Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Qualidade das Sementes de Soja Resfriadas Artificialmente

DOI: http://dx.doi.org/10.13083/1414-3984.v17n01a01

http://www.seer.ufv.br/seer/index.php/reveng/index 

downloadpdf

Angélica Demito1 & Adriano D. L. Afonso2

 

Resumo: O teor de umidade e a temperatura das sementes durante seu armazenamento são fatores decisivos para a manutenção do vigor e do poder germinativo. As empresas beneficiadoras recebem sementes do campo com alta porcentagem de germinação e vigor, mas que se perdem devido à alta umidade e temperatura, que possibilitam a infecção por fungos, principalmente, no período que antecede a secagem e durante a armazenagem. O resfriamento artificial de sementes a granel desponta como uma alternativa interessante, técnica e economicamente. Assim, esta pesquisa teve como objetivo estudar, o comportamento da temperatura das sementes de soja resfriadas artificialmente, armazenadas em sacos de polipropileno e emblocadas em um armazém convencional. As sementes de soja permaneceram armazenadas por um período de 140 dias, sendo monitoradas as temperaturas em diferentes profundidades dentro dos blocos. Os resultados de laboratório indicaram que as sementes resfriadas tiveram maior germinação em relação às não resfriadas. Para as condições em que foi realizada esta pesquisa, conclui-se que as sementes de soja resfriadas artificialmente mantiveram estabilidade térmica durante o período de armazenagem, principalmente, em maiores profundidades. As sementes resfriadas artificialmente mantiveram o poder germinativo dentro do padrão comercial, devido aos menores valores de temperatura durante o período de armazenamento, enquanto as sementes no bloco testemunha tiveram sua germinação abaixo do padrão.

Palavras-chave: armazenamento, resfriamento artificial, sementes de soja

 

Abstract: Moisture content and seed temperature during storage are the main factors that affect soybean seed germination and vigor. Seed companies usually harvest seeds with high levels of germination and vigor, which may be lost specially, before drying and during storage due to fungal growth related to high moisture and temperature. Artificial cooling of seeds in bulk or in bags appears to be technically and economically viable alternative. This work was done to study the thermal stability and germination of artificially cooled soybean seeds stored for 140 days in bags in a conventional warehouse. The temperature was monitored at different depths inside the blocks. Under the experimental conditions, artificially cooled seeds maintained thermal stability during the storage period specially, at greater depths in the seed block. Artificially cooled seeds retained germination level above the commercial standard, while the germination of seeds declined below that required for use as seed.

Key words: storage, artificial chilling, soybeans seeds

 

1 Engenheira Agrícola, Mestranda em Engenharia Agrícola, demito@coolseed.com.br
2 Engenheiro Agrícola, D.S.. em Engenharia Agrícola, Professor do DEAG – Unioeste, adafonso@unioeste.br

 

Literatura Citada

BAUDET, L.M.L. Armazenamento de sementes. In: PESKE, S.T.; ROSENTAL, M.D.; ROTA, G.R. Sementes: fundamentos científicos e tecnológicos. Pelotas: Ed. Universitária-UFPel, 2003. p. 370-418.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análise de sementes. Brasília: Departamento de Produção Vegetal, 1992. 365 p.

DELOUCHE, J.C. Germinação, deterioração e vigor de sementes. In: SEED NEWS. Pelotas: Editora Becker e Peske Ltda, v. 6, n. 6, p. 24-31. 2002.

LAZZARI, F.A. Umidade, fungos e micotoxinas na qualidade de sementes, grãos e rações. 2 ed. Curitiba: Ed. do Autor, 1997. 148 p.

MAIER, D.E.; NAVARRO, S. Chilling of grain by refrigerated air. In: S. NAVARRO; R. ROYES (eds.) The mechanics and physics of modern grain aeration management. Boca Raton: CRC Press, 2002. p. 489-560.

MELLO, V.D.C. Qualidade fisiológica de sementes de arroz sob condições de secagem estacionária e contínua. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas, 1996. 98 p. (Tese de Doutorado).

SCUSSEL, V.M. Fatores que favorecem o desenvolvimento de fungos e produção de toxinas. In: LORINI, I; MIIKE, L. H; SCUSSEL, V.M. Armazenagem de grãos. Campinas: IBG, 2002. 1000 p.

PORTO, A.G. Resfriamento de sementes de soja em silo com sistema de distribuição radial do ar. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas, 2004. 47 p. (Tese de Doutorado).