Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Atuação do Enfermeiro na Avaliação da Dor e na Administração dos Fármacos Opióides: Uma Revisão Bibliográfica

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2238-1945/pcnb.v5n9p1-10

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/bio/index 

downloadpdf

Andrade K. C. Costa1, Aires R. Dias2 & Kangussu L. Miranda3

 

Resumo: Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica, baseado no retrospectivo secundário que identifica, seleciona e avalia criticamente estudos primários sobre a atuação do enfermeiro na avaliação da dor e na administração dos fármacos opióides. A revisão literária foi direcionada para trabalhos que apresentavam propostas, estratégias, resultados ou relatos de experiências de profissionais da saúde acerca da problemática. Foram consultadas as publicações nas seguintes bases eletrônicas: Centro Latino Americano e do Caribe de Informações em Ciências (LILACS), Scientific Eletronic Library online (SCIELO) e Google Acadêmico, bem como na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade de São Paulo e na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade Federal de Minas Gerais, publicados entre 2004 e 2014. Foram selecionados 59 artigos científicos, sendo excluídos 22, pelo fato de não se encaixarem na temática proposta por esse trabalho, e os demais artigos foram estudados e analisados a fim de atingir a proposta supracitada. As publicações analisadas nesse estudo enfatizam que o conhecimento do enfermeiro perante a oferta analgésica, a mensuração e avaliação da queixa álgica ainda é ineficaz, mostrando a necessidade de padronizar instrumentos que auxiliem esse profissional durante a assistência prestada ao paciente.

Palavras-chave: Enfermeiro; Tratamento da dor; Fármacos Opióides; Administração de medicamentos.

 

Abstract: This is a bibliographic review, based on the secondary retrospective that identifies, selects and evaluates critically primary studies on the role of nurses in pain assessment and management of opioid drugs. A literature review was directed to work that presented proposals, strategies, results or reports of experiences of health professionals about the problem. The publications are referred to in the following electronic databases: Latin American and Caribbean Center for Information Sciences (LILACS), Scientific Electronic Library on Line (SciELO) and Google Scholar, as well as the Digital Library of Theses and Dissertations, University of São Paulo and the Digital Library of Theses and Dissertations at Federal University of Minas Gerais, published in the period 2004-2014.59 scientific articles, 22 were excluded, because they do not fit the theme proposed for this work were selected, and the other articles were studied and analyzed in order to achieve the above proposal. The publications analyzed in this study emphasize that the knowledge of nurses before the analgesic supply, measurement and evaluation of pain complaint is still ineffective, showing the need for tools that help standardize this professional during patient care.

Key words: Nurse; Treatment of pain; Opioid drugs; Medication administration

 

1 Alunos do curso de graduação Acadêmica do curso de Enfermagem da FAMINAS-BH, Belo Horizonte, Minas Gerais – Brasil.
2 Fisioterapeuta. Mestre e doutora em Fisiologia e Farmacologia – UFMG. Pós-doutoranda do departamento de Fisiologia e Biofísica da UFMG, Belo Horizonte, Minas Gerais – Brasil. E-mail para contato: rosariadaires@yahoo.com.br
3 Enfermeiro. Mestre e doutor em Fisiologia e Farmacologia – UFMG. Pós-doutorado em Fisiologia Cardiovascular, UFMG, Belo Horizonte, Minas Gerais – Brasil. E-mail para contato: lucaskangussu@gmail.com

 

Literatura Citada

AGRA, G. et. al. Constipação em pacientes com doença oncológica avançada em uso de opióides. O mundo da saúde, São Paulo: USP, nº 4, v 37, p. 472-478, 2013.

ALMEIDA, M. C. S. et. al. Analgesia pós-operatória: comparação entre infusão contínua de anestésico local e opióide via cateter peridural e infusão contínua de anestésico local via cateter na ferida operatória. Rev. Bras. de Anestesiologia, Santa Catarina: UFSC, nº 3, v 61, p. 293-303, 2011.

ANDRADE, F. A. de; PEREIRA, L. V.; SOUSA, F. A. Mensuração da dor no idoso: uma revisão. Rev. Latin Amer. de Enferm. São Paulo: USP, nº 2, v 14, p. 271-276, 2006.

BARROS, S. R.; PEREIRA, S. L.; NETO, A. A. A formação de acadêmicos de enfermagem quanto à percepção da dor em duas instituições de ensino superior. Rev. Bras. do Estudo da Dor, Pernambuco FENFA, nº 2, v 12, p. 131-137, 2011.

BIASI, P. T. et. al. Manejo da dor no paciente oncológico pela equipe de enfermagem. Perspectiva Erechim, Santa Catarina, nº 35, v 129, p. 157-166, 2011.

BOTTEGA, F. H; FONTANA, R. T. A dor como quinto sinal vital: utilização da escala de avaliação por enfermeiros de um hospital geral. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, nº 2, v 19, p. 283-290, 2010. https://doi.org/10.1590/S0104-07072010000200009

CALIL, A. M.; PIMENTA, C. M. Dor crônica e a crença de auto eficácia. Rev Esc Enferm, São Paulo: USP,nº 5, v 13,p. 135-140, 2004.

CASTRO, R. J. A. de; LEAL, P. C.; SAKATA, R. K. Tratamento da dor em queimados. Rev. Bras.de Anestesiologia, São Paulo: USP, nº 1, v 63, p. 149-158, 2013.

DELLAROZA, M. S. G. et. al. Dor crônica em idosos residentes em São Paulo, Brasil: prevalência, características e associação com capacidade funcional e mobilidade (Estudo SABE). Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, nº 2, v 29, p. 325-334, 2013.

DUARTE, C. P. B. Alteração da percepção da dor: hiperalgesia induzida por opióides. 2013. Dissertação (Mestrado) - Programa Integrado em Medicina, Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade de Porto Alegre: Porto Alegre. 2013.

DUQUE, A. A. S; LEAL, A. B; FILIPINI, S. M. A enfermagem na prevenção e controle da dor no paciente oncológico. 2009. XIII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, Universidade Vale do Paraíba: São Paulo. 2009.

FEIN, Alan. Nociceptores: as células que sentem dor. São Paulo: dor online, 2011.

FONTES, Katia Biagio; JAQUES, André Estevam. O papel da enfermagem ao monitoramento da dor como 5º sinal vital. Cienc Cuid Saúde, Paraná: UNIPAR, nº 2, v 6, p. 481-487, 2007.

GUYTON, Arthur C.; HALL, John E. Tratado de Fisiologia Médica. 6ª edição. Elsevier, 2011.

KELLER, C. et. al. Escala da dor: implantação para pacientes em pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca. Rev. Esc. Enferm, São Paulo: USP, nº 3, v 47, p. 621-625, 2012.

KRAYCHETE, Durval Campos; SAKATA, Rioko Kimiko. Uso e rotação de opioides para dor crônica não oncológica. Rev Bras de Anestesiologia, Campinas: USP, nº 4, v 62, p. 568-562, set, 2011.

KULKAMP, I. C.; BARBOSA, C. G.; BIANCHINI, K. C. Percepção de profissionais da saúde sobre aspectos relacionados à dor e utilização de opióides: um estudo qualitativo. Cienc & Saúde Coletiva, Santa Catarina: Universidade do Sul de Santa Catarina, nº1, v 14, 721-731, 2008.

LEMOS, S.; MIGUEL, E. A. Caracterização do manejo da dor, realizado pela equipe de enfermagem, na unidade de terapia intensiva pediátrica. Cienc Cuid Saúde, Maringá, nº 1, v 7, p. 82-87, 2008. https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v7i0.6570

MAIA, A. C.; COUTINHO, S. B. Fatores que influenciam a prática do profissional de saúde no manejo da dor do recém-nascido. Rev Paul Pediátrica, Recife: UFPE, nº 2, v 29, p. 270-276, 2011.

METRI, L. F.; PORTUGAL, B. Abuso de opióides. Dissertação - Pós-graduação em farmácia e química forense, Pontifícia Universidade Católica de Goiás: Goiás. 2009.

MORETE, M. C.; MINSON, F. P. Instrumentos para avaliação da dor em pacientes oncológicos. Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, São Paulo: USP, nº 1, v 11, p. 74-80, 2010.

NASCIMENTO, L. A. do; KRELING, M. C. G. D. Avaliação da dor como 5º sinal vital: opinião de profissionais de enfermagem. Acta Paul Enferm, Londrina: UEL ,nº 1, v 24, p. 50-54, 2011.

NASCIMENTO, D. C. H.; SAKATA, Rioko Kimiko. Dependência de opióides em pacientes com dor crônica. Rev da Dor, São Paulo: USP, nº 2, v 12, p. 562-568, 2011.

OLIVEIRA, R. M. et. al. Manejo da dor de pacientes com AIDS: análise da estrutura gerencial em hospital de referência. Rev. Esc. Enferm, São Paulo: USP, nº 2, v 47, p. 456-463, 2013.

PEDROSO, R. A.; CELICH, K. L. Dor: quinto sinal vital, um desafio para o cuidar em enfermagem. Texto Contexto Enferm, Rio Grande do Sul: Campus de Erechim, nº 2, v 15, p. 270-276, 2006.

RANG, H. P. et al. Farmacologia. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

RIBEIRO, N. C. A. et. al. O enfermeiro no cuidado à vítima de trauma com dor: o quinto sinal vital. Rev Esc Enferm, São Paulo: USP, nº 1, v 45, p. 146-152, 2011.

RIBEIRO, S. F. et. al. Dor nas Unidades de Internação de um Hospital Universitário. Ver Bras de Anestesiologia, Minas Gerais: Universidade Federal Triângulo Mineiro, nº 5, v 62, p. 599-611, 2012.

RIGOTTI, M. A.; FERREIRA, A. M. Intervenções de enfermagem ao paciente com dor. Arq Ciênc Saúde, Rio de Janeiro: UFRJ, nº 1, v 12,p. 50-54, 2005.

SAÇA, C. S. et. al. A dor como 5º sinal vital: atuação da equipe de enfermagem no hospital privado com gestão do SUS. Rev Enferm, São Paulo: USP, nº 1, v 28, p. 35-41, 2010.

SANTOS, M. Z.; KUSAHARA, D. M.; PEDREIRA, M. L. G. Vivências de enfermeiros intensivistas na avaliação e intervenção para alívio da dor na criança. Rev. Esc. Enferm, São Paulo: USP, nº 5, v 46, p. 1074-1081, 2012.

SCHUH, C. O conhecimento da equipe de enfermagem sobre opióides em um hospital universitário. Dissertação – Programa de pós-graduação em Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande do Sul: Porto Alegre. 2011.

SILVA, M. A. dos S.; PIMENTA, C. A. de M.; CRUZ, D. de A. L. M. da. Treinamento e avaliação sistematizada da dor: impacto no controle da dor do pós-operatório de cirurgia cardíaca. Rev. Esc. Enferm, São Paulo: USP,nº 1, v 47, p. 84-92, 2012.

SILVA, B.A; RIBEIRO, F.A. Participação da equipe de enfermagem na assistência à dor do paciente queimado. Rev da Dor, São Paulo: USP, nº 4, v 12, p. 342-348, 2011.

SOUZA, F. F. et. al. Escala multidimensional de avaliação de dor. Rev. Latino Am. Enfermagem, São Paulo: USP, nº 1, v 18, p. 1-9, 2010.

SOUZA, R. C. S. et. al. Conhecimento da equipe de enfermagem sobre avaliação comportamental de dor em paciente crítico. Rev Gaúcha de Enfermagem, São Paulo: UNIFESP, nº 3, v 34, p. 55-63, 2013

SOUZA, V. H. S.; MOZACHI, N. O hospital: manual do ambiente hospitalar. Curitiba: Manual Real, 2009.

TEIXEIRA, P. A. P. et. al. Manejo da dor pós-operatória: uma revisão bibliográfica. Rev. Med e Saúde de Brasília, nº 3, v 19, p. 86-93, 2014.

TOSS, L. O conhecimento da equipe de enfermagem sobre opióides em um hospital universitário: uma abordagem quantitativa. 2012. Dissertação (pós-graduação) Universidade Federal do Rio Grande do Sul: Rio Grande do Sul, 2012.

WATERKEMPER, R.; REIBNITZ, K. S. Cuidados paliativos: a avaliação da dor na percepção de enfermeiras. Rev Gaúcha de Enfermagem. Porto Alegre: UFSC, nº 1, v 31, p. 84-91, 2010.