crosscheckdeposited

O Processo de Ocupação do Sul do Maranhão: Dinamismo Econômico e Des(re)ordenamento Territorial

DOI: http://dx.doi.org/10.18766/2446-6549/interespaco.v1n1p5-26

http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/interespaco 

downloadpdf

Rosimary G. Rocha1

 

Resumo: A região Sul do Maranhão teve sua ocupação em um primeiro momento caracterizada pela procura de terras disponíveis para criação de gado à solta, por criadores originários de outros estados do Nordeste, principalmente da Zona da Mata, região destinada ao cultivo de cana-de-açúcar no século XIX. A partir do final da década de 1970, esse espaço começa a sofrer significativas transformações devidas, em grande parte, às ações governamentais de ocupação da fronteira agrícola. As novas concepções sobre essa dinâmica nos levam a refletir sobre as relações de poder que se instalaram na localidade em que os processos territoriais vinculados ao capital se caracterizam como preponderantes. Nesse contexto, o Sul do Maranhão evidencia um conjunto de novas ações e de novos objetos técnicos, atores sociais, políticos e econômicos, que fazem uso desses objetos e criam condições para a sua reprodução.

Palavras-chave: Sul do Maranhão; Fronteira agrícola; Território.

 

Abstract: The Southern Maranhão region had its occupation at first characterized by the search of land available for loose cattle raising, by breeders from other states of the Northeast, especially the Zona da Mata region intended for sugarcane cultivation sugar in the nineteenth century. From the late 1970s, this space begins to undergo significant transformations due in large part to government actions occupation of the agricultural frontier. The new conceptions of these dynamics lead us to reflect on the power relations that settled in the locality in which the territorial processes related to capital are characterized as dominant. In this context, the Southern Maranhão highlights a number of new shares and new technical objects, social actors, political and economic, that makes use of these objects and creates conditions for their reproduction.

Key words: South of Maranhão; Agricultural frontier; Territory.

 

1 Doutoranda em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás – UFG. Professora Assistente do Curso de Licenciatura em Ciências Humanas/Geografia da Universidade Federal do Maranhão – UFMA/Campus de Grajaú. rosemanu2011@live.com

 

Literatura Citada

ANDRADE, Manoel Correia de. A terra e o homem no Nordeste: contribuição ao estudo da questão agrária no Nordeste. 6. ed. Recife: Editora Universitária da UFPE, 1998.

ASSELIN, Victor. Grilagem, Corrupção e Violência em Terras do Carajás. Petrópolis: Vozes, 1982.

ARCANGELI, Alberto. O mito da terra: uma análise da colonização da Pré-Amazônia Maranhense. São Luís: UFMA/PPPG/EDUFMA, 1987.

BECKER, Bertha K. Amazônia. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997.

BECKER. Geopolítica da Fronteira. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

CABRAL, Maria do Socorro Coelho. Caminhos do gado: conquista e ocupação do sul do Maranhão. São Luís: SIOGE, 1992.

CARVALHO, Carlota. O Sertão: subsídios para a história e a geografia do Brasil. 2. ed. Imperatriz: Ética, 2000.

COELHO NETO, ELOY. História do sul do Maranhão: terra, vida, homens e acontecimentos. Belo Horizonte: Editora São Vicente, 1979.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010.

LEFF, Henrique. Saber Ambiental. São Paulo: Cortez, 2001.

LIMA JUNIOR, Heitor Moreira. Colonização de Fronteira Agrícola: um modelo de desenvolvimento rural. São Luís: PPG/EDUFMA,1987.

MARTINS, José de Souza. Fronteira: a degradação do Outro nos confins do humano. São Paulo: Hucitec, 1997.

SILVA, Carlos Alberto Franco da. Fronteira agrícola capitalista e ordenamento territorial. In: SANTOS, Milton; BECKER, Bertha K. [et al.]. Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A editora, 2006.