental. V 16, nº01, 47-49, 2010.

BINS ELY V.H.M. et al. Jardim Universal – Espaço Livre Público Para Todos. In ABERGO – XIV Congresso Brasileirode Ergonomia, Curitiba, 2006. Disponível em: <http://www.arq.ufsc.br/petarq/wp-content/uploads/2008/02/abergo-25.pdf> Acessado em: 09 mar. 2012.

BORGES, T. A.; PAIVA, S.R. Utilização de Jardim Sensorial como recurso didático. Revista Metáfora Educacional. nº 7(dez), p. 27-32. 2009.

BRANCO, M.G.F.C. et al. A Biodiversidade como aliada na elaboração da proposta de um jardim sensorial para a Universidade Federal de Pernambuco – Malvaceae e Asteraceae. Anais do III Simpósio Nordestino de Ciências Biológicas. 213-220. 2010

CARVALHO, C. S. P. de. O jardim sensorial: um recurso para a estimulação sensorial de surdocegos. Dissertação, Escola Superior de Educação de Lisboa. 180p. 2011

EVANGELISTA, V. Jardim de cheiros: mensagens aromáticas. Brasília: Jardim Botânico de Brasília, 47p. 2010.

FARIA, C.O.; FARIA, A.C.O. O Jardim Botânico do Rio de Janeiro como espaço de aquisição de conceitos ecológicos. Anais do VIII Congresso de Ecologia do Brasil, 23 a 28 de Setembro de 2007, Caxambu – MG, p: 01- 03. 2007

FRANÇÃO, P. et al. Jardim Sensorial: Uma Trilha para os Sentidos. In: 3º Congresso Internacional de Medicina e Reabilitação da AACD e 5º Congresso de Reabilitação da ORITEL, 2005, São Paulo. 3º Congresso Internacional de Medicina e Reabilitação da AACD e 5º Congresso de Reabilitação da ORITEL, 2005.

HUSSEIN, H. The Influence of Sensory Gardens on the Behaviour of Children with Special Educational Needs. Asian Journal of Environment-Behaviour Studies, Volume 2, No.4, January, p: 77-93. 2011.

HUSSEIN, H. An Exploratory Study of Sensory Gardens. Disponível em: <http://premisejournal.blogspot.com.br/2009/04/exploratory-study-of-sensory-gardens.html>. Acessado em 12 de Março de 2012. JARDIM SENSORIAL. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/arboreto/jd_cegos.htm>. Acessado em 12 de Março de 2012.

JARDIM SENSORIAL DA AMAZÔNIA. Projeto Institucional. 25 p. Belém-PA. 2005.

LEÃO, J. F. M. C. Identificação, seleção e caracterização de espécies vegetais destinadas à instalação de jardins sensoriais táteis para deficientes visuais, em Piracicaba (SP), Brasil. Piracicaba, 133 p. 2007. http://dx.doi.org/10.11606/t.11.2007.tde-18102007-104447

NUNES, C.S.M; MOREIRA DA SILVA, F.J.C. DESIGN DE ESPAÇOS EXTERIORES: Concepção de Parques e Jardins Adaptados à Terceira Idade. Anais do 5º Congresso Internacional de pesquisa em Design. Bauru, São Paulo/ Brasil. P: 1995-2002. 2009.

ROCHA, L.M.G.M.; BRITTO, Y.L.O. Jardim Sensorial: Qual o limite de seus sentidos ?. Disponível em: <http://latu21.latu.org.uy/espacio_ciencia/es/images/RedPop/Museologia/M18.pdf>. 2009. Acessado em 12 de Março de 2012.

SABBAGH, M.C.; CUQUEL, F.L. Jardim Sensorial: uma proposta para crianças deficientes visuais. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental. v. 13, n.2, p. 95-99, 2007.

SENSORY TRUST. Disponível em: <http://www.sensorytrust.org.uk>. Acessado em 12 de março de 2012.

SOUZA, V.C.; LORENZI, H. Botânica Sistemática: guia ilustrado para identificação das famílias de Fanerógamas nativas e exóticas no Brasil, baseado em APG II. 2º Ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 704p. 2008.