Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Assédio Moral: O Caso dos Funcionários Terceirizados de Manutenção da Universidade Federal de Uberlândia

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v8n15p184-198

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/tec 

downloadpdf

Filipe Fagundes1, Lina E. Nakata2 & Luana Daud3

 

Resumo: Com um ambiente de trabalho cheio de pressão, a violência entre os trabalhadores vê seu desenvolvimento em resultados crescentes. O assédio moral, forma mais sutil de violência no trabalho, toma forma, ocasionando diversos danos ao indivíduo e à organização. O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo sobre a presença do assédio moral no trabalho dos funcionários terceirizados, responsáveis pela limpeza e manutenção da Universidade Federal de Uberlândia, buscando descobrir a ocorrência desses assédios de acordo com o gênero, para verificar possíveis relações. A coleta dos dados foi realizada por meio de um questionário, aplicado com 40 funcionários. Foi possível verificar que mais de 50% dos funcionários questionados sofrem assédio moral em algum grau, sendo a maioria do sexo feminino. Em relação aos agentes agressores, verificou-se que os alunos eram os principais agressores, tendo atitudes de indiferença, humilhação pública e até violência. Já os outros agressores identificados foram os supervisores e os professores.

Palavras-chave: assédio moral; saúde do trabalhador; gestão de recursos humanos.

 

Abstract: With a workplace full of pressure, violence among workers has presented growing results. Bullying, the subtlest form of violence at work, takes shape, causing extensive damage to individuals and organizations. This work aimed to conduct a study about the presence of bullying in the outsourced employees environment, workers of cleaning and maintenance at the Federal University of Uberlândia, and discover the occurrence of harassment according to gender, to verify possible relations. Data collection was performed by a questionnaire applied with 40 employees. We found that over 50% of the respondents suffer bullying to some degree, being the majority women. Regarding the aggressive agents, we found that students were main aggressors, by ignoring them, and acting with public humiliation and even violence. We also identified that attackers were supervisors and teachers. There is a need to educate everyone within the institution about the knowledge of what bullying is, investigate the problems and intensify the dissemination of social norms and values about good manners.

Key words: bullying; worker’s health; human resources management.

 

1 Graduando em Administração pela Faculdade de Gestão e Negócios da Universidade Federal de Uberlândia FAGEN-UFU. fagundes.filipe@gmail.com
2 Bacharel, mestre e doutora em Administração pela Universidade de São Paulo, com doutorado-sanduíche na Northern Illinois University. É professora de Administração da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Lecionou na Escola Superior de Administração e Gestão (Esags) e Fundação Instituto de Administração (FIA). Foi professora e pesquisadora da Universidad Autónoma del Caribe (UAC). linankt@gmail.com
3 Graduanda em Administração pela Faculdade de Gestão e Negócios da Universidade Federal de Uberlândia - FAGEN-UFU. luanadaud.apoio@gmail.com

 

Literatura Citada

BARRETO, Margarida M. S. Uma jornada de humilhações. Dissertação de Mestrado e Psicologia Social, PUC, São Paulo, 2000.

CAIXETA, Sebastião Vieira. O Assédio Moral nas Relações de Trabalho. Revista Científica ESMPU, v. 1, n. 6, p. 91-98, Brasília, 2003.

DAMASCENO, T. N. F. Assédio moral em instituições de ensino superior (IES): O caso dos servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Ceará (UFC). Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.

FREIRE, Paula Ariane. Assédio moral e saúde mental do trabalhador. Trab. educ. saúde [online]. 2008, vol.6, n.2 [cited 2015-11-27], pp. 367-380 . Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462008000200009&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1981-7746. http://dx.doi.org/10.1590/S1981-77462008000200009.

FREITAS, Maria Ester de. Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações. Relações de Trabalho. Revista de Administração de Empresas (RAE), v. 41, n. 2, p. 8-19, São Paulo, 2001.

GALLINDO, Lidia Pereira. Assédio Moral nas Instituições de Ensino - Bullying. Disponível em <http://www.partes.com.br/assediomoral/assedionasinstituicoesdeensino.pdf>. Acesso em 30 jul 2014.

MACIEL, R. H.; MEDEIROS, S. R., NEVES, L. S.; HORA, A.; BITU, F.G.; SOUZA, T. C. F. Assédio moral no trabalho: impactos sobre a saúde dos bancários e sua relação com gênero e raça. Relatório de Pesquisa, Sindicato dos Bancários de Pernambuco/CONTRAF, 2006.

MUNIZ, José Artur; MACHADO, Francisco Oliveira; VIEIRA, Djuri Tafnes. Assédio moral na universidade: Um estudo de caso em Pernambuco. Congresso Virtual Brasileiro de Administração (VIII Convibra Administração). São Paulo, 2011.

PESCE, Renata. Violência familiar e comportamento agressivo e transgressor na infância: uma revisão da literatura. Ciências de Saúde Coletiva, v. 14, n. 2, abr. 2009. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000200019&lng=pt& nrm=iso>. Acesso em: 23 jul 2014.

SILVA, Thereza C. C. G. Bezerra. Assédio moral no ambiente de trabalho. Pinheiro Neto Advogados. São Paulo, 2013.

ZIMMERMANN, Silvia Maria; RODRIGUES, Teresa Cristina Dunka; LIMA, Wilma Coral Mendes de. Assédio moral, 2004. Disponível em: <http://www.tribunalpopular.hpg.ig.com.br/drt.html>. Acesso em: 24 jul 2014.