Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Universalização do Ensino Superior e o Desempenho das Universidades Federais Mineiras

DOI: http://dx.doi.org/10.18605/2175-7275/cereus.v7n2p3-21

http://ojs.unirg.edu.br/index.php/1/index 

downloadpdf

Sabrina O. C. de Castro1, Rafael M. Pereira2, Humberto R. Marques3, Fernanda M. de Almeida4 & José E. C. Braga5

 

Resumo: A discussão referente às cotas para acesso ao ensino superior destaca-se como um dos mais intensos e polêmicos debates no meio acadêmico e social em geral. Apesar das divergências, este estudo parte do pressuposto de que as cotas sociais contribuem para a promoção de oportunidades equitativas no acesso ao ensino superior. Neste sentido, objetivou-se aferir a influência do desempenho dos estudantes provenientes da rede pública de ensino sobre a nota dos cursos no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Especificamente, realizou-se (i) uma análise comparativa entre as notas dos alunos provenientes exclusivamente de escolas públicas e as notas alunos dos provenientes exclusivamente de escolas privadas que realizaram o Enade em 2012 e, (ii) analisou-se o impacto do número de alunos provenientes de escolas públicas na nota média geral dos cursos. Para tanto, utilizou-se uma abordagem quantitativa, com levantamento de dados obtido através de dados secundários. Alcançou-se o primeiro objetivo específico por meio da representação gráfica, da análise da estatística descritiva dos dados e do teste de diferença entre médias independentes. Para atingir o segundo objetivo específico, aplicou-se o método de Regressão Linear Simples. Os resultados demonstraram que não há diferenças estatisticamente significativas entre o desempenho dos estudantes provenientes exclusivamente de escolas públicas e dos provenientes exclusivamente de escolas privadas nos cursos analisados. Ademais, identificou-se que o aumento do número de alunos provenientes de escolas públicas não acarreta em reduções significativas no desempenho médio dos cursos.

Palavras-chave: Ações afirmativas. Cotas sociais. Ensino superior

 

Abstract: Discussion about free shares of students to have free access to higher teaching constitutes one of the most intense and controversial debate in the academic and social field in general. In spite of these divergences, this study is based in the fact that social free share of students entering freely in the university, contributes to promote equal opportunities and access to higher education. Following this reasoning, the goal of this study was to assess the influence of performance of those students coming from the public education network about their grades on the National Exam for Students Performance (ENADE). More specifically, (1) a comparative analysis was carried out comparing grades from students with origin in public schools with grades from those students coming from private schools who also took the ENADE in 2012, and (2), the impact of the number of students coming from public schools in the mean general grade of the courses, was analyzed. To attain this goal, we used a quantitative approach, gathering data from secondary information. The first specific goal was attained using graphic representation of descriptive statistics of data obtained and based on the test of difference for independent means. To attain the second specific goal, the method of simple linear regression was used. Results demonstrated that there is no statistically significant difference between the performance of those students coming exclusively from public schools and those coming from private ones in the courses that were analyzed. Furthermore, we identified, that the increase in the number of students coming from public schools does not lead to significant reductions in the mean performance of the courses.

Key words: Affirmative Actions. Social Shares. Higher Teaching

 

1 Bacharel em Administração na Universidade Federal de Viçosa; e-mail: sabrina.castro@ufv.br
2 Graduando em Administração na Universidade Federal de Viçosa; e-mail: rafael.morais@ufv.br
3 Mestrando em Administração na Universidade Federal de Lavras; e-mail: hbetorm@hotmail.com
4 Doutora em Economia Aplicada. Professora do Departamento de Administração e Contabilidade da Universidade Federal de Viçosa; e-mail: fernanda.almeida@ufv.br
5 Bacharel em Direito na Escola de Estudos Superiores de Viçosa; email: jestevamchaves@gmail.com

 

Literatura Citada

BELLO, E. Políticas de ações afirmativas no Brasil: uma análise acerca da viabilidade de um sistema de cotas sociais para ingresso nas universidades. Revista Direito, Estado e Sociedade. Rio de Janeiro: PUC-Rio, n. 26, pp. 32/53, jan./jul., 2005.

BEZERRA, T. O. C.; GURGEL, C. A política pública de cotas em universidades, desempenho acadêmico e inclusão social. Sustainable Business International Journal, n. 9, p. 1-22, 2011.

BRASIL. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm>. Acesso em: 6 de dez. de 2014.

CASTRO, C. M. Educação superior e equidade: inocente ou culpada? Ensaio: avaliação de políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 9, n. 30, p. 110-120, 2001.

CESAR, R. C. L. Ações afirmativas no Brasil: e agora, doutor? Ciência Hoje, Rio de Janeiro, v. 33, n. 195, p. 26-32, 2003.

CORRAR, L. J., THEÓPHILO, C. E., BERGMANN, D. R. Regressões. In: CORRAR, L. J., THEÓPHILO, C. E. Pesquisa Operacional para decisão em contabilidade e administração. FIPECAFI – Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras. 1 ed. São Paulo: ATLAS, 2004.

CROSBY, F. J.; CORDOVA, D. I. Words worth of widsdom: toward an understanding of affirmative action. Journal of Social Issues, [S.l.], v. 52, n. 4, p. 33-49, 1996.

FRIAS, L. As cotas raciais e sociais em universidades públicas são injustas?. Revista Direito, Estado e Sociedade, n. 41, 2014.

GOMES, Joaquim B. Barbosa. Ação afirmativa & princípio constitucional da igualdade: o direito como instrumento de transformação social. A experiência dos EUA. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

JONES, J. E. The rise and fall of affirmative action. In: HILL, H; JONES, J. (Ed.). Race in American: the struggle for equality. Madison: University of Wisconsin, 1993. p. 345-369.

LAGO, J.; MALBOUISSON, C.; SILVA, V. F.; CAVALCANTI, I. Cotas e desempenho na Universidade Federal da Bahia: uma análise dos ingressantes de 2010 a 2012. In: X Encontro de Economia Baiana, 2014, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA.

LEITE, L. J. Política de cotas no Brasil: política social? Revista Katál, Florianópolis., v. 14, n. 1, p. 23-31, jan./jun. 2011.

MACHADO, C. S.; MAGALDI, C. A. Sistema de cotas, equidade e assistência estudantil. In: XIV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTÃO UNIVERSITÁRIA – CIGU, 2014, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, SC.

MOEHLECKE, S. Ação afirmativa: história e debates no Brasil. Cadernos de Pesquisa, n. 117, p. 197-217, novembro/2002.

MOTTA DA, I. D.; LOPES, H. M. O sistema de cotas sociais para ingresso na universidade pública. Revista do Instituto do Direito Brasileiro, n. 11, p. 6823-6857, 2012.

PINHEIRO, J. S. S. P. Desempenho acadêmico e sistema de cotas: um estudo sobre o rendimento dos alunos cotistas e não cotistas da Universidade Federal do Espírito Santo. 2014. 101 f. Dissertação (Mestrado em Gestão Pública) – Programa de Pós Graduação em Gestão Pública do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória. 2014.

ROESH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio e de pesquisa em administração. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SENA, L. C. M. Repercussões dos resultados do enade (2008) na licenciatura em pedagogia: O Caso do Distrito Federal. Monografia em licenciatura em Pedagogia. Universidade de Brasília. Brasília, DF, 2011.

SILVA, P. B.; S. P. Representações sociais de estudantes universitários sobre cotas na universidade. Fractal, Revista de Psicologia, v. 24, n. 3, p. 525-542, Set./Dez. 2012.

SOUZA, A. M. Desempenho dos candidatos no vestibular e o sistema de cotas na UERJ. Ensaio: avaliação de políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 20, n. 77, p. 701-724, out./dez. 2012.

VASCONCELOS S. D.;SILVA,E.G. Acesso à universidade pública através de cotas: uma reflexão a partir da percepção dos alunos de um pré- vestibular inclusivo. Ensaio: Aval Pol Pub Educ., 2005; v. 13, n.49, p. 453-68, out./dez. 2005.

WITTE, R. S., WITTE, J.S. Estatística. 7 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2005.