Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Drying Curves of Umbu Fruits with Osmotic Pre-Drying

DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v2n2p33-38

http://rbpaonline.com/ 

downloadpdf

Severina de Sousa1, Mário E. R. M. C. Mata2, Maria E. D. Braga2 & Antonio F. Monteiro Filho1

 

Abstract: Ripe and semi-ripe umbu fruits (Spondias tuberosa Arruda Câmara) have been undergone into an osmotic pre-drying in a sucrose solution at 76ºBrix, from an initial moisture content to its stability. After the osmotic drying, fruits have been dried up to final water rates of 40, 35 and 30%b.u., in the experimental fixed dryer at temperatures of 70, 80 and 90ºC and drying air speed of 1.27m.s-1. Proposed equations by Page and Fick have been set up to experimental dada (by using one, two and three series terms) by non-linear regression. The obtained results allow the conclusion that the best found adjusts have been the ones with Page’s equation, where the determining coefficients were over 99.5%. However, Fick’s equation, even having used three terms from the series, hadn’t shown a satisfactory adjust for all temperatures in study, although it was used three terms from the series.

Key words: umbu, drying, osmotic drying

 

Resumo: Frutos de umbu (Spondias tuberosa Arruda Câmara) maduro e semimaduro frutifica foram submetidos a uma pré-secagem osmótica, em uma solução de sacarose à 76ºBrix, de um teor de umidade inicial até sua estabilidade. Depois da secagem osmótica, as frutas foram secas até os teores de umidades finais de 40, 35 e 30%b.u., em um secador experimental a temperaturas de 70, 80 e 90ºC e velocidade do ar de secagem de 1,27m.s-1. Foram ajustadas aos dados experimentais as equações propostas por Page e Fick (usando um, dois e três condições de série) por meio de regressão não-linear. Os resultados obtidos permitem concluir que o melhor ajuste foi obtido utilizando-se a equação de Páge onde o coeficiente de determinação encontrava-se acima de 99,5%. Porém, a equação de Fick, mesmo utilizando- se três termos da série, não mostrou um ajuste satisfatório, para todas as temperaturas estudadas.

Palavras-chave: umbu, secagem, pré-secagem osmótica

 

1 Eng. Agrônomo, M.Sc. em Engenharia Agrícola. Rua São Vicente, 31 Alagoa Grande, PB-Brasil E-mail: seve@deag.ufpb.br and E-mail: antonio@deag.ufpb.br.
2 Universidade Federal da Paraíba, Departamento de Engenharia Agrícola, P.O.Box 10.087, 58109-970 Campina Grande, PB – Brasil E-mail: elita@deag.ufpb.br and E-mail: mmata@deag.ufpb.br

  

Literatura Citada

Canto, W.L.; Siveira, E.T.F.; Leite, R.S.S.F.; Maia, M.L.; Gasparino, J.Fo; Yatsuyanagy, K. Processamento e Mercado de Frutas Secas, Estudos Econômicos – Alimentos Processados, 1987. 208 p.

Cavalcanti Mata, M.E.R.M. Efeito da secagem em altas temperaturas por curtos períodos de tempo em camada estacionaria, sobre a armazenagem de sementes de feijão (Phaseolus vulgaris L.) variedade ”carioca”. Campinas. Universidade Estadual de Campinas, 1997. 254p. (Tese de Doutorado)

Cavalcanti Mata, M.E.R.M. Simulação de secagem do milho branca BR-451 em secador de camada estacionária. Campina Grande-PB, Universidade Federal da Paraíba, 1993. 140p. (Tese de Professor Titular)

Cavalcanti Mata, M.E.R.M., Braga, M.E.D. Taxas de secagem de amêndoas de cacau (Theobroma cacao L.) em camadas finas em função da temperatura e teor de umidade inicial do produto. Revista Brasileira de Armazenagem, Viçosa, Centreinar, v.24, n.2, pp.10-19, 1999.

Christ, D. Curvas de equilíbrio higroscópico e de secagem da canola (Brassica napus L. var. oleifera), e efeito da temperatura e da umidade relativa do ar de secagem sobre a qualidade das sementes. Viçosa, Universi-dade Federal de Viçosa, 1996, 50p. (Dissertação de Mestrado)

Dalpasquale V., Queiroz, D.M., Pereira, J.A.M., Sinício, R. Secagem de grãos em altas temperaturas. Viçosa, MG : Centro Nacional de treinamento em Armazenagem – CENTREINAR. 1987, 47p. (Apostila)

Fusco, A.J., Avanza, J.R, Aguerre, R.J., Gabitto, J.F. A diffusional model for drying with volume change, Drying Technology, v.9, n.2, p.397- 417, 1991. https://doi.org/10.1080/07373939108916673

Gabas, A.L. Secagem de uva itália em leito fixo. Campinas. Universidade Estadual de Campinas. 1998, 137p. (Dissertação de Mestrado)

Jayaraman K.S., Das Gupta, O.K. Dehydration of fruits and vegetables. Recent developments in principles and techniques. Drying Technology, v.10, n.1, p.1-50, 1992. https://doi.org/10.1080/07373939208916413

Misra M.K.; Brooker, D.B. Thin layer drying and Rewetting equations for shelled yellow corn. Transactions of the ASAE, v.23, n.5, p. 1254-1260, 1980. https://doi.org/10.13031/2013.34756

Mulet, A. Drying modeling and water diffusivity in carrots and potatoes. Journal Food Engineering, v.22, p.329-348, 1994. https://doi.org/10.1016/0260-8774(94)90038-8

O’Callaghen J.R., Menezies. D.J., Bailey, P.H. Digital Simulation Of Agricultural Drier Performance. Journal of Agricultural Engineering Research, London, n.16, p.223-244, 1971.

Prado, M.E.T. (1998), Secagem de tâmaras (Phoenix dactifera L.) para a obtenção de tâmara passa. Campinas – SP. Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas, 148p. (Tese de Doutorado).

Sousa, S. Desenvolvimento experimental de passa de umbu (Spondias tuberosa Arruda Câmara). Campina Grande, Universidade Federal da Paraíba, 1999, 98p. (Dissertação de Mestrado).

Soares J.B. Curvas de secagem em camada fina e propriedades físicas de soja (Glicine max L.) Viçosa, Universidade Federal deViçosa. 1996, 91p. (Dissertação de Mestrado)

Waananen, K.M., Litchfield, J.B., Okos, M.R. Classification of drying models for porous solids. Drying Technology, v.17, n.1, p.1-40, 1993. https://doi.org/10.1080/07373939308916801