crosscheckdeposited

Metodologias para Estimativa dos Parâmetros da Equação de Chuvas Intensas no Estado do Espírito Santo

DOI: http://dx.doi.org/10.13083/1414-3984.v18n06a05

http://www.seer.ufv.br/seer/index.php/reveng/index 

downloadpdf

Rafael S. de Senna1, Alexandre C. Xavier2, Julião S. de S. Lima3 & Roberto A. Cecílio4

 

Resumo: Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a interpolação dos parâmetros da equação de chuvas intensas, pelo método inverso de uma potência da distância, e comparar com o método vizinho mais próximo, para todo o Estado do Espírito Santo. Foi realizada a interpolação dos parâmetros “K”, “a”, “b” e “c” da equação de chuvas intensas, utilizando-se o interpolador “Inverso de uma potência da distância”, com cinco diferentes potências, a saber: potências 1, 2, 3, 4 e 5 e “Média aritmética simples” das três vizinhas mais próximas de cada estação. Foram consideradas, para cálculo da intensidade máxima, a média de precipitação (im), todas as combinações possíveis entre os períodos de retorno (T) iguais a 2, 5, 10, 20, 50, e 100 anos e as durações da precipitação (t) iguais a 10, 20, 30, 40, 50, 60, 120, 240, 360, 720 e 1440 minutos, totalizando 66 combinações para cada uma das 20 estações pluviométricas. De posse dos parâmetros interpolados de cada uma das estações, foram calculados os valores de im, por meio da equação de chuvas intensas. Utilizando-se os valores de im calculados e interpolados, foi calculado o erro médio percentual. Para finalizar, procedeu-se a uma análise de regressão dos dados, correlacionando-se o erro médio percentual com as diferentes potências. O método vizinho mais próximo proporcionou um erro médio de 7,03%, enquanto que o método do inverso de uma potência da distância apresentou um erro médio de 16,4%. Assim, o método vizinho mais próximo teve melhores resultados para a interpolação dos parâmetros da equação de chuvas intensas para o Estado do Espírito Santo.

Palavras-chave: precipitação pluviométrica, modelagem hidrológica, escoamento superficial

 

Abstract: This work has the objective of evaluating the interpolation of the parameters of the intense rain equation, by the inverse method of one potency of the distance, using five different potencies and comparing all with the close neighbors method of the Espírito Santo state. The interpolation of parameters “K”, “a”, “b” and “c” of the equation for intense rain was carried through, using the inverse interpolator of one potency of the distance with five different potencies, being: potency 1, 2, 3, 4 and 5 and the close neighbors interpolator. Considering all the possible combinations between the periods of return (T) equals 2, 5, 10, 20, 50, and 100 years and the precipitation duration (t) equals 10, 20, 30, 40, 50, 60, 120, 240, 360, 720 and 1440 minutes, totalizing 66 combinations for each one of the 20 stations. In ownership of the parameters interpolated of each one of the stations, the values of the average maximum precipitation intensity had been calculated (im), by means of the intense rain equation. Using the calculated values of im and the interpolated ones, the percentage of average error. To finish, an analyzes of regression of the data was proceeded, correlating the average error percentage with the different potencies. The closest neighbor method provided an average error of 7,03% and for the method of the inverse of a potency of the distance a value of 16, 4% of average error. Being thus, the closest neighbor method had better resulted for the interpolation of the parameters of the intense rain equation specifically for the state of Espírito Santo.

Key words: precipitation, hydrologic modeling, superficial draining

 

1 Mestrando, UFES-DER, Alegre ES, rafassenna@yahoo.com.br
2 D.S Eng. Rural, Prof. Adjunto, DER, UFES, Alegre ES, xavier@cca.ufes.br
3 D.S Eng. Rural, Prof. Adjunto, DER, UFES, Alegre ES, juliaosslima@cca.ufes.br
4 D.S. Eng. Florestal, Prof. Adjunto, Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq, DEF, UFES, Alegre ES, racecilio@yahho.com.br

 

Literatura Citada

AMORIM, R.C.F.; RIBEIRO, A.; LEITE, C.C.; LEAL, B.G.; SILVA, J.B.G. Avaliação do desempenho de dois métodos de espacialização da precipitação pluvial para o Estado de Alagoas. Acta Scientiarum Technology, v.30, n.1, p.87-91, 2008. doi

ARAÚJO, L.E.; SOUSA, F.A.S.; RIBEIRO, M.A.F.M.; SANTOS, A.S.; MEDEIROS, P.C. Análise estatística de chuvas intensas na bacia hidrográfica do rio Paraíba. Revista Brasileira de Meteorologia, São José dos Campos v.23, n.2, p.162-169, 2008.

CECÍLIO, R.A. & PRUSKI, F.F. Interpolação dos parâmetros da equação de chuvas intensas com uso do inverso de potências da distância. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.7, n.3, p.501-504, 2003.

FREITAS, A.J.; SILVA, D.D.; PRUSKI, F.F.; PINTO, F.A.; PEREIRA, S.B.; GOMES FILHO, R.R.; TEIXEIRA, A.F.; BAENA, L.G.N.; MELLO, L.T.A. & NOVAES, L.F. Equações de chuvas intensas no Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: Companhia de Saneamento de Minas Gerais; Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2001. 65p.

MELLO, C.R.; LIMA, J.M.; SILVA, A.M.; MELLO, J.M. & OLIVEIRA, M.S. Krigagem e inverso do quadrado da distância para interpolação dos parâmetros da equação de chuvas intensas. Revista Brasileira de Ciências do Solo, Viçosa, v.27, n.5, p.925-933, 2003.

MYERS, J.C. Geostatistical error management: quantifying uncertainty for environmental sampling and mapping. New York: Van Nostrand Reinhold, 1997. 571p.

OLIVEIRA, L.F.C.; CORTÊS, F.C.; BARBOSA, F.O.A.; ROMÃO, P.A.; CARVALHO, D.F. Estimativa das equações de chuvas intensas para algumas localidades no Estado de Goiás pelo método da desagregação de chuvas. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v.30, n.1, p.23-27, 2000.

PINTO, F. R. L. Equação de intensidade-duraçãofrequencia para os Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo: estimativa e espacialização. Viçosa MG: UFV, 1999. 70 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 1999.

PRUSKI, F.F.; CALIJURI, M.L.; BHERING, E.M.; SILVA, J.M.A. Metodologia baseada no uso de sistemas de informações geográficas para obtenção de equações de chuvas intensas em qualquer localidade do Estado do Paraná. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v.5, n.3, p.254-265, 1997.

PRUSKI, F.F.; TEIXEIRA, A.F.; SILVA, D.D.; CECÍLIO, R.A.; SILVA, J.M.A. Plúvio 2.1: Chuvas intensas para o Brasil. In: PRUSKI, F.F.; SILVA, D.D.; TEIXEIRA, A.F.; CECÍLIO, R.A.; SILVA, J.M.A.; GRIEBELER, N.P. (Org.) HIDROS: dimensionamento de sistemas hidroagrícolas. 1 ed. Viçosa: Editora UFV, 2006, p.15-25.

SILVA, D.D.; GOMES FILHO, R.R.; PRUSKI, F.F.; PEREIRA, S.B. & NOVAES, L.F. Chuvas intensas no Estado da Bahia. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.6, n.2, p.362-367, 2002.

SILVA, D.D.; PEREIRA, S.B.; PRUSKI, F.F.; GOMES FILHO, R.R.; LANA, A.M.Q. & BAENA, L.G.N. Equações de intensidadeduração- freqüência da precipitação pluvial para o Estado de Tocantins. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v.11, n.1-4, p. 7-14, 2003.

SILVA, D.D.; PINTO, F.R.L.; PRUSKI, F.F. & PINTO, F.A. Estimativa e espacialização dos parâmetros da equação de intensidadeduração- freqüência da precipitação para o Rio de Janeiro e o Espírito Santo. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.18, n.33,p.22-33, 1999.

VILLELA, S.M.; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: Editora McGraw-Hill do Brasil Ltda., 245p. 1975.