Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Responsabilidade como Pressuposto da Sustentabilidade: O Futuro e a Validade do Direito Ambiental

DOI: http://dx.doi.org/10.18839/2359-5299/repats.v2n1p107-122

http://portalrevistas.ucb.br/index.php/REPATS 

downloadpdf

Larissa G. B. Silva1

 

Resumo: O presente artigo busca analisar a responsabilidade como forma de alcance da sustentabilidade. A busca por seu sentido aqui é balizada pela descrição de alguns aspectos da teoria de Hans Jonas vislumbrando-se empreender um raciocínio integrativo acerca da necessidade das decisões judiciais que em matéria de Direito Ambiental devem contemplar não só passado e presente, mas se construir a partir da contribuição dos diversos saberes. A sustentabilidade deve ser entendida em seus aspectos multiformes através de uma ética que preceitua o agir preventivo, preocupado com a relação entre os seres vivos do presente e do futuro.

Palavras-chave: Responsabilidade; Homem-Natureza; Sustentabilidade; Futuro; Fundamento de Validade do Direito.

 

Resumen: Este artículo pretende analizar la responsabilidad como un medio para lograr la sostenibilidad. La búsqueda de su significado aquí es impulsado por la descripción de algunos aspectos de la teoría de Hans Jonas es predecible emprender un pensamiento integrador sobre la necesidad de las decisiones judiciales en el ámbito del derecho ambiental debe incluir no sólo el pasado y el presente, sino para construir en la contribución de los diversos conocimientos. La sostenibilidad debe ser entendida en sus múltiples aspectos a través de una acción preventiva preceptos éticos, preocupado por la relación entre los seres vivos presentes y futuras.

Palabras clave: Responsabilidad; Hombre-Naturaleza; Sostenibilidad; Futuro. Validez de la fundación de derecho

 

1 Mestranda em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável pela Escola Superior Dom Helder Câmara. Advogada.

 

Literatura Citada

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000. XII, 1014p.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília. Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 13 abr. 2015.

BRITO, Franclim. Jorge Sobral; NAVES, Bruno Torquato de Oliveira. Segunda Modernidade e Responsabilidade: a questão ambiental a partir da interface entre tecnociência e ética à luz do pensamento de Hans Jonas.In: XXI Encontro Nacional do CONPEDI, 2012, Uberlândia. Anais do XXI Encontro Nacional do CONPEDI. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2012. v. 1. p. 1514-1530.

COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 716p.

FREITAS, Juarez. Sustentabilidade: direito ao futuro. 1.ed. Belo Horizonte: Editora Fórum, 2011. 340p.

JONAS, Hans. O Princípio Responsabilidade: ensaio de uma ética para a civilização tecnológica. Tradução de Luiz Barros Montez. Rio de Janeiro: PUC Rio/Contraponto, 2006.

JUNIOR, Dempsey Pereira Ramos. O futuro como fundamento gnosiológico de validade do Direito Ambiental: A norma fundamental pós-suposta. Veredas do Direito, Belo Horizonte. v. 11, n. 21. p. 281-316. Janeiro/Junho de 2014.

MAYER, Elizabeth. A preservação do meio ambiente como proteção do Direito à vida, sob a luz do princípio da responsabilidade, de Hans Jonas. 2013. 113 f. Dissertação(Mestrado).Escola Superior Dom Helder Câmara, Belo Horizonte.2013.

MORA, Jose Ferrater. Dicionario de filosofia. Editorial Sudamericana, Buenos Aires, 1971.

RIOS, Mariza; CARVALHO, Newton Teixeira. O dom da produção acadêmica. Belo Horizonte. 2012.

VAZ, Henrique Claúdio de Lima. Antropologia Filosófica II. São Paulo: Loyola, 1992. 273 p.