Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Considerações sobre a Economia do Crime no Brasil: Um Sumário de 10 Anos de Pesquisa

DOI: http://dx.doi.org/10.18836/2178-0587/ealr.v1n2p318-336

http://portalrevistas.ucb.br/index.php/EALR/index 

downloadpdf

Pery F. A. Shikida1

 

Resumo: Trata-se da apresentação de algumas conclusões sobre a economia do crime no Brasil obtidas pela compilação dos resultados de dez anos de pesquisas empíricas e qualitativas com detentos de diversas instituições carcerárias paranaenses. Evidenciou-se que os criminosos migraram para atividades ilegais esperando que os ganhos superassem os riscos da atividade, com ou sem influências de terceiros. Os criminosos agiram individualmente quando os resultados da ação criminosa serviram aos seus interesses tão bem, ou melhor, que a ação coletiva (mais preferida). Tais confirmações, no entanto, devem ser relativizadas, pois o espaço amostral é composto integralmente de criminosos que foram condenados por seus atos, sendo possível que existam pessoas com características socioeconômicas próprias. Logo, essas conclusões valem exclusivamente para aqueles que foram presos e condenados, e não dos criminosos em geral.

Palavras-chave: Criminal, sistema carcerário, economia do crime.

 

Abstract: This article presents some conclusions on Brazil’s crime economics obtained by the results of ten years research compilation of both empirical and qualitative with inmates of several prison institutions of Paraná. It became clear that the criminals have migrated to illegal activities expecting that the gains would outweigh the risks with or without the influences of others. The perpetrators acted alone when the results of criminal served their own individual interests better or as well than collective action. Such conclusions, however, need to be considered within the sample space of the researches, which are criminals who were convicted for their actions. Therefore, since there may be people with particular socioeconomic profile, these conclusions apply only to those who were arrested and convicted, not of criminals in general.

Key words: Criminal law, prison system, economics of crime.

 

1 GEPEC - Grupo de Pesquisa em Agronegócio e Desenvolvimento Regional. Universidade Estadual do Oeste do Paraná/Universidade Estadual de Londrina

 

Literatura Citada

Adorno, S. (2002). Crise no sistema de justiça criminal. Ciência e Cultura. Ano 54, n. 1. jul./ago./set. p. 50-51.

Andrade, M. V. & Lisboa, M. de B. (2000a) A violência como causa de mortalidade. Conjuntura Econômica. v. 54, n. 5. p.61-64.

Andrade, M. V. & Lisboa, M. de B. (2000b). Desesperança de vida: homicídios em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo-1981 a 1997. In: Seminário sobre a Economia Mineira, 9., Diamantina, Anais. Diamantina: CEDEPLAR.

Araujo Jr., A. F. de. (2002) Raízes econômicas da criminalidade violenta no Brasil: um estudo usando micro dados e pseudopainel – 1981/1996. Revista de Economia e Administração. v. 1, n. 3. jul/set. p.1-34.

Araujo Jr., A. F. de & Faznzylber, P. (2000, Novembro) Crime e economia: um estudo das microrregiões mineiras. Revista Econômica do Nordeste. v. 31, número especial. p.630-659.

Balbinotto Neto, G. (2003, Fevereiro) A teoria econômica do crime. Revista Leader, Edição n.35. Disponível em <http://www.iee.com.br/leader/edicao_35/index.asp> Acesso em: 16/01/2005.

Beato, C. F. Peixoto, B. T. & Andrade, M. V. (2004, Junho) Crime, oportunidade e vitimização. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 19, n. 55, p. 73-89.

Becker, G. S. (1968). Crime and punishment: an economic approach. Journal of political economy. v. 76, n. 01. p.169-217. http://dx.doi.org/10.1086/259394

Becker, H. S. (1999). Estudo de praticantes de crimes de delitos. In: Métodos de pesquisa em ciências sociais. 4. ed. São Paulo: HUCITEC. p.153-178.

Borilli, S. P. & Shikida, P. F. A. (2002) Apontamentos acerca das organizações criminosas a partir de um estudo exploratório na Penitenciária Industrial de Guarapuava e Cadeia Pública de Foz do Iguaçu (Paraná). In: ENCONTRO PARANAENSE DE ECONOMIA. Maringá, 2002. Anais. Maringá: UEM, (versão na íntegra em CD ROM).

Brenner, G. (2001) A racionalidade econômica do comportamento criminoso perante a ação de incentivos. Porto Alegre, UFRGS-IEPE (Tese de Doutorado).

Brenner, G. (2009) Entendendo o comportamento criminoso. Porto Alegre: AGE.

Cerqueira, D. & Lobão, W. (2003, Junho) Determinantes da criminalidade: uma resenha dos modelos teóricos e resultados empíricos. Texto para Discussão. IPEA: Rio de Janeiro. 31 p.

CRIME e castigo. Revista Veja, São Paulo, p. 46-47, out. 1999.

Delmanto, C.; Delmanto, R.; Delmanto Jr., R (1998). Código Penal comentado. 4. ed. Rio de Janeiro: Renovar.

Eide, E. (1999) Economics of criminal behavior. Disponível em <http://encyclo.findlaw.com/8100book.pdf> Acesso em: 17/01/2005.

Engel, L. E. F. (2003) A economia do crime no Paraná: um estudo de caso na Penitenciária Industrial de Cascavel. Toledo. Monografia (Ciências Econômicas) – Unioeste.

Fajnzylber, P. & Araujo Jr., A. de. (2001) Violência e criminalidade. Rio de Janeiro: IPEA.

Fernandes, N. & Fernandes, N. (1995) Criminologia integrada. São Paulo: Revista dos Tribunais.

Fernandez, J. C. (1998) A economia do crime revisitada. Economia & Tecnologia. Campinas, v. 1, n. 03, jul./set. p.36-44.

Fernandez, J. C. & Maldonado, G. E. C. (1999, Dezembro) A economia do narcotráfico: uma abordagem a partir da experiência boliviana. Nova Economia. Belo Horizonte: v. 9, n. 02. p.137-173.

Fernandes, J. C. & Pereira, R. (2000, Novembro) A criminalidade na região policial da grande São Paulo sob a ótica da economia do crime. Revista Econômica do Nordeste, v. 31, número especial. p.898-918.

Fleisher, B. M. (1963) The effect of unemployment on juvenile delinquency. Journal of Political Economy, v.71. p.543-555. http://dx.doi.org/10.1086/258814

Gil, A. C. (2000) Técnicas de pesquisa em economia e elaboração de monografias. São Paulo: Atlas.

Glaeser, E. L. (1999) An overview of crime and punishment. Washington, D.C.: World Bank. (Mimeogr.)

Glaeser, E. L. Sacerdote, J. & Scheinkman, J. (1996) Crime and social interactions. The Quarterly Journal of Economics. v. 61, n. 2. p. 507- 548. http://dx.doi.org/10.2307/2946686

Godoy, A. S. (1995) Pesquisa qualitativa e sua utilização em administração de empresas. Revista Administração de Empresas, v.35, n. 4, p. 65-71, jul./ago.

Goldberg, S. (2004) O alarmante custo da violência. Disponível em <http://www.terra.com.br/dinheironaweb/139/entrevista/ent139_01.htm > Acesso em: 18/01/2005.

Gomes, L. F & Cervini, R. (1995) Crime organizado: enfoques criminológico, jurídico: (Lei nº 9.034/95) e político-criminal. São Paulo: Revista dos Tribunais.

Hassemer, W. (1994) Perspectivas de uma moderna política criminal. In: IBCCrim (08). SP: RT/IBCCrim. p. 89.

IPARDES. Estudos e pesquisas. Disponível em: <http://www.ipardes.gov.br/> Acesso em: 30/11/2005.

Jones, R. (1977) A oferta nas economias de mercado. Rio de Janeiro: ZAHAR, 1977.

Lemgruber, J. (2001) Controle da criminalidade: mitos e fatos. Revista Think Tank, Ano V, n 15, jun./ago. p.03-20.

Mariano, R. S. (2010) Fatores socioeconômicos da criminalidade no Estado de São Paulo: um enfoque da economia do crime. São Paulo, PUC-SP. (Dissertação de Mestrado).

Neves, J. L. (1996) Pesquisa qualitativa, características, usos e possibilidades. Cadernos de Pesquisa em Administração. São Paulo, v.1, n.3, 2º semestre.

Olson, M. (1999) A lógica da ação coletiva: os benefícios públicos e uma teoria dos grupos sociais. São Paulo: Edusp.

Pierangelli, J. H. (1980) Códigos Penais do Brasil: evolução histórica. Bauru (SP): Jalovi.

Pindyck, R. S. & Rubinfeld, D. L. (1994) Microeconomia. São Paulo: MakronBooks.

Schaefer, G. J. (2000) Economia do crime: elementos teóricos e evidências empíricas. Toledo. Monografia (Ciências Econômicas) – Unioeste.

Shikida, C. D. Araujo Jr., A. F. de & Shikida, P. F. A. (2005) A moral importa? Revista de Economia e Administração, São Paulo (SP), v.4, n.4, p.415-426, out./dez.

Shikida, P. F. A. (2008) Crimes violentos e desenvolvimento socioeconômico: um estudo para o Estado do Paraná. Direitos Fundamentais & Justiça, ano 2, n.5, p.144-161, out./dez.

Shikida, P. F. A. Araujo Jr., A. F. Shikida, C. D. & Borilli, S. P. (2006) Determinantes do comportamento criminoso: um estudo econométrico nas Penitenciárias Central, Estadual e Feminina de Piraquara (PR). Pesquisa & Debate, São Paulo, v.17, n.1(29), p.125-148.

Zaluar, A. (2004) Integração perversa: pobreza e tráfico de drogas. Rio de Janeiro: FGV.