Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Questão da Dominação Masculina na Constituição do Sujeito Moderno

DOI: http://dx.doi.org/10.15668/1807-8214/artemis.v19n1p161-167

http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/artemis 

downloadpdf

Lauro R. Lostada1

 

Resumo: Desde os gregos encontramos diversas explicações sobre as questões de gênero e sexualidade, mas não aceitamos mais como fatalidade o que somos e o que pensamos, pois entendemos que, frutos de uma época pós-moderna, temos plenas condições para nos constituir como sujeitos críticos, capazes de vislumbrar toda a estrutura vigente – estrutura essa fruto de uma cuidadosa arquitetura planejada e executada por instituições que sempre privilegiaram os interesses de apenas algumas classes e, portanto, também de sua visão de mundo. Este artigo se apresenta, pois, como uma possibilidade de refl exão das relações de gênero historicamente constituídas em nossa sociedade. Partimos das pesquisas do francês Pierre Bourdieu para realizar uma espécie de genealogia das relações instituídas em nossa sociedade e concluímos, com tais análises, que a dominação masculina é o retrato de uma sociedade pouco madura, cuja mudança seria alcançada pela promoção de uma educação emancipatória.

Palavras-chave: Gênero; Sexo; Diversidade; Dominação Masculina; Emancipação.

 

Abstract: Since the Greeks we found several explanations about gender and sexuality issues, but we no longer accept as inevitable what we are and what we think, because we understand that, fruits of a post-modern era, we are fully able to constitute ourselves as critical subjects, able to glimpse all existing structure - structure that resulted of careful planned and executed architecture by institutions that always favored the interests of just a few classes and therefore also of his worldview. This article, therefore, presents itself as a possible refl ection of gender relations historically constituted in our society. We started with French Pierre Bourdieu’s research to perform a kind of genealogy of relationships established in our society and we concluded with such analyzes, that male domination is the portrait of an undeveloped society, whose change would be achieved by promoting an emancipatory education.

Key words: Gender; Sex; Diversity; Masculine Domination; Emancipation.

 

1 Assistente Técnico Pedagógico na EEB Irmã Maria Teresa – SED/SC. Doutorando em Educação (UFSC). Email: lostada25@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

MARTÍN-BARBERO, Jesús. América Latina e os anos recentes: o estudo da recepção em comunicação social. In: SOUSA, Mauro Wilton de (org), et al. Sujeito, o lado oculto do receptor. São Paulo: Brasiliense, 1995.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kühner. 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2004.

BOURDIEU, Pierre. As contradições da herança. In: NOGUEIRA, M.A. e CATANI, A. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

MORRIS, J. Conundrum. New York, Harcourt, Brace, Jovanovich, 1974. In: BOURDIEU, Pierre. A dominação Masculina. Trad. Maria Helena Kühner. 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falava Zaratustra – um livro para todos e para ninguém. Petrópolis: Vozes, 2007.

NIETZSCHE, Friedrich. Ecce Homo – de como a gente se torna o que a gente é. Porto Alegre: L&PM, 2003.

WOOLF, Virginia. “Trois guinées”. Paris: Éditions dês femmes, 1977. In: BOURDIEU, Pierre. A dominação Masculina. Trad. Maria Helena Kühner. 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

World Association for Sexual Health. Declaração dos Direitos Sexuais como Direitos Humanos Universais. 1999. Disponível em: <http://www.worldsexology.org/wp-content/uploads/2013/08/DSR-Portugese.pdf>. Acesso em: 03 maio 2015.