Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Secagem Combinada de Café Cereja Descascado

DOI: http://dx.doi.org/10.13083/1414-3984.v17n03a08

http://www.seer.ufv.br/seer/index.php/reveng/index 

downloadpdf

Juan J. F. Palacin1, Adílio F. de Lacerda Filho2, Evandro de C. Melo3 & Erly C. Teixeira4

 

Resumo: Objetivou-se, neste trabalho, avaliar sistemas combinados para a secagem de café, realizando a présecagem em leito fixo, em secador de leira e com ar aquecido indiretamente (secador “híbrido”), bem como a complementação da secagem em silos secadores, mediante o emprego de ar na temperatura ambiente. Compararam-se os resultados com os da secagem em terreiro de cimento e com os de secagem completa em “terreiro híbrido”. O objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade do produto e o consumo específico de energia. Nos terreiros de cimento e no “híbrido” foram utilizados quatro lotes de 2,5 m3 de café cereja descascado e desmucilado. O silo secador tinha capacidade para 51,3 m3 e foi carregado em lotes, sucessivamente, cujos volumes eram de 4,8 m3. A umidade inicial do primeiro lote era de 25,0% e a do último, 18,0%. A vazão de ar do ventilador era de 58,0 m3 min-1. Para avaliação comparativa dos sistemas, foram monitorados o teor de água e a massa específica aparente dos grãos, a temperatura e umidade relativa ambiente, a temperatura do ar de secagem e o consumo de combustível e de energia elétrica. O maior consumo de energia específica e o menor índice de qualidade do café foram obtidos no terreiro de cimento. Concluiu-se que a utilização do sistema de secagem combinada e do “terreiro híbrido”, se bem operado, pode preservar a qualidade original do café, além de demandar menos energia específica para a secagem.

Palavras-chave: qualidade de café, sistemas de secagem, energia

 

Abstract: The objective of this work was to evaluate a combined system for coffee drying, where the initial drying was carried out in a fixed bed, in rows, or with indirectly heated air (‘’hybrid dryer”), followed by complementary drying in silos with the use of air at ambient temperature. The results were compared with drying on cement terrace and complete drying in “hybrid terrace”. The specific objective of the study was to evaluate product quality and specific energy consumption. In the cement and hybrid terrace, four lots of 2.5 m3, dehusked cherry coffee were used. The drying silo of 51.3 m3 capacity was successively loaded in lots of 4.8 m3. The initial moisture content of the first lot was 25%, and that of the last 18%. The airflow was 58.0 m3 min-1. For comparative evaluation of the systems, grain moisture content and apparent specific mass, temperature and ambient relative humidity, drying air temperature and fuel and electricity consumption were evaluated. The highest specific energy consumption and the lowest coffee quality index were obtained when the coffee was dried on cement terrace. It was concluded that the use of the combined drying system and “hybrid terrace” drying system, if well operated, can preserve the original coffee quality, besides demanding less specific energy for drying.

Key words: coffee quality, drying systems and energy

 

1 Doutor em Engenharia Agrícola pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola da UFV. E-mail: fonsecaj1962@hotmail.com
2 Professor Associado II do Departamento de Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Viçosa (UFV). E-mail: alacerda@ufv.br
3 Professor Associado II do Departamento de Engenharia Agrícola da UFV. E-mail: evandro@ufv.br
4 Professor Titular do Departamento de Economia Rural da UFV. E-mail: teixeira@ufv.br

 

Literatura Citada

AFONSO JUNIOR, P. C. Aspectos físicos, fisiológicos e de qualidade do café em função da secagem e do armazenamento. Viçosa, MG: UFV, 2001. 384 f. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

BRASIL. Acompanhamento da safra brasileira: café. Brasília: Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB (Primeira estimativa), 2008. 13 p. Disponível em: <http://www.conab.gov.br>. Acesso em: 22 abr. 2008.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regulamento técnico de identidade e de qualidade para a classificação do café beneficiado grão cru. Instrução Normativa no 8, de 11 de junho de 2003. 11 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análise de sementes. Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária. Brasília: MAA/DNDV, 1992. 365 p.

CAMPOS, A. T. Desenvolvimento e análise de um protótipo de secador de camada fixa para café (Coffea arabica L.) com sistema de revolvimento mecânico. Viçosa, MG: UFV, 1998. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

FREIRE, A.C.F.; MIGUEL, A.C. Rendimento e qualidade do café colhido nos diversos estádios de maturação em Varginha, MG. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISAS CAFEEIRAS, 12., 1985, Caxambu. Resumos... Rio de Janeiro: MIC/IBC, 1985. p. 210-214.

LACERDA FILHO, A. F. de. Avaliação de diferentes sistemas de secagem e suas influências na qualidade do café (Coffea arabica L.). Viçosa, MG: UFV, 1986. 136 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

MELO, E. C.; LOPES, D.C.; CORREA, P. C. GRAPSI – programa computacional para o cálculo das propriedades psicrométricas do ar. Engenharia na Agricultura, Viçosa, AEAGRI, v. 12, n. 2, p.154-162, 2004.

PINTO, F. A. C.; SILVA, J. de S. E.; SOUZA, F.F. de. Simulação de secagem de grãos. Modelo de Hukill. Engenharia na Agricultura, v. 1, n. 1, p. 16, 1991.

SILVA, J.S.; NOGUEIRA, R.M.; PRECCI, R.L. Um sistema ideal para secagem de café. In: ZAMBOLIM, L. (Ed.). Produção integrada de café. Viçosa, MG: DPF/UFV, 2003. 709 p.

SILVA, J.S.; SAMPAIO, C.P.; MACHADO, M.C.; LO MONACO, P.A. Preparo, secagem e armazenagem. In: SILVA, J.S. et al. (Eds.). Secagem e armazenagem do café – Tecnologias e custos. Viçosa, MG: UFV, CBP&D-Café, 2001. p. 1-60.