Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Uso do Teste de Condutividade Elétrica na Avaliação dos Danos Provocados por Diferentes Taxas de Secagem em Sementes de Feijão

DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v1n1p21-26

http://rbpaonline.com/ 

downloadpdf

Paulo C. Corrêa2 & Paulo C. Afonso Júnior1

 

Resumo: O principal objetivo deste trabalho foi verificar o efeito de diferentes taxas de secagem na germinação e no grau de danificação de sementes de feijão, empregando-se o teste de condutividade elétrica para diferentes teores de umidade de colheita e temperaturas do ar de secagem. A análise dos resultados obtidos permitiu evidenciar que a utilização do teste de condutividade elétrica permite a identificação de danos causados às sementes pelo processo de secagem, sendo que o aumento da taxa de secagem afeta a qualidade das sementes de feijão, e que, sementes colhidas com teores de umidade mais elevados são mais sensíveis a perda de qualidade durante a secagem.

Palavras-chave: feijão, secagem, condutividade elétrica

 

Abstract: The main objective of this work went verify the effect of different drying rates in the germination and in the degree of danificação of bean seeds, being used the test of electrical conductivity, for different moisture contents of crop and temperatures of the drying air. The analysis of the obtained results allowed to evidence that the use of the test of electrical conductivity allows the identification of caused damages the seeds for the drying process, and the increase of the drying rate affects the quality of the bean seeds, and that, seeds picked with higher moisture contents are more sensitive the quality loss during the drying.

Key words: bean, drying, electrical conductivity

 

1 Eng. Agrônomo, D.S., Professor Adjunto no DEA-UFV, copace@mail.ufv.br
2 Eng. Agrícola, M.S., Estudante de Doutorado em Engenharia Agrícola no DEA-UFV, pjunior@alunos.ufv.br

 

 Literatura Citada

Bewley, J.D.; Black, M. Seeds: Physiology of development and germination. New York: plenum Press, 1985. 367p.

Brasil, Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análise de sementes. Brasília: DNDV/CLAV, 1992. 365p.

Brooker, D. B.; Bakker-Arkema, F. W.; Hall, C. W. Drying and storage of grains and oilseeds. Westport: AVI, 1992. 450p.

Delouche, J. C.; Baskin, C. C. Accelerated aging techniques for predicting the relative storability of seed lots. Seed Science & Technology, Zurich, v. 1, n. 2, p.427-452, 1973.

Krzyzanowski, F. C.; França Neto, J. B.; Henning, A. A. Relatos dos testes de vigor disponíveis para as grandes culturas. Informativo ABRATES, Brasília, v. 1, n. 2, p.15-50, 1991.

Overhults, D. G.; White, G. M.; Hamilton, H. E. et al. Drying soybeans with heated air. Transactions of the ASAE, St. Joseph, v. 16, n. 1, p.112- 113, 1973. https://doi.org/10.13031/2013.37459

Popinigis, F. Fisiologia da semente. Brasília: AGIPLAN, 1977. 289p.

Toledo, F.F.; Marcos Filho, J. Manual das sementes: tecnologia e produção. São Paulo: Agranômica Ceres, 1977. 224p.

Vieira, R. D. Teste de condutividade elétrica. In: Vieira, R. D., Carvalho, N. M. Testes de vigor em sementes. Jaboticabal: FUNEP/UNESP, 1994. p.103-132.

White, G. M.; Bridges, T. C.; Loewer, O. J. et al. Seed coat damage in thin-layer drying of soybeans. Transactions of the ASAE, St. Joseph, v. 23, n. 1, p.224-227, 1980.