Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Análise do Nível de Serviço e do Custo de Estoques MRO de Uma Mineradora

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2359-5302/ptr.v1n1p111-124

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/ptr/index 

downloadpdf

Nazaré A. G. S. da Silva1, Talita A. da Silva2 & Alexandre de C. Rodrigues3

 

Resumo: De acordo com o Banco Mundial, em 2014, o Brasil caiu em 20 postos no ranking logístico em um total de 160 países avaliados. A situação desfavorável evidencia a necessidade de estratégias que permitam às empresas manterem-se competitivas. Nas mineradoras o investimento em logística destina atenção especial à gestão de estoques, como dos materiais de Manutenção, Reparo e Operação (MRO), que influenciam diretamente na disponibilidade dos recursos de produção e são comumente geridos através de softwares Resource Planning (MRP), automaticamente. Objetivando determinar a eficácia desse processo, realizou-se um estudo de caso em uma destas empresas, aplicando-se uma pesquisa de propósito explicativo e natureza aplicada, na abordagem de um modelo quali-quantitativo de análise do custo e nível de serviço do estoque MRO. Os resultados demonstraram que com o MRP reduzem-se os esforços na avaliação diária do cenário de reposição, contudo, nem sempre obtém-se a melhor alternativa econômica para a organização.

Palavras-chave: Estoque para MRO (Manutenção, Reparo e Operação); MRP (Manufacturing Resource Planning); Custos; Nível de serviço.

 

Abstract: According to the World Bank, in 2014, Brazil dropped 20 posts in the logistics ranking for a total of 160 countries valued. The unfavorable situation highlights the need for strategies that enable companies to remain competitive. In mining companies, the investment in logistics is designed special attention to stocks management as of Maintenance materials, Repair and Operation (MRO), which directly influence the availability of production resources and are commonly managed through Manufacturing Resource software Planning (MRP), automatically. In order to determine the effectiveness of this process, there was a case study in one of these companies, applying an explanatory purpose of research and applied nature, the approach of a qualitative and quantitative analysis model of cost and service level the MRO stocks. The results showed that, in fact, with the MRP reduces the efforts in the daily assessment of the replacement scenario, however, always yields the best economic alternative to the organization.

Key words: Stock for MRO (Maintenance, Repair and Operation); MRP (Manufacturing Resource Planning); Costs; Service level.

 

1 Graduanda em Engenharia de Produção pelo Centro Universitário Izabela Hendrix (CEUNI), Analista de Planejamento de Estoque da MRO Logistics, nazare.aparecida@mrologistics.com.br
2 Graduanda em Engenharia de Produção pelo Centro Universitário Izabela Hendrix (CEUNI), Analista de Logística da MRO Logistics, talita.silva@mrologistics.com.br
3 Doutorando em Engenharia de Produção, docente do Centro Universitário Izabela Hendrix (CEUNI), alexandre.rodrigues@izabelahendrix.edu.br

 

Literatura Citada

BALLOU, Ronald H. Logística empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição física. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1993.

BALLOU, Ronald H. Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos: logística empresarial. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

BOWERSOX, Donald J.; CLOSS, David J. Gestão logística de cadeias de suprimentos. São Paulo: Bookman, 2006.

EPAMINONDAS, Luiz Antônio Rezende; SIQUEIRA, Paulo Vinícius Borges. O impacto da falta de componentes para a manutenção das perfuratrizes no processo produtivo de uma empresa mineradora. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 30, 2010, SÃO CARLOS. Anais.... São Carlos: Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 2010.

FLORES, Andy; SEQUEIRA, John. Inventory Optimization Trends – A Cross-Industry Comparison. Scottmadden Management Consultants. set. 2013. Disponível em: <http://www.scottmadden.com/insight/649/inventory-optimization-trends-a-crossindustrycomparison.html>. Acesso em: 28 set. 2014.

GANGA, Gilberto Miller Devós. Trabalho de conclusão de curso (TCC) na engenharia de produção: um guia prático de conteúdo e forma. São Paulo: Atlas, 2012. 361.

GARCIA, et al. Gestão de estoques: otimizando a logística e a cadeia de suprimentos [Em linha]. Rio de Janeiro: E-papers Serviços Editoriais Ltda., 2006.

GODINHO FILHO, Moacir; FERNANDES, Flávio César Faria. Uma análise dos sistemas de planejamento e controle da produção em uma grande empresa de materiais de escrita. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 22, 2002, CURITIBA. Anais... Curitiba: ABEPRO, 2002.

LEONARD, Lori N. K.; CRONAN, Timothy Paul. A study of the value and impact of electronic commerce: electronic versus traditional replenishment in supply chains. Journal of Organizational Computing and electronic commerce, vol. 12, n. 1, 2002.

MOREIRA, Daniel Augusto; IHL, Mauro Takeo. Gerenciamento do abastecimento de mercadorias: Estudo de caso da reposição automática do Makro Atacadista S.A. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 3, nº 2, p. 5-22, 2006.

OLIVEIRA, Victor Marcondes de. Gestão de estoque MRO em uma fábrica de rolamentos. 2013. 101 f. Trabalho de Conclusão de Curso – Escola Graduação Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

SAGGIORO, E.; MARTIN, A.; LARA, M. Gestão de estoques MRO: Otimizando a logística de peças de reposição. Revista Mundo Logística. São Paulo, v.1, n.04, p. 6-10, 2008.

SILVA, Liliane Sena da. Nível de serviço logístico: Um estudo de caso em uma empresa de bebidas da Paraíba. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 28, 2008, RIO DE JANEIRO. Anais... Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Engenharia de Produção, 2008.

VOGT, Cleyton Roberto. Estruturação de processo de revisão de planejamento de materiais de estoque de postos de manutenção de locomotivas. 2013. 50. Trabalho de conclusão de curso – Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2013.

WANKE, Peter. Gestão de estoques na cadeia de suprimentos: decisões e modelos quantitativos. São Paulo: Atlas, 2011. 3. ed. 384 p.