Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Reflexões Sobre o Movimento Feminista na América Latina

DOI: http://dx.doi.org/10.18788/2237-1451/rle.v5n11p92-103

http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rle 

downloadpdf

Geovane dos S. Barbosa1 & Allene C. Lage2

 

Resumo: Este texto aborda as tensões envolvidas na legitimação do movimento feminista, que se originou no continente europeu. Como vimos, a mulher tem sofrido com a imposição de uma cultura opressora, onde o processo de subalternização caracteriza-se pelas desigualdades nas relações de gênero e de espaço no mercado e na luta pela conquista de diretos políticos. Para tanto, faz-se uma análise das fases do movimento e de sua relação com a realidade latino-americana, sobretudo a brasileira. A ideia de elaborar o presente texto surgiu a partir dos debates que foram realizados na disciplina Tópicos Atuais em Educação I: Fundamentos para uma educação não-sexista, do Mestrado em Educação Contemporânea, da Universidade Federal de Pernambuco, no Centro Acadêmico do Agreste, que é considerado um lócus de enunciação a respeito da temática em Pernambuco. Para refletir sobre este movimento, dialogamos com Alonso (2012), Carosio (2014), Gargallo (2009), Gurgel (2010) e Valdivieso (2012). Quanto aos aspectos metodológicos, trata-se de uma pesquisa bibliográfica.

Palavras-chave: Movimento feminista. América Latina. Subalternização

 

Abstract: This paper addresses the tensions involved in legitimizing the feminist movement, which originated in Europe. As we have seen, the woman has suffered from the imposition of an oppressive culture, where the subordination process is characterized by unequal gender relations and space in the market and in the struggle for political rights. Therefore, it is an analysis of the phases of the movement and its relationship with the Latin American context, particularly the Brazilian. The idea of preparing this text emerged from the discussions that were held in Current Topics discipline in Education I: Foundations for a non-sexist education, the Master in Contemporary Education, Federal University of Pernambuco, in the Academic Center of the Wasteland, which is considered a locus of enunciation of the theme in Pernambuco. To reflect on this motion we dialogue with Alonso (2012), Carosio (2014), Gargallo (2009), Gurgel (2010) and Valdivieso (2012). In the methodological aspects, it is a literature search.

Key words: Feminist movement. Latin America. Subordination

 

1 Universidade Cândido Mendes

 

Literatura Citada

ARANHA, Maria Lucia de Arruda. História da Educação e da Pedagogia: geral e Brasil. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2006.

ALONSO, Graciela; DÍAZ, Raúl. Reflexiones acerca de los aportes de las epistemologias feministas y descoloniales para pensar la investigacíon social. In: Debates Urgentes – Dossier: Pensamiento crítico y cambio. Año 1, Nº 1, 2012.

BRASIL. Constituição da República federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988, com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais nºs 1/1992 a 70/2012 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão nºs 1 a 6/1994. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 2012.

BRASIL. Lei Maria da Penha. Lei N.°11.340, de 7 de Agosto de 2006. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm>. Acesso em: 05 fev. 2015.

CAROSIO, Alba. Feminismo latinoamericano: imperativo ético para la emancipacíon. Disponível em: <http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/grupos/giron/11caro.pdf>. Acesso em: 14 jul. 2014.

GARGALLO, Francesca. El feminismo y su instrumentalizacíon como fenómeno de mestizaje en nuestramerica. In: Revista Venezolana de Estudios de la Mujer- Julio/Diciembre 2009. Vol. 14. Nº 33 – pp. 27-36.

GARGALLO, Francesca. Feminismo y globalización: una mirada desde América Latina. In: BERLANGA, M et al. Mujer y violencia: el feminismo en la era de la globalización, Col. Cuadernos del Seminario, n. 2, Ed. Ciencias Políticas y Administración Urbana / Universidad Autónoma de la Ciudad de México, México, 2010, 137 pp., pp. 68-102.

GARGALLO, Francesca. Feminismo Latinoamericano. In: Revista Venezolana de Estudios de la Mujer, Caracas, v. 12, n. 28, jun. 2007 . Disponível em <http://www.scielo.org.ve/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S131637012007000100003&lng=es&nrm=iso>. Acesso em: 19 jul. 2014.

GURGEL, Telma da Silva. Feminismo e políticas públicas na América Latina. In: III Jornada Internacional de Políticas Públicas. São Luís: UFMA, 2007. CD-ROM.,

KIELING, J. F. Assistencialismo. In: STRECK, Danilo R.; ZITKOSKI, Jaime José (Org.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 49-50.

OLIVEIRA, Maria Marly de. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

PINTO, Celi Regina Jardim. Feminismo, história e poder. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsocp/v18n36/03.pdf>. Acesso em: 28 jul. 2014.

SANTOS, S. M. M. ; OLIVEIRA, L. S. . Igualdade nas relações de gênero na sociedade do capital: limites, contradições e avanços. Revista Katálysis (Impresso), v. 13, p. 11-19, 2010.

VALDIVIESO, Magdalene et al. Feminismo y cambio social en América Latina y el Caribe. Coordinado por Alba Carosio. 1. ed. Ciudad Autónoma de Buenos Aires : CLACSO, 2012.