Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Avaliação da Influência da Velocidade de Destilação na Análise Físico-Química de Aguardente de Cana-de-Açúcar

DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v9n2p101-109

http://rbpaonline.com/ 

downloadpdf

Hermeval J. Dantas1, Francisco de A. Vilar2, Flavio L. H. da Silva3 & Adriano S. Silva4

 

Resumo: A legislação brasileira sobre bebidas define a aguardente de cana como a bebida com graduação alcoólica de trinta e oito a cinqüenta e quatro por cento em volume, a vinte graus Celsius, obtida do destilado alcoólico simples de cana-de-açúcar, ou ainda, pela destilação do mosto fermentado de cana-de-açúcar, podendo ser adicionado de açúcares até seis gramas por litro. Este trabalho teve o objetivo de estudar a influência da velocidade no processo de destilação (três velocidades de 0,70 L.min-1, 1,10 L.min-1 e 1,50 L.min-1) sobre as características físicoquímicas da aguardente produzida e sua conformidade com os padrões de identidade e qualidade para aguardentes de cana simples, segundo legislação brasileira. As três velocidades de destilação analisadas na produção de aguardente não apresentaram diferenças significativas estatisticamente entre si, ao nível de 95% de confiança.

Palavras-chave: fermentação alcoólica, caracterização físico-química, destilado de cana-deaçúcar.

 

Abstract: The Brazilian legislation on alcoholic drinks defines the sugar cane spirit as the drink with alcoholic content of 38 to 54 per cent in volume, at 20  0C, for a simple alcoholic distillate of sugar-cane, obtained by distillation of the fermented sugar-cane must, containing added sugars up to six grams per liter. The objective of the present work was to study the influence of distillation process rate ( 0.70 L.min-1, 1.10 L. min-1 and 1,50 L. min-1) on the physico-chemical characteristics of the produced sugar cane spirit and its confirmation with the specification established by Brazilian legislation for spirit of sugar cane. The three distillation rates analyzed in the production of spirit did not present any significant statistical differences among them, at the level of 95 % of confidence.

Key words: alcoholic fermentation, physico-chemical characterization, sugar-cane distillate.

 

1 Químico Industrial, E-mail: hermevalj@gmail.com
2 Agrônomo, E-mail: vilar2000@uol.com.br
3 Professor Dr. da Unidade Acadêmica de Engenharia Química, UFCG, Av. Aprígio Veloso 882 CEP 58.109-970, Campina Grande, Paraíba, E-mail: flavioluizh@yahoo.com.br
4 Químico Industrial, doutorando em Engenharia de Processos, E-mail: adriano_santana@yahoo.com.br

  

Literatura Citada

Boscolo, M.; Bezerra, C.W.B.; Cardoso, D.R.; Lima Neto, B.S.; Franco, D.W. Identification and dosage by HRGC of minor alcohols and esters in Brazilian sugarcane spirit. Journal of the Brazilian Chemistry Society, v.11, n.1, p.86-90, 2000. https://doi.org/10.1590/S0103-50532000000100015

Boza, Y.; Horii, J. Influência da destilação sobre a composição e a qualidade sensorial da aguardente de cana-de-açúcar. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.18, n.4, 1998. https://doi.org/10.1590/S0101-20611998000400006

Braga, B.S. A influência da temperatura na condução de dois processos fermentativos para produção de cachaça. Piracicaba: ESALQ/FCTA, 2006. 90p. (Dissertação de Mestrado). https://doi.org/10.11606/D.11.2006.tde-15012007-163245

Brasil. Leis, decretos, etc. Decreto n° 2.314 de 04 de setembro de 1997. Diário Oficial da União, Brasília, 05 de setembro de 1997.

Cantão, F. de O. Análises físico-químicos e avalhttps://doi.org/10.1590/S0100-40422006000500036

Lima, U. de A. Aguardente: fabricação em pequenas destilarias. Piracicaba: Fealq, 1999. 187p.

Lima, U. de A.; Aquarone, E.; Borzani, W.; Schmidell, W. Biotecnologia industrial: processos fermentativos e enzimáticos (vol.3). 1.ed. São Paulo: Editora Edgard Blucher. 2001.

Masson, J. Parâmetros físico-químicos e cromatográficoa em aguardente de cana queimada e não queimada. Lavras, UFLA/FQ, 2005. 69p. (Dissertação de Mestrado).

Neves, E.A.; Oliveira, A.; Fernandes, A.P.; Nóbrega, J.A. Simple and efficient elimination of copper (II) in sugar-cane spirits. Food Chemistry, v.101, p.33-36, 2007. https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2005.12.050

Oliveira, E.S. Características fermentativas, formação de compostos voláteis e qualidade da aguardente de cana obtida por linhagens de leveduras isoladas de destilarias artesanais. Campinas, UNICAMP/FEA, 2001. 135p. (Tese de Doutorado).

Siebald, H.G.L.; Geraldo, M. de L.; Marcus, H.C.; Silva, J.B.B. da. Alguns aspectos toxicológicos da cachaça. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v.23, n.217, p.59-62, 2002.

Yokoya, F. Fabricação de aguardente de cana. Campinas: Fundação Tropical de Pesquisas e Tecnologia “André Tosello”, 1995. 87p. (Série Fermentações Industriais).

Silva, F.A.S.; Azevedo, C.A.V. Versão do programa computacional Assistat para o sistema operacional Windows. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais. Campina Grande, v.4, n.1, p.71-78, 2002.