Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Armazenamento do Suco de Acerola Microencapsulado

DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v3n1p1-6

http://rbpaonline.com/ 

downloadpdf

Rossana M. F. de Figueirêdo1, Angela Grandin2 & Enny T. Martucci3

 

Resumo: Este trabalho teve como objetivo estudar o armazenamento do suco de acerola (Malpighia punicifolia, L.) microencapsulado, em embalagens flexíveis laminadas. As amostras foram armazenadas durante 360 dias a temperatura ambiente e analisadas periodicamente quanto ao teor de ácido ascórbico e umidade. Verificou-se que a amostra com maior concentração de maltodextrina e goma arábica, em sua formulação, apresentou a menor perda de ácido ascórbico no final do período de armazenamento. O teor de umidade das amostras apresentou variações em seus valores, mas não se evidenciou tendência de acréscimo ou decréscimo com o tempo de armazenamento. Diante dos resultados obtidos pode-se concluir que a combinação da microencapsulação com o tipo de embalagem utilizada manteve as características das amostras adequadamente durante um ano.

Palavras-chave: conservação, cereja das antilhas, ácido ascórbico

 

Abstract: This work had as objective to study the storage of the West Indian cherry (Malpighia punicifolia, L.) juice microencapsulated, packed with laminated plastic. The samples were stored for 360 days to room temperature and analyzed periodically as for the of ascorbic acid and moisture. It was verified that the sample with larger maltodextrin concentration and Arabic gum, in its formulation, presented to smallest loss of ascorbic acid in the end of the storage period. The moisture of the samples presented variations in its values, but it was not evidenced increase tendency or decrease with the time of storage. Due to the obtained results it can be concluded that the combination of the microencapsulation with the type of used packing maintained the characteristics of the samples appropriately during one year.

Key words: conservation, West Indian cherry, ascorbic acid

 

1 Profa. Adjunto, DEAg/UFPb, CP - 10.017, Campus II, CEP 58109-970, Campina Grande, PB. E-mail rossana@deag.ufpb.br
2 Graduanda em Engenharia de Alimentos, FEA - UNICAMP, CP - 6121, CEP 13081-970, Campinas, SP.
3 Profa. MS-3, Aposentada, FEA – UNICAMP.

  

Literatura Citada

A.O.A.C (Associaton of Official Analytical Chemists). Official methods of analysis. WILLIAMS, S. (Ed.) 14. ed. Arlington, 1984. 1141 p.

Benassi, M.T. Análise dos efeitos de diferentes parâmetros na estabilidade de vitamina C em vegetais processados. 1990. 159 f.

Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Alimentos) – Faculdade de Engenharia de Alimentos, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Gava, A. Processamento asséptico de suco de frutas. Alimentação, n. 76, p. 32-37, 1985.

Gomes, F.P. Curso de estatística experimental. 12. ed. São Paulo: ESALQ/USP, 1987. 467 p.

Leme Jr., J.; Fonseca, H.; Nogueira, J.N. Variação do teor de ácido ascórbico e beta-caroteno em cerejas das Antilhas (Malpighia punicifolia L.) liofilizada. Archivos Latinoamericanos de Nutricion. v. 23, n. 2, p. 207-215, 1973.

Silva, F. de A. S. The ASSISTAT software: statistical assistance. In: International Conference On Computers In Agriculture, 6., 1996, Cancun. Anais... Cancum: American Society of Agricultural Engineers, 1996. p. 294- 298.