Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Qualidade Fenólica e Atividade Antioxidante de Vinhos Tintos Produzidos no Estado do Paraná

DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v16n1p69-76

http://rbpaonline.com/ 

downloadpdf

Aline R. Lins1 & Giliani V. Sartori2

 

Resumo: Uma vez observada a influência do Estado do Paraná sob a economia do setor vitivinícola brasileiro, esse trabalho objetivou avaliar vinhos tintos produzidos neste estado. Foram analisadas nove amostras de vinhos tintos produzidos com diferentes uvas, as quais foram cultivadas nas cidades de Maringá, Londrina, Cambé e Corumbataí do Sul. Analisou-se os aspectos físico-químicos (teor alcoólico, acidez total e pH), fenólicos ( teores de antocianinas, taninos, fenóis totais) e atividade antioxidante. Os vinhos analisados apresentaram valores fenólicos que variaram de 1014,50 a 2971,00 mg EAG.L-1, destacando-se o vinho produzido na cidade de Cambé a partir da variedade Cabernet Sauvignon, que também apresentou a maior atividade antioxidante. Os vinhos produzidos com a uva Bordeaux cultivada em Londrina e em Cambé também se destacaram apresentando os valores mais altos de antocianinas entre todas as amostras analisadas. Os resultados deste trabalho salientam o alto teor fenólico dos vinhos paranaenses.

Palavras-chave: Vinhos tintos paranaenses, compostos fenólicos, atividade antioxidante.

 

Abstract: Once observed the influence of Paraná state over Brazilian economy in the wine market, this study aimed to evaluate red wines that is produced in this State. Nine samples of red wines made from different grapes, which were cultivated in Maringá, Londrina, Cambé and Corumbataí do Sul were analyzed. It was observed the physical-chemical aspects (alcohol content, acidity and pH), phenolics (anthocyanins, tannins and total phenols) and antioxidant activity. The wines which were analyzed showed phenolics values ranging from 1014,50 to 2971,00 mg EAG.L-1, highlighting the wine from Cabernet Sauvignon that is produced in Cambé, which also showed the biggest antioxidant activity. Wines made from Bordeaux grape, which were cultivated in Londrina and Cambé, also stood out, for presenting the highest values of anthocyanins among all samples. The results of this search emphasize the high phenolic content of the wine from Paraná.

Key words: Red wines from Paraná, phenolic compounds, antioxidant activity.

 

1 Discente do curso de farmácia, Faculdade Integrado de Campo Mourão, Rodovia BR 158, KM 207,Campo Mourão, PR, alinelins_15@hotmail.com (44) 9915-1596
2 Mestre em ciência e tecnologia de alimentos, docente do curso de farmácia da Faculdade Integrado de Campo Mourão, Av. José Custódio de Oliveira, 1898, Campo Mourão, PR, gili.sartori@gmail.com (44) 3016-2209/(55) 3027-7553/ (44) 9915-1596

 

Literatura Citada

Amerine, M. A., Ough, C. S. Methods for the analysis of musts and wine. 341p, 1987.

Angelo, P. M.; Jorge, N. Compostos fenólicos em alimentos - uma breve revisão. Rev. Inst. Adolfo Lutz. Univ. Estadual Paulista, São José do Rio Preto-SP. v. 66, n. 1, p. 01- 09, 2007.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria nº229 de 25 de outubro de 1988. Aprovar as normas referentes à "complementação dos padrões de identidade e qualidade do vinho". Ministério da Agricultura. Brasília –DF.

BRASIL. Lei nº 10.970, de 12 de novembro de 2004. Altera dispositivos da Lei no 7.678, de 8 de novembro de 1988, que dispõe sobre a produção, circulação e comercialização do vinho e derivados da uva e do vinho, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília-DF, 2004.

Brand-Willians, W.; Cuvelier, M. E.; Berset, C. Use of free radical method to evaluate antioxidante activity. Lebensm. Wiss. Technol. v. 28, p. 25-30, 1995.

Camargo, U. A.; Tonietto, J.; Hoffmann, A. Progressos na Viticultura Brasileira. Rev. Bras. Frutic. Jaboticabal - SP, Volume Especial, E. p. 144-149, 2011.

Cainelli, J. C. Taninos enológicos. Associação Brasileira de Enologia. http://www.enologia.org.br/conteudo.asp?id_artigo=291&id_categoria=5&sTipo=artigo&sSecao=artigos&sSubSecao=&bSubMenu=1&sParamMenu). 11 Jun. 2011.

Debolt, S.; Cook, D. R.; Ford, C. M. L-Tartaric acid ynthesis from vitamin C in higher plants. Proc Natl Acad Sci U S A. 2006.

Di Majo, D.; Guardia, M. L.; Giammanco, S.; Neve, L. L.; Giammanco, M. The antioxidant capacity of red wine in relationship with its polyphenolic. Food Chemistry. p. 45-49, 2008.

Fracasso, D.; Fuentefria, A. M.; Teixeira, M. L. Avaliação Toxicológica e quantificação de agentes antioxidantes em vinhos tintos comercializados no município de Concórdia, Santa Catarina. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais. Univ. do Contestado, Concórdia-SC. v.11, n. 2, p. 181-189, 2009.

Fogaça, A. O. Avaliação do estado nutricional de vinhedos e sua correlação com a produção de uvas viníferas de qualidade. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2005. (Dissertação de Mestrado).

Giehl, M. R.; Bosco; S. M.; Laflor, C. M.; Weber, B. Eficácia dos flavonóides da uva, vinho tinto e suco de uva tinto na prevenção e no tratamento secundário da aterosclerose. Scientia Medica. Porto Alegre, v. 17, n. 3, p. 145-155, 2007.

Góes; F. J.; Zangirolami, T. C. Otimização das Condições de Fermentação para a Produção de Vinho Proveniente da Uva Variedade “Itália”. Braz. J. Food Technol. Univ. Federal de São Carlos, São Carlos-SP. 5º SIPAL, 2005.

Guerra, C. C. Recherches sur les interactions anthocyanes-flavanols: application à l'interpretation chimique de la couleur des vins rouges. Bordeaux: Universidade de Victor Segalen Bordeaux II. 1997. (Tese Doutorado).

IBRAVIN, A Viticultura Brasileira. 2010. Disponível em: <http://www.ibravin.org.br/brasilvitivinicola.php> Acesso em: 19 Abr. de 2012.

Sartori, G. V. Maturação fenólica de uvas tintas cultivadas no Rio Grande do Sul. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, 2011. 73p. (Dissertação Mestrado).

Singleton, V.; Rossi, J. A. Colorimetry of total phenolics with phosphomolybdicphosphotungstic acid reagents. Am. Journal of Enology and Viticulture, v. 27, n. 4, p. 144-158, 1965.

Katalinic, V.; Milos, M.; Modun, D.; Music, I.; Boban, N. Antioxidant effectiveness of selected wines in comparison with (+)- catechin. Food Chemistry. p.593–600, 2004.

Laginski, F. Paraná se destaca na vitivinicultura nacional. Revista da terra. 2011. http://www.revistadaterra.com.br/view.php?id=su30&id_c=1031). 08 Abr. 2012.

Li, H.; Wang, X.; Li, Y.; Li, P. Wang, H. Polyphenolic compounds and antioxidant properties of selected China wines. Food Chemistry. p. 454–460, 2009.

Malacrida, C. R.; Motta, S. Compostos fenólicos totais e antocianinas em suco de uva. Ciênc. Tecnol. Aliment. Univ. Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte-MG. v. 25, p. 659-664, 2005.

Mamede , M. E. O.; Pastore, G. M. Compostos fenólicos do vinho: estrutura e ação antioxidante. B.CEPPA. Univ. Federal da Bahia, Salvador-BA. v. 22, n. 2, p. 233-252, 2004.

Manfroi, L.; Mielle, A.; Rizzon, L.A.; Barrabas, C.I.N.; Composição físicoquímica do vinho Cabernet Franc proveniente de videiras conduzidas no sistema lira aberta. Ciência e Tecnologia de Alimentos. v.26, n.2, p.290-296, 2006.

Mello, L. M. Vitivinicultura brasileira: panorama 2010. Embrapa Uva e Vinho. 2010. Disponível em: <http://www.cnpuv.embrapa.br/publica/artigos/prodvit2010.pdf> Acesso em: 10 de Abr.2012.

Minussi, R. C.; Rossi, M.; Bologna, L.; Cordi, L.; Rotilio, D.; Pastore, G. M.; Durán, N. Phenolic compounds and total antioxidant potential of commercial wines. Food Chemistry. Univ. Estadual de Campinas, Campinas – SP. v. 82, p. 409-416, 2003.

Monagas, M.; Gómes, C. C.; Bartolomé, B. Evolution of phenolic content of red wines from Vitis vinífera L. ageing in bottle. Food Chemistry, v. 95, p. 405-412, 2005.

Nascimento, A. P. R. Quantificação dos taninos dos vinhos por transformada de Fourier dos espectros no infravermelho médio (FTIR). Lisboa: Universidade Técnica de Lisboa, 2011. 59p. (Dissertação de Mestrado).

Oliveira, L. C.; Souza, S. O.; Mamede, M. E. O. Avaliação das características físico-químicas e colorimétricas de vinhos finos de duas principais regiões vinícolas do Brasil. Rev. Inst. Adolfo Lutz. Univ. Federal da Bahia, Salvador – BA. v. 70, n. 2, p. 158-167, 2011.

Ortíz, M. G.; Vargas, M. C. R.; Madinaveitia, R. G. C.; Velázquez, J. A. M. V. Propiedades funcionales de las antocianinas. Revista de Ciencias Biológicas y de la SaludV. Univ. de Sonora, Durango, México. v. 13, n. 2, p. 16-22, 2011.

Penna, N. C.; Hecktheuer, L. H. R. Vinho e Saúde: uma revisão. Infarma. Univ. Federal de Santa Maria, Santa Maria – RS, v.16, n. 1-2, p. 64-67, 2004.

Rivas, E. G. P.; Eon, C. A.; Buelga, C. S.; Gonzalo, J. C. R.; Bailón, T. E. B. Behaviour and characterisation of the colour during red wine making and maturation. Analytica Chimica Acta. Univ. de Salamanca, Salamanca – Espanha. v. 563, p. 215–222, 2006.

Rizzon, L. A.; Miele, A.; Meneguzzo, J. Avaliação da uva cv. Isabel para a elaboração de vinho tinto. Ciênc. Tecnol. Aliment. Campinas - SP. v. 20 n.1, 2000

Rombaldi, C. V.; Ferri, V. C.; Bergamasqui, M.; Luchetta, L.; Zanuzo, M. R. Produtividade e qualidade da uva, CV. Bordô (Ives) sob dois sistemas de cultivo. R. bras. Agrociência. Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Pelotas – RS. v.10, n. 4, p. 519-521, 2004.

Tecchio, F. M.; Miele, A.; Rizzon, L. A. Composição físico-química do vinho Bordô de Flores da Cunha, RS, elaborado com uvas maturadas em condições de baixa precipitação. Ciência Rural. Univ. Federal de Santa Maria, Santa Maria – RS. v. 37, n. 5, 2007.

Valls, J.; Lampreave, M.; Nadal, M.; Arola, L. Importancia de los Compuestos fenólicos en la calidad de los vinos tintos de crianza. Alimentación, Equipos y Tecnología. Univ. Rovira i Virgili, Tarragona – Espanha. p. 119-124, 2000.

Zoecklein, B. W.; Fugelsang, K. C.; Gump, B. H.; Nury, F. S. Wine Analysis and Production. New York. Ed. Acribia, p. 613, 1999.