Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Favela Wars: A Lógica dos Signos Culturais Brasileiros nos Espaços Virtuais

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0934/aum.v18n18p181-193

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/AUM/index 

downloadpdf

Gilbson F. do Nascimento1 & Luci M. de M. Bonini2

 

Resumo: Analisa-se o game Favela Wars, lançado em abril de 2013, desenvolvido pela empresa brasileira Nano Studio, que tem como temática conflitos entre policiais e traficantes no Rio de Janeiro. Situado na capital fluminense de 2041, o game usa modelo de estratégia, dividido em turnos. O jogador escolhe entre a delegacia e a favela como lugar de seu quartel-general e, com a sua equipe, deve aniquilar todos os oponentes. Nesse trabalho parte-se do pressuposto de que os espaços virtuais, mais do que o mero entretenimento, se propõem a reproduzir as várias manifestações, sejam elas artísticas/culturais ou da realidade vivida. Acreditando nisso, o objetivo deste estudo é descrever e analisar o jogo Favela Wars sob a ótica do uso da estética da favela, elemento da cultura brasileira, nos games on-line. Observou-se que o game Favela Wars apresenta aspectos da sociedade brasileira, mais especificamente das comunidades do Rio de Janeiro, onde heróis e vilões, inseridos em uma realidade virtual, são representações arquetípicas presentes na realidade brasileira, despertando, desta forma, um sentimento de identidade, em certo sentido, nos jogadores que apelam para a construção de cenários de favelas existentes em suas cidades.

Palavras-chave: Games; Reprodutibilidade técnica; Diversidade cultural brasileira.

 

1 Publicitário, graduado em Comunicação social pela Universidade de Mogi das Cruzes. Vinculado ao GRUPPU – Grupo de Pesquisas em políticas Públicas da UMC.
2 Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, pesquisadora do Mestrado em Políticas Públicas da Universidade de Mogi das Cruzes, professora universitária e pesquisadora na linha de Políticas Públicas e Dignidade Humana. E-mail: lucibonini@umc.br.

 

Literatura Citada

BENJAMIN, Walter. Sociologia da Arte IV, Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1969.

BONINI, L. M. M. & Fonseca, G. N. Advergames: uma nova forma de se fazer publicidade. Pragmatizes Rev. Latino America de Estudos da Cultura. Ano 4, nº. 6. Universidade Federal Fluminense, mar./2014, p. 143-155.

CHAUÍ, Marilena. Simulacro e poder: uma análise da mídia. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2006.

FAVELA WARS. Site oficial. http://www.favelawars.com. Acessado em 27.12.2014.

JACQUES, P. B. Estética das Favelas. ArquiTextos. 013.08. Ano 2, jun./2001.

JAGUARIBE, B. Favelas and the aesthetics of realism representations in film and literature. ECOPÓS. UFRJ. S/D.

KENSKI, Rafael. A vida é um jogo. Revista Superinteressante. Ed. Abril, dez./2011.

LUCKMANN, Thomas; BERGER, Peter L. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. 25. ed., Petrópolis: Vozes, 2005.

MALABY, T. M. Beyond The Play: a new approach to games. Games And Culture. Vol. 2, nº. 2. Sage Publications, abr. 2007, p. 95-113.

MCGONIGAL, Jane. A realidade em jogo: por que os games nos tornam melhores e como eles podem mudar o mundo. Rio de Janeiro: BestSeller, 2012.

MUCIOLI, F. Entrevista: criador de Favela Wars explica fracasso financeiro do popular game. Rev. Exame Info. 13.01.2014. In: http://info.abril.com.br/games/noticias/2014/01/entrevista-peter-hansen-fundador-da-nano-studio-fala-sobre-favela-wars.shtml. Acessado em 27.12.2014.

NOVAK, Jeannie. Desenvolvimento de games; tradução CONTI, Pedro C., São Paulo, Cengage Learning, 2010.

PAIS, C. T. O saber compartilhado, o mundo semioticamente construído e o discurso publicitário institucional. Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Lingüístico, 2005. In: http://www.filologia.org.br/ixcnlf/17/17.htm. Acessado em: 26.12.2014.

RAHDE, Maria B. F. Comunicação e imaginário nos contos do cinema contemporâneo: uma estética em transição. Revista Comunicação, mídia e consumo, ESPM São Paulo, v. 5, n. 12, 2008.

SATO, Adriana Kei O. Do mundo real ao mundo ficcional: a imersão no jogo. In: Lucia Santaella; Mirna Feitoza (org.). Mapa do Jogo – diversidade Cultural dos Games. 1. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2009, v. 1/1, p. 35-48.

SATO, Adriana Kei O. Lucia. Culturas e artes do pós-humano: Da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.