Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Determinação da Quantidade de Compostos Fenólicos Totais Presentes em Extratos Líquido e Seco de Erva-Mate (Ilex paraguariensis)

DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v16n1p33-41

http://rbpaonline.com/ 

downloadpdf

Adeline Chaicouski1, Joyce E. da Silva2, José L. F. da Trindade3, Maria H. G. Canteri4

 

Resumo: A erva-mate (Ilex paraguariensis) possui em sua composição diversos compostos responsáveis pelas características sensoriais dos produtos e tornam a planta altamente medicinal. A maneira mais comum de consumo é o chimarrão, que está limitado às regiões onde é produzida. Atualmente são muitas as aplicações tanto da erva-mate “in natura” quanto da processada. Pesquisas demonstram o grande potencial antioxidante que apresenta. Os fenólicos evitam a formação de radicais livres. Diferenças na capacidade antioxidante de extratos tanto aquoso quanto hidroalcoólico de erva-mate sugerem menor concentração de compostos fenólicos solúveis em água. O objetivo foi determinar o teor de compostos fenólicos em extrato líquido e seco de erva-mate e verificar as perdas durante a secagem por foam-mat e liofilização. Utilizouse erva-mate tipo PN e para as extrações utilizou-se água e solução de álcool etílico 70%. Para a produção da espuma do foam-mat foram utilizados pectina, emustab® e liga neutra®. A estimativa do conteúdo total de fenólicos foi pelo método Folin-Ciocalteau modificado, expresso em padrão de catequina, determinada em espectrofotômetro a 720nm. Após a secagem, o material foi triturado e armazenado. A quantidade de fenólicos extraídos foi de 3,2 e 1,47 g Kg-1 para os extratos hidroalcóolico e aquoso, respectivamente. Os valores referentes aos fenólicos dos extratos secos obtido pelo método foam-mat foram de 0,41 g Kg-1 e 0,97 g Kg-1, para extrato seco aquoso e seco hidroalcóolico, respectivamente. Percebe-se que o extrato seco obtido pela extração hidroalcóolica apresentou maior retenção de fenólicos após a secagem do que a extração aquosa. Os resultados para fenólicos obtidos a partir dos extratos seco liofilizado aquoso e hidroalcóolico, foram, respectivamente, 3,0 e 4,3 g Kg-1, indicando que nesse processo a concentração de fenólicos ainda permanece superior no extrato obtido por via hidroalcóolica. Conclui-se que a extração hidroalcóolica foi mais eficiente que a extração aquosa. Ao utilizar uma solução extratora hidroalcoólica é possível extrair tanto compostos mais polares quanto os menos polares, significando vantagem na extração, e a liofilização mostrou ser mais eficiente na manutenção dos fenólicos, possivelmente devido ao uso de baixa temperatura e a pressão, quando comparada com o foam-mat.

Palavras-chave: Extratos de erva-mate; foam-mat; liofilização; compostos fenólicos; secagem.

 

Abstract: Yerba mate (Ilex paraguariensis) has in its composition many compounds responsible for sensory characteristics of the products and make the highly medicinal plant. The most common way of consumption is the mate, which is limited to regions where it is produced. Currently there are many applications both of yerba mate " in nature " as the processed. Research demonstrates the great potential that has antioxidant. The phenolics prevent the free radicals formation. Differences in the antioxidant capacity of aqueous extracts both as hydroalcoholic mate suggest lower concentration of water-soluble phenolic compounds. The objective was to determine the phenolic compounds content in liquid and dried yerba mate extract and check losses during foam-mat drying and freeze-drying. It used mate-type PN, and for the extractions its used water and ethanol solution 70%. For the foam-mat its used pectin, Emustab ® neutral alloy ®. The total phenolic content it was estimate by Folin-was Ciocalteau modified, expressed in standard catechin determined in a spectrophotometer at 720nm. After drying, the material was ground and stored. The amount of phenolic was 3.2 and 1.47 g kg-1 for aqueous and hydroalcoholic extract, respectively. The values the phenolic for the extracts obtained by method foam-mat were 0.41 g kg-1 and 0.97 g kg-1 for the aqueous and hydroalcoholic extract dry, respectively. Noticed that the dry extract obtained by hydroalcoholic extraction showed higher phenolic retention after drying than aqueous extraction. The results for phenolics obtained by freeze drying for the aqueous and hydroalcoholic extracts dried were, respectively, 3.0 and 4.3 g kg-1, indicating that in this process the concentration of phenolic still remains above the extract obtained by hydroalcoholic. It is concluded that the hydroalcoholic extraction was more effective than aqueous extraction. By using a hydroalcoholic extraction solution it is possible to extract much more polar compound as the less polar, meaning advantage in the extraction and freeze drying proved to be more efficient at maintaining the phenolic possibly due to the use of low temperature and pressure, as compared with the foam-mat.

Key words: Mate extract; foam-mat; freeze-dryer; phenolic compounds; dryer.

 

1 Mestranda em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UEPG), chaicouski@hotmail.com, 042-99117043.
2 Tecnóloga em Alimentos (UTFPR-PG), joyceestina@hotmail.com, 042-99260043.
3 Professor, Doutor, UTFPR-PG, joselftri@hotmail.com, 041-96490129.
4 Professora, Doutora, UTFPR-PG, canteri.mhg@gmail.com, 042-990376

 

Literatura Citada

Aguirre, J. M.; Filho, J. G. Desidratação de frutas e hortaliças. ITAL-Instituto de Tecnologia de Alimentos. Manual técnico. Campinas, p. 28-32, 1999. Anuário Brasileiro da Erva-Mate. Santa Cruz do Sul: Gazeta, 1999. 64p.

Asolini, F. C.; Tedesco, A. M.; Carpes, S. T.; Ferraz, C.; Alencar, S. M. Atividade antioxidante e antibacteriana dos compostos fenólicos dos extratos de plantas usadas como chás. Brazilian Jounal Food Technology, v. 9, n. 3, p. 209-215, 2006.

Bassani, V. L.; Campos, A. M. Desenvolvimento de extratos secos nebulizados de Ilex paraguariensis St.Hil; aqüifoliácea (erva-mate) visando a exploração do potencial do vegetal como fontes de produtos. Anais do 1º Congresso Sul- Americano de Erva-mate. EMBRAPA, Curitiba, 69-83, 1997.

Bastos, D. S.; Soares, D. M. B. G.; Araújo, K. G.L.; Verruma-Bernardi, M.R. Desidratação da polpa de manga “Tommy Atkins” utilizando a técnica de foam-mat drying: avaliações químicas físico-químicas e sensoriais. Brazilian Journal of Food Engineering, São Paulo, v. 8, n. 4, p. 283- 290, 2005.

Boss, E. A. Modelagem e otimização do processo de liofilização: Aplicação para leite desnatado e café solúvel. Campinas, 2004. 107p. Tese (Doutorado em Engenharia Química), Universidade Estadual de Campinas.

Donaduzzi, C. M.; Cardozo Jr., E. L.; Donaduzzi, E. M.; Silva, M. M.; Sturion, J. A.; Correa, G. Variação nos teores de polifenóis totais e taninos em dezesseis progênies de erva mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) cultivadas em três municípios do Paraná. Arquivos de Ciência da Saúde da Unipar, Toledo, v. 7, n. 2, p. 129-133, maio/ago. 2003.

Esmelindro, M. C.; Toniazzo, G.; Waczuk, A.; Dariva, C.; Oliveira, D. Caracterização físico-química da erva-mate: influência das etapas do processamento industrial. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 22, n. 2, p. 193-204, 2002.

Fellows, P. Food processing technologyprinciples and pratic. 1º edição, Ellis Horwood, Southmpton, 1988. 550p.

Koo, H.M.; Suhaila, M. Flavonoid (myricetin, quercetin, kaempferol, luteolin, and apigenin) content of edible tropical plants. J. Agric. Food Chemistry. Chicago: v.49, n. 6, p. 3106-3112, 2001.

Lima, U. A. Bebidas estimulantes. In: Ventturini Filho, W. G. Tecnologia de bebidas: matéria-prima, processamento, BPF/APPCC, legislação, mercado. Botucatu Edgard Blücher, 2005. p.205-208;

Mazuchowski, J. Z. Manual da erva-mate. Curitiba: Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural - EMATER-PR, 1989. 104 p.

Miranda, N.; URBAN, T. Engenhos & barbaquas. Curitiba: Posigraf, 1998. 120p.

Romero, J. T.; Gabas, A. L.; Yamashita, F.; Telis, V. R. N.; Menegalli, F. C. Secagem de produtos alimentícios, São José do Rio Preto: UNESP, 1997. p. 58.

Saldanha, L. A. Avaliação da atividade antioxidante “in vitro” de extrato de erva-mate (Ilex paraguariensis) verde e tostada e chá verde (Camellia sinensis). São Paulo, 2005. 120p. Dissertação (Mestre em Saúde Pública), Universidade de São Paulo.

Schinella, G.R.; Troiani, G.; Dávila, V.; Buschiazzo, P.M. de; Tournier, H.A. Antioxidant effects of an aqueous extract of Ilex paraguariensis. Biochemical and Biophysical Research Communications, v. 269, n. 2, p. 357-360, 2000.

Silva, A. S.; Gurjão, K. C. O.; Almeida, F. A. C.; Bruno, R. L. A.; Pereira, W. E. Desidratação da polpa de tamarindo pelo método de camada de espuma. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, V.32, nº 6, Nov/dez, 2008.

Singleton, V. L.; Orthofer, R.; Lamuela-Raventós, R. S. Analysis of total phenols and other oxidation substrates and antioxidants by means of Folin-Ciocalteau Reagent. Methods in Enzymology, v. 299,p. 152 –178, 1999.

Valduga, E. Caracterização química e anatômica da folha de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hill) e de espécies utilizadas na adulteração do mate. Curitiba, 1994. 119p. Dissertação (Mestre em Tecnologia Química), Universidade Federal do Paraná.

Valduga, A. T. Uso sustentado e processamento de Ilex paraguariensis St. Hil. (Erva-mate). São Carlos, 2002. 201p. Tese (Doutor em Ecologia e Recursos Naturais), Universidade Federal de São Carlos.

Vieira, M. A.; Maraschin, M.; Pagliosa, C. M.; Podestá, R.; Amboni, R. D. M. Análise de compostos fenólicos, metilxantinas, tanino e atividade antioxidante de resíduo de processamento de erva-mate: uma nova fonte potencial de antioxidantes. In: International workshop – ADVANCES IN CLEANER PRODUCTION. Anais. São Paulo: UNIP, 2009, p. 1-11.