Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Diversidade e Colonialidade em Grajaú-MA: Desafios para a Formação de Professores

DOI: http://dx.doi.org/10.18766/2446-6549/interespaco.v1n1p108-125

http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/interespaco 

downloadpdf

Ramon L. de S. Alcântara1

 

Resumo: Este artigo tem por objetivo discutir os resultados de uma pesquisa de doutorado que buscou problematizar os desafios da formação de professores para a diversidade no município de Grajaú, Maranhão. As noções de diversidade e colonialidade são operacionalizadas a fim de configurar um cenário específico de relações de diferenciações. Observação etnográfica, análise documental e a utilização de uma disciplina foram os procedimentos metodológicos utilizados. Como resultado, apresenta-se a matriz colonial do preconceito em Grajaú como fundamento dos discursos acerca das múltiplas dimensões da diversidade. Há também o estabelecimento de desafios para a Universidade Federal do Maranhão repensar suas propostas de formação de professores no município.

Palavras-chave: Diversidade; Colonialidade; Formação de Professores.

 

Abstract: This article aims to discuss the results of a doctoral research that sought to discuss the challenges of teacher training for diversity in the city of Grajaú, Maranhão. The notions of diversity and coloniality are operationalized in order to set a specific scenario of differentiation relations. Ethnographic observation, document analysis and the use of a discipline were the methodological procedures used. As a result, presents the colonial die of prejudice in Grajaú as the foundation of speeches about multiple dimensions of diversity. There is also the establishment of challenges for the Federal University of Maranhão rethink their teacher training proposals in the city.

Key words: Diversity; Coloniality; Training of teachers.

 

1 Doutor em Políticas Públicas e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA. Professor Adjunto I da Universidade Federal do Maranhão – UFMA/Campus de Grajaú. ramon.lsa@ufma.br

 

Literatura Citada

ARROYO, Miguel. Outros sujeitos, outras pedagogias. Petrópolis: Vozes, 2012.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

CAPELO, Maria Regina C. Desigualdade, educação e inclusão: implicações e provocações. In: LIMA, Angela Maria de Sousa et al. (Org.). As desigualdades e suas múltiplas formas de expressão. Londrina: EDUEL, 2013.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. La hybris del punto cero: ciencia, raza e ilustración en la Nueva Granada (1750-1816). Bogotá: Editorial Pontificia Universidad Javeriana, 2010.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Los avatares de la crítica decolonial. Tabula Rasa, Bogotá, n. 16, Enero-Junio, 2012.

COELHO, Elizabeth Maria B. Territórios em confronto: a dinâmica da disputa pela terra entre índios e brancos no Maranhão. São Paulo: Hucitec, 2002.

DA MATTA, Roberto. O ofício de etnólogo ou como ter anthropological blues. Boletim do Museu Nacional, Rio de Janeiro, n. 27, Maio, 1978.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

FOUCAULT, Michel. Os anormais. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

IBGE. Cidades: Grajaú. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br. Acessado em: 03/11/2014.

MISKOLCI, Richard. A Teoria Queer e a Sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias, Porto Alegre, ano 11, n. 21, jan./jun. 2009.

MORENO, Alejandro. Superar a exclusão, conquistar a equidade: reformas, políticas e capacidades no âmbito social. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

OSORIO, Rafael Guerreiro. O sistema classificatório de “cor ou raça” do IBGE. Brasília: IPEA, 2003.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; ALMEIDA FILHO, Naomar. A universidade no século XXI: para uma universidade nova. Coimbra, 2008.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.