Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Malária em Gestantes Atendidas no Hospital da Mulher Mãe Luzia, em Macapá, Amapá, Brasil

DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v3n1p74-84

http://periodicos.unifap.br/index.php/biota/index 

downloadpdf

Rafael C. S. dos Santos1 & Vanja S. C. D. Couto2

 

Resumo: A malária é uma doença infecciosa e parasitária com manifestações episódicas de caráter agudo e de evolução crônica, causada por um protozoário do gênero Plasmodium e transmitida ao homem pela picada do mosquito fêmea do gênero Anopheles. As mulheres grávidas são vulneráveis à malária porque o seu estado de imunidade se modifica durante a gestação, tornando-a mais suscetível às alterações no curso da gravidez. Este trabalho tem como objetivo descrever a ocorrência de casos da malária em gestantes atendidas no Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), em Macapá, Amapá, no período de 2009 a 2010. Trata-se de um estudo documental, que utilizou a abordagem quantitativa, com coleta retrospectiva de dados. Os resultados apontam que a anemia ocorreu em 92,6% das gestantes com malária, cuja maior proporção ocorreu nas grávidas infectadas com o P. falciparum; a plaquetopenia foi encontrada em 100% das gestantes estudadas; os principais achados obstétricos, associados à malária, foram o oligodrâmnio, a ameaça de parto prematuro e o óbito fetal; o tempo médio geral de internação nas gestantes infectadas com malária foi três vezes superior ao tempo de tratamento recomendado pelo Ministério da Saúde, e a maior média de tempo de tratamento ocorreu nas gestantes infectadas com o P. falciparum e tratadas com o Coarten®. Conclui-se que a infecção malárica em gestantes ocorre, principalmente, em mulheres jovens infectadas pelo P. vivax, sendo a plaquetopenia e a anemia as principais alterações hematológicas, causadas, em especial pela forma P. falciparum; e não houve consenso entre os procedimentos terapêuticos realizados.

Palavras-chave: Malária, Gestante, Plasmódio, Macapá, Amapá.

 

Abstract: Malaria is an infectious, parasitic and systemic character with episodic manifestations of acute and chronic disease caused by protozoa of the genus Plasmodium and transmitted to humans by the bite of female mosquito of the Anopheles genus. Pregnant women are vulnerable to malaria because their immune status changes during pregnancy, making it more susceptible to changes in pregnancy. This paper aims to describe the occurrence of cases of malaria in pregnant women attending the Women's Hospital Mother Luzia (HMML) in Macapa, Amapa, in the period 2009 to 2010. It is a desk study, which used a quantitative approach, with retrospective data collection. The results show that the anemia occurred in 92, 6% of pregnant women with malaria, whose highest proportion occurred in pregnant women infected with P. falciparum; thrombocytopenia was found in 100% of the women studied; the major obstetric findings, associated with malaria, were oligohydramnio, the threat of premature birth and fetal death; the average general hospital in pregnant women infected with malaria was three times the length of treatment recommended by Ministry of Health, and most average time of treatment occurred in pregnant women infected with P. falciparum and treated with Coarten ®. We conclude that malaria infection in pregnant women occurs primarily in young women infected with P. vivax, the thrombocytopenia and anemia being the main hematologic changes caused in particular by the way P. falciparum; and there was no consensus among the therapeutic procedures performed.

Key words: Malaria, Pregnancy, Plasmodium, Macapá, Amapá.

 

1 Enfermeiro. Doutorando em Enfermagem pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Assistente no curso de Enfermagem da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Email: rcleison@unifap.br
2 Médica. Doutora em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da UNIFAP. Email: vs.pc@hotmail.com

 

Literatura Citada

ALMEIDA, L. B.; BARBOSA, M. G. V.; MARTINEZ-ESPINOSA, F. E. Malária em mulheres de idade de 10 a 49 anos, segundo o SIVEP - malária, Manaus, Amazonas, 2003 - 2006. Revista Sociedade Brasileira Medicina Tropical. v. 43, n. 3, p. 304-8, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822010000300018

ANDRADE, R. F. Malária e migração no Amapá: projeção espacial num contexto de crescimento populacional. Belém: NAEA, 2008.

ASAYAG, C. R..; IGLESIAS, P. P. Malaria en gestantes entre marzo del 2002 y julio del 2003: experiencia en el hospital regional de Loreto, Perú. Acta Medica Peru. v. 25, n. 4, p. 220-23, 2008.

AYRES, M.; AYRES, J. M.; AYRES, D. L. Bioestat Versão 5.0 - Aplicações estatísticas nas áreas das ciências biomédicas. Belém: Sociedade Civil Mamirauá, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia prático para tratamento de malária no Brasil. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Importância da gota espessa nas consultas de pré-natal. Nota Técnica. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica - notificação de casos de malária. Relatórios. Resumo epidemiológico: região malária. Brasília: Secretária de Vigilância em Saúde, 2009.

CALVOSA, V. S. P. Avaliação do papel de anticorpos (lgG) antimaláricos transferidos da mãe para o feto na ocorrência de malária neonatal: outros fatores de importância. 1995. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Pará, Belém, 1995.

CHAGAS, E. C. S.; et al. Malária durante a gravidez: efeito sobre o curso da gestação na região Amazônica. Revista Panamericana Saúde Pública. v. 26, n 3, p. 203-8, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892009000900003

FERNANDES, F. B.; LOPES, R. G. C.; MENDES FILHO, S. P. M. Malária grave em gestantes. Revista Brasileira Ginecologia Obstetrícia. v. 32, n, 12, p. 579-83, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032010001200003

FERRARINI, M. A. G.; et al. Malária congênita: descrição de um caso e revisão da literatura. Jornal Pediátrico. v. 45, n 4, p. 140-45, 2009.

GARNHAM, P. C. C.; DUGGAN, A. J. Catalogue of garnham colection of malaria parasites and opher haemosporidia. London: William Clowes Ltd, 1986.

JARUDE, R.; TRINDADE, R.; TAVARES-NETO, J. Malária em gestantes de uma maternidade pública de Rio Branco (Acre, Brasil). Revista Brasileira Ginecologia Obstetrícia. v. 25, n, 3, p. 149-54, 2003.

LACERDA, M. V. G. Manifestações clínicas e patogênese da plaquetopenia da malária. Tese (Doutorado). Universidade de Brasília: Brasília 2007.

LEÃO, R. N. Q. Doenças infecciosas e parasitárias: enfoque amazônico. Belém: CEJUP, 1997.

MADI, J. M.; ARAÚJO, B. F.; ZATTI, H. Doenças infecciosas na prática obstétrica e neonatal. Rio de Janeiro: Rúbia, 2008.

MARTÍNEZ-ESPINOSA, F. E. Malária e gravidez na região Amazônica: prevalência de infecção em mulheres de idade do município de Coari, 2001 - 2002. 2003. Tese (Doutorado). Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2003.

MARTÍNEZ-ESPINOSA, F. E. Malária na gravidez: estudo de pacientes do instituto de medicina tropical do Amazonas, Brasil, 1990-1997. 1998. Dissertação (Mestrado). Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 1998.

MARTÍNEZ-ESPINOSA, F. E.; DANIEL-RIBEIRO, C. T.; ALECRIM, W. D. Malaria during pregnancy in a reference centre from the Brazilian Amazon: unexpected increase of Plasmodium falciparum infections. Memorial Instituto Oswaldo Cruz. v. 99, n. 1, p. 19-21, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S0074-02762004000100003

MARTINS, C. R. N. Políticas em farmacovigilância: o caso da reação adversa a medicamentos antimaláricos utilizados em mulheres grávidas no estado do Amapá. 2008. Dissertação (Mestrado): Universidade Federal do Amapá, Macapá, 2008.

NEVES, D. P. Parasitologia humana. 11 ed. São Paulo: Atheneu, 2010.

PIÑEROS, J. G.; BLAIR, T. S. Malaria y embarazo. Infectio. v. 6, n. 3, p. 168-76, 2002.

RAMOS, M. M.; MAFRA, S. S. Prevalência de malária em gestantes atendidas nos programas de pré-natal nas unidades básicas de saúde em Macapá, Amapá. 2007. Monografia. Faculdade Seama, Macapá, 2007.

SANTOS, R. C. S.; ARAÚJO, O. C. L. Malária na gestação. Estação Científica. v. 1, n. 2, p. 45-53, 2011.

SIMÕES, M. C. R. Prevalência de partos prematuros no hospital de base dr. Ary Pinheiro (Porto Velho - RO) causados por malária durante a gestação no período de 2001 a 2003 em usuárias do SUS. 2006. Dissertação (Mestrado). Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

VENTURA, A. M. R. S. Anemia da malária por Plasmodium vivax: estudo clínico e laboratorial em crianças e adolescentes. Tese (Doutorado). 2010. Instituto Oswaldo Cruz: Rio de Janeiro, 2010.

VERONESI, R.; FOCACCIA, R. Tratado de infectologia. 3 ed. São Paulo: Atheneu, 2006.

WHO, World Health Organization. Guidelines for the treatment of malaria. Geneva: World Health Organization, 2006.

WHO, World Health Organization. The world health report 2005: make every mother and child count. Geneva: World Health Organization, 2005.