Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Historiografia e Ensino de História para a Descolonização do Conceito de Cultura Afro-Brasileira: Articulando Ciência, Ensino, Cultura e Política

DOI: http://dx.doi.org/10.18788/2237-1451/rle.v5n10p93-111

http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rle 

downloadpdf

Gustavo M. da S. Gomes1

 

Resumo: Este trabalho busca articular algumas relações existentes entre história, linguagem e ensino a fim de propiciar aos docentes referenciais históricos sobre a forma como compreendemos a cultura afro-brasileira, analisando os efeitos de significação de cada definição de cultura afrobrasileira e suas consequências políticas ante a população negra. Espera-se com isso problematizar e instrumentalizar algumas representações e práticas de ensino de história e cultura afro-brasileira que ainda são percebidas mesmo após dez anos de reflexões e proposições a partir da Lei nº 10.639/03.

Palavras-chave: Ensino de História. Historiografia. Cultura Afro-Brasileira.

 

Resumen: Este trabajo busca articular algunas relaciones entre la historia, la lenguaje y la educación con el fin de proporcionar a los docentes, algunos referenciales históricos sobre cómo comprendemos la cultura afro-brasileña, analisando los efectos de sentido de cada definición de la cultura afro-brasileña y sus consecuencias políticas contra la población negra. Se espera problematizar y equipar ciertas representaciones y prácticas de la enseñanza de la historia y la cultura afro-brasileña que todavía se perciben incluso después de diez años de reflexiones y propuestas de la Ley N º 10.639/03.

Palabras clave: Enseñanza de Historia. Historiografía. Cultura Afro-Brasileña.

 

1 Universidade Federal de Alagoas

 

Literatura Citada

ALBUQUERQUE, Wlamira R. de. O jogo da dissimulação: abolição e cidadania negra no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

BITTENCOURT, Circe. O Saber Histórico na Sala de Aula. São Paulo: Contexto, 2006. BITTENCOURT, Circe. Ensino de História: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2008.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BRASIL, Ministério da Educação, (SECAD). Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Brasília: 2005. pp. 11-12.

BRASIL, Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação – Conselho Pleno. RESOLUÇÃO Nº 1, DE 17 DE JUNHO DE 2004. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana.

CAMPOS, Zuleica. O combate ao catimbó: práticas repressivas às religiões afro-umbandistas nos anos trinta e quarenta. Tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, 2001.

CHAUÍ, Marilena. Política Cultural. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1985.

FERNANDES, Florestan. A integração do Negro na sociedade de classes: o legado da raça branca. Vol. 1. São Paulo: Globo, 2008.

FONSECA, S. G. Didática e prática de ensino de História: experiências, reflexões e aprendizados. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico) Campinas: Paripus, 2003.

FREITAS, Itamar. Fundamentos teórico-metodológicos para o ensino de História (Anos iniciais). São Cristóvão: Editora da UFS, 2010.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Global, 2006.

ITANI, Alice. Vivendo o Preconceito em Sala de Aula. In: AQUINO, Julio (Org.). Diferenças e Preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1998.

KARNAL, Leandro. (org.) História na Sala de Aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2007.

NINA RODRIGUES, Raimundo. Os africanos no Brasil. São Paulo: Madras, 2008.

ORLANDI, Eni. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes, 2012.

SAID, Edward. Orientalismo: o oriente como invenção do ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SAID. Edward. Representações do intelectual: as conferências Reith de 1993. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SILVA, Marcus. e FONSECA, Selva. Ensinar História no Século XXI: em busca do tempo entendido. Campinas: Papirus, 2007.

SLENES, Robert. Na Senzala uma flor: esperanças e recordações na formação da família escrava, Brasil Sudeste, século XIX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

VOGT, Carlos e FRY, Peter. Cafundó: a África no Brasil: linguagem e sociedade. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.