Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Cidade Antiga. Crenças, Família e Propriedade

DOI: http://dx.doi.org/10.18835/1806-6771/juridica.uniandrade.n19v1p3-43

http://www.uniandrade.br/revistauniandrade/index.php/juridica/index 

downloadpdf

Maria C. M. de Oliveira1

 

Resumo: O estudo inscreve-se na análise e reflexão da obra de Fustel de Coulanges, A Cidade Antiga, visando compreender a importância, atribuída pelos cidadãos gregos e romanos, às crenças religiosas que tiveram forte influência na composição e na organização familiar e patrimonial, das quais se originaram os direitos da família, da propriedade e da participação do cidadão na vida da cidadeestado. As transformações na cidade antiga alteraram as práticas familiares, sociais, políticas e religiosas, possibilitando o surgimento do direito público, com base no direito privado. O emprego do método qualitativo permitiu a análise e a interpretação da obra, bem como a pesquisa bibliográfica de autores que abordassem aspectos pertinentes ao tema, visando a compreensão dos fatos que retrataram o estilo de vida dessas civilizações.

Palavras-chave: Cidade antiga, crença religiosa, direito de família, direito de cidadania, direito de propriedade.

 

Abstract: This article subscribe in the analysis and reflection of Fustel de Coulanges work, The Ancient City, in order to comprehend the importance, assigned by the Greek and roman citizens, to religious beliefs that had a huge influence in the family and patrimonial organization and composing, of which originated the family rights, of property and citizen participation in the city-state life. The transformations in the ancient city changed families, socials, political and religious practices, enabling the emergence of public law, based on private right. The use of qualitative method allowed the analysis and interpretation of this work, such as the bibliographic research from authors that approached relevant aspects for this thematic, aiming the comprehension of those facts that portrayed the life style of these civilizations.

Key words: Ancient city, religious belief, family right, citizenship rights, property right.

 

1 Doutora em Educação - FEUSP/SP; Mestre em História do Brasil - SCHLA/UFPR. Professora, pesquisadora e orientadora no PPGE/UFPR e no Núcleo de Pesquisa e Cursos de Direito e Pedagogia/Uniandrade. Pedagoga e Advogada, OAB/PR 24.890. cecioliveira@onda.com.br

 

Literatura Citada

ALBERGARIA. J. Criminologia, teoria e prática. 2 ed. Rio de Janeiro: Aide Editora, 1988.

BARATTA. A. Criminologia crítica e crítica do direito penal. 2. Ed. Rio de janeiro: Freitas Bastos Editora, 1999.

BONELLI. Paula. Antidepressivo não traz alegria. Jornal o Estado de S. Paulo. São Paulo. Caderno2, p.D2

CABRAL. É possível recuperar os criminosos natos? Gazeta do Povo, Curitiba, 23 set. 2010. Caderno Vida e Cidadania, p.10.

DINIZ, Maria Helena. Compêndio de introdução à ciência do direito. 19.ed. ver. Atual. São Paulo: Saraiva, 2008.

GARCÍA-PABLOS DE MOLINA, Antonio. Criminologia. 4. ed. rev., atual. e amplia.. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2002.

INTERNET: http://pt.scribd.com/doc/16426456/Criminologia-em-Acao-Vitima. Acesso em: 20 abr. 2010

INTERNET: http://pt.wikipedia.org/wiki/Atavismo Acesso em: 28 abr. 2011

INTERNET: http://www.apriori.com.br/cgi/for/vitimologia-t2722.html. Acesso em: 20 abr. 2011.

KEPPEN. Luiz Fernando Tomasi. Curso de Teoria Criminológica. Jornal O Estado do Paraná., Curitiba, 5 dez. 2010. Caderno Direito e justiça, p.0 3.

MIRABETE. Julio Fabbrini. Manual de direito penal. 15. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

PRADO. Luiz Régis. Curso de direito penal brasileiro: parte geral. 2. ed. rev., atual. e amplia. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2000.

SHECAIRA, Sérgio Salomão. Criminologia. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2004.

ZANONI. Péricles Jandyr. Revista Jurídica Uniandrade, v1 número 2, p.21.