Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Potencial Utilitário de Licófitas e Samambaias: Aplicabilidade ao Contexto Amazônico

DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v5n1p68-73

http://periodicos.unifap.br/index.php/biota/index 

downloadpdf

Gisele Teixeira1, Sebastião Maciel2 & Marcio R. Pietrobom3

 

Resumo: O uso de plantas para fins alimentícios, medicinais ou fonte de renda é comumente citado para plantas vasculares superiores, porém, pouco se sabe sobre o uso de licófitas e samambaias. Há registros sobre o uso medicinal dessas plantas na Amazônia, no entanto, são relegadas, muitas vezes, apenas ao caráter ornamental. O presente estudo teve por objetivos: contribuir com o conhecimento de licófitas e samambaias na Amazônia brasileira, através do levantamento das espécies na Ilha de Trambioca, Barcarena, Pará; e apontar formas de uso das espécies, através de referências encontradas na literatura. O material botânico foi coletado entre os anos 2007 e 2009, o material testemunho foi depositado no Herbário João Murça Pires (MG) e as informações relativas à utilidade das espécies foram obtidas em diferentes fontes bibliográficas. Foram registradas 41 espécies pertencentes a 28 gêneros e 15 famílias, sendo Pteridaceae (10 spp.), Polypodiaceae (7 spp.), Hymenophyllaceae (6 spp.) e Lomariopsidaceae (5 spp.) as mais representativas. Das 41 espécies registradas, 20 foram identificadas com algum potencial utilitário, em sua maioria, medicinais (16 spp.) e ornamentais (7 spp.), e uma minoria com finalidade ritualística (3 spp.), propriedades tóxicas (2 spp.) ou comestíveis (1 sp.). Apesar da pequena quantidade de informações disponíveis sobre o uso dessas plantas, várias aplicações foram apontadas neste estudo, o que evidencia a necessidade de pesquisas a fim de investigar as propriedades atribuídas a elas, identificar mais espécies utilizadas e incentivar o uso sustentável das mesmas.

Palavras-chave: Amazônia, Pará, samambaias, usos, medicinal.

 

Abstract: The use of plants for subsistence, medicinal purposes or source of income is commonly cited to higher vascular plants, however, there are little knowledge about the use of lycophytes and ferns. There are records about the medicinal use of these plants in the Amazon, but they are relegated often the ornamental character. This paper aimed to: contribute to the knowledge of lycophytes and ferns in the Brazilian Amazon by the survey of species on the Trambioca Island, Barcarena, Pará; and indicate ways of use of species founded in the literature. The botanical material was collected between 2007 and 2009, the reference material was deposited in the herbarium João Murça Pires (MG) and information regarding the usefulness of the species were obtained from different literature sources. We recorded 41 species belonging to 28 genera and 15 families, and Pteridaceae (10 spp.), Polypodiaceae (7 spp.), Hymenophyllaceae (6 spp.) and Lomariopsidaceae (5 spp.) were most representative families. Of the 41 species recorded, 20 were identified with some usefulness, the mostly used for medicinal (16) and ornamental (7) purposes, and a minority with ritualistic purpose (3) toxic properties (2) or edible (1). Despite of the little information available on the use of these plants, several applications were pointed in this study, which indicates that researches are need to investigate the assigned properties to these plants, to identify more species used and encourage the sustainable use of the same.

Key words: Amazon, Pará, ferns, uses, medicinal.

 

1 Mestre em Ciências Biológicas, concentração em Botânica Tropical. Endereço: Universidade Federal do Pará – Campus do Guamá, Rua Augusto Corrêa, 01, Guamá, Belém-PA, CEP 66075-110. E-mail: giseleteixeira.bio@gmail.com
2 Mestre em Ciências Biológicas, concentração em Botânica Tropical. Endereço: Museu Paraense Emílio Goeldi - MCT, Campus de Pesquisa, Coordenação de Botânica, Av. Perimetral, 1901, Terra Firme, Belém-PA, CEP. 66017-970, fone: (91) 3274-9280. E-mail: macielbio@yahoo.com.br
3 Doutor em Biologia Vegetal. Endereço: Universidade Federal do Pará - MEC. Campus de Bragança, Instituto de Estudos Costeiros, Faculdade de Ciências Naturais, Alameda Leandro Ribeiro s/n, Aldeia, Bragança-PA, CEP. 6860000, fone: (91) 3425-1288. E-mail: pietrobomsilva@yahoo.com

 

Literatura Citada

ALMEIDA, R. Amazônia, Pará e o mundo das águas do Baixo Tocantins. Estudos avançados, v. 24, n. 68, p. 291-298, 2010.

AMARAL, P.; VERÍSSIMO, A.; BARRETO, P.; VIDAL, E. Floresta para Sempre: um manual para produção de madeira na Amazônia. Belém: Imazon, 1998.

AMARAL, D.D., BASTOS, M.N., SILVA, A.S.L., OLIVEIRA, J., LISBOA, L.R.C., ROSÁRIO, C.S., GOMES, A., SILVA, C.A.; AGUIAR, J. Inventário da flora da região de Barcarena, Pará. Relatório Final. Belém, Ministério da Ciência e Tecnologia, Museu Paraense Emílio Goeldi, 2002.

AMOROZO, M.C.M.; GÉLY, A. Uso de plantas medicinais por caboclos do Baixo Amazonas, Barcarena, PA, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Botânica, v. 4, n. 1, p. 47-13, 1988.

BORGES, R.; PEIXOTO, A.L. Conhecimento e uso de plantas em uma comunidade caiçara do litoral sul do estado do Rio de Janeiro, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 23, n. 3, p. 769-779, 2009.

BRAGA, R. Plantas do Nordeste, especialmente do Ceará. Mossoró: Escola Superior de Agricultura, 1976.

COSTA, J.R.; MITJA, D. Uso dos recursos florestais por agricultores familiares de Manacapuru (AM). Acta Amazônica, v. 40, n. 1, p. 49-58, 2010.

COSTA, J. M.; PIETROBOM, M. R. Pteridófitas (Lycophyta e Monilophyta) da Ilha de Mosqueiro, município de Belém, estado do Pará, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi Ciências Naturais, v.2, n. 3, p. 45-55, 2007.

COSTA, J. M.; PIETROBOM, M. R. Samambaias e licófitas do Parque Ecológico do Gunma, município de Santa Bárbara do Pará, estado do Pará, Brasil. Rodriguésia, v. 61, n. 2, p. 223-232, 2010.

FERNANDES, R. S.; MACIEL, S.; PIETROBOM, M. R. Licófitas e monilófitas das Unidades de Conservação da Usina Hidroelétrica - UHE de Tucuruí, Pará, Brasil. Hoehnea, v. 39, p. 247-285, 2012.

FIDALGO, O.; BONONI, V.L.R. Técnicas de coleta, preservação e herborização de material botânico. São Paulo, 1989.

FRANÇA, T.N., TOKARNIA, C.H.; PEIXOTO, P.V. Enfermidades determinadas pelo princípio radiomimético de Pteridium aquilinum (Polypodiaceae). Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 22, n. 3, p. 85-96, 2002.

HOLMGREN, P.K.; HOLMGREN, N.H.; BANETT, L.G. Index Herbariorum. Part 1: The herbaria of the world. 8th ed. Memoirs of the New York Botanical Garden, New York, 1990.

KRAMER, K.U.; GREEN, P.S. Pteridophytes and Gymnosperms In: K. KUBITZKI (Ed.). The Families and Genera of Vascular Plants, v 1. Berlim: Springer-Verlag, 1990. p. 11-277. http://dx.doi.org/10.1007/978-3-662-02604-5

MACÍA, M.J. A Comparison of Useful Pteridophytes between Two Amerindian Groups from Amazonian Bolivia and Ecuador. American Fern Journal, v. 94, n. 1, p. 39-46, 2004.

MACIEL, S.; SOUZA, M. G. C.; PIETROBOM, M. R. Licófitas e monilófitas do Bosque Rodrigues Alves Jardim Botânico da Amazônia, município de Belém, estado do Pará, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ciências Naturais, v. 2, n. 2, p. 69-83, 2007.

MORAIS-BRAGA, M.F.B.; SOUZA, T.M.; SANTOS, K.K.A.; GUEDES, G.M.M.; ANDRADE, J.C.; TINTINO, S.R.; COSTA, J.G.M.; MENEZES, I.R.A.; SARAIVA, A.Á.F.; COUTINHO, H.D.M. Atividade antibacteriana, antifúngica e moduladora da atividade antimicrobiana de frações obtidas de Lygodium venustum SW. Boletim latinoamericano e do Caribe de plantas medicinais e aromáticas, v. 12, n. 1, p. 38-43, 2013.

MORAN, R.C. A natural history of ferns. Portland: Timber Press, 2004.

NETO, G.G. O saber tradicional pantaneiro: as plantas medicinais e a educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 17, p. 71-89, 2006.

PICHI-SERMOLLI, R.E.G. Authors of Scientifc names in Pteridophyta. Kew: Royal Botanical Garden, 1996.

PRYER, K. M.; SCHUETTPELZ, E.; WOLF, P. G.; SCHNEIDER, H.; SMITH, A. R.; CRANFILL, R. Phylogeny and evolution of ferns (monilophytes) with a focus on the early leptosporangiate divergences. American Journal of Botany, v. 91, p. 1582–1598. 2004.

RODRIGUES, L.M.B.; LIRA, A.U.S; SANTOS, F.A.; JARDIM, M.A.G. Composição floristica e usos das espécies vegetais de dois ambientes de floresta de várzea. Revista Brasileira de Farmácia, v. 87, n. 2, 45-48, 2006.

SANTIAGO, A.C.P.; SOUSA, M.A.; SANTANA, E.S.; BARROS, I.C.L. Samambaias e licófitas da Mata do Buraquinhos, Paraíba, Brasil. Biotemas, v. 27, n. 2, p. 9-18, 2014.

SANTOS, M.G.; MAYHÉ-NUNES, A.J. Contribuição ao estudo das interações entre pteridófitas e formigas. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, n. 2, p. 381-383, 2007.

SANTOS, M.G.; SYLVESTRE, L.S. Aspectos florísticos e econômicos das pteridófitas de um afloramento rochoso do Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Acta botanica brasílica, v. 20, n. 1, p. 115-124, 2006.

SILVA, A.S.; ANDRADE, L.H.C. Etnobotânica Xucuru: espécies místicas. Biotemas, v. 15, n. 1, p. 45-57, 2002.

SILVA, S.C.P.; PEREIRA, C.F.; FRAXE, T.J.P; WITKOSKI, A.C.; SILVA, M.A.P. A coleta de produtos florestais nas comunidades da área de atuação do Piatam. In: FRAXE, T.J.P.; PEREIRA, H.S.; WITKOSKI, A.C. Comunidades ribeirinhas amazônicas: modos de vida e uso dos recursos naturais. Manaus: EDUA, 2007.p. 141-154.

SIMONIAN, L.T.L. Gestão em ilhas de muitos recursos, história e habitantes: experiências na Trambioca–Barcarena/PA. Belém: NAEA-UFPA; Projeto NAEA/FFORD, 2004.

SMITH, A. R.; PRYER, K. M.; SCHUETTPELZ, E.; KORALL, P.; SCHNEIDER, H.; WOLF, P. G. A classification for extant ferns. Taxon, v. 55, n. 3, p. 705-731, 2006.

SMITH, A.R., PRYER, K.M., SCHUETTPELZ, E., KORALL, P., SCHNEIDER, H.; WOLF, P.G. Fern classification. In: RANKER, T.A; HAUFLER, C.H. (eds.). Biology and Evolution of Ferns and Lycophytes. Cambridge: University Press, 2008. p. 417-467.

SOUZA, A.P.S; LISBOA, R.C.L. Musgos (Bryophyta) na Ilha Trambioca, Barcarena, PA, Brasil. Acta Botânica Brasilica, v. 19, n. 30, p. 487-492, 2005.

SUFFREDINI, I.B.; BACCHI, E.M. & KRAUS, J.E. Estudo farmacognóstico do caule e raízes de Microgramma squamulosa (Kaulf.) Sota (Polypodiaceae). Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 18, n. 2, p. 279-286, 2008.

TRYON, R. M.; CONANT, D. S. The ferns of Brazilian Amazonia. Acta Amazônica, v. 5, p. 23-34, 1975.

ZUQUIM, G., COSTA, F.R.C., PRADO, J.; TUOMISTO, H. Guia de Samambaias e Licófitas da REBIO Uatumã. Manaus: Amazônia Central, 2008.