Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Utilização do Mindfulness nas Organizações – Uma Análise Através da Perspectiva dos Gestores

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v11n22p457-485

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/OC/index 

downloadpdf

Moema P. Nunes1 & Diego H. Muller2

 

Resumo: O aumento da competitividade nos ambientes corporativos tem levado ao crescimento do nível de estresse nas organizações. Gestores lidam diariamente com a necessidade de gerenciar o estresse de suas equipes de trabalho de forma a evitar quedas de produtividade. O Mindfulness tem sido apontado como uma ferramenta capaz de melhorar a capacidade de concentração dos seus praticantes. Trata-se de um estado mental que pode ser treinado por meio de técnicas ou exercícios meditativos e psicoeducativos. A utilização do Mindfulness em ambientes corporativos é um tema pouco explorado. Este artigo buscou ajudar no preenchimento dessa lacuna ao analisar como a prática do Mindfulness pode melhorar o ambiente de trabalho e a motivação, a satisfação e a produtividade dos colaboradores por intermédio da perspectiva dos gestores. Por meio de uma investigação bibliográfica, foram desenvolvidos instrumentos de coleta de dados qualitativos que foram empregados na condução de entrevistas com gestores de empresas e especialistas em Mindfulness. A pesquisa revelou que a prática do Mindfulness nas organizações é viável e pode ser explorada como uma ferramenta de grande auxílio no desenvolvimento da empresa e sua equipe.

Palavras-chave: Mindfulness; Ambiente de trabalho; Estresse; Administração.

 

Abstract: The increase of the competitiveness in business environment has led to the increase of the stress levels in organizations. Daily, managers deal with the need to manage the stress of their work teams in order to avoid productivity fails. Mindfulness has been appointed as a tool to improve the attention span of its practitioners. It is a mental state that can be trained through technical or meditative exercises and psychoeducational. The use of Mindfulness in corporate environments is a relatively unexplored subject. This paper aims to help fill this gap by analyzing how the practice of Mindfulness can improve the working environment, and motivation, satisfaction and employee productivity through the perspective of managers. A qualitative data collection instruments was developed through a literature review. These instruments were used to conduct interviews with company managers and experts in Mindfulness. The research revealed that the practice of Mindfulness in organizations is feasible and can be exploited as a great tool to help development of the company and its staff.

Key words: Mindfulness; Work environment; Stress; Administration.

 

1 Doutora em Administração Professora da Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia – FACE
2 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

 

Literatura Citada

BARRETT, Richard. Libertando a alma da empresa: como transformar a organização numa entidade viva. São Paulo: Cultrix, 2000. 192p.

BENKE, Mara Regina Pagnussat; CARVALHO, Elcio. Estresse x Qualidade de vida nas organizações: Um estudo teórico. 2008, 14s. Artigo (Pós-graduação em Recursos Humanos) – Universidade de Rio Verde, Rio Verde, 2008.

BISHOP, S. R. et al. Mindfulness: A proposed operational definition. Clinical Psychology: Science and Practice. Clinical Psychology: Science and Practice, v. 11, n. 3, p. 230-241, Set. 2004.

CENTRO DE MINDFULNESS. Universidade de Massachusetts. Disponível em:<http://www.umassmed.edu/cfm/Stress-Reduction/Faqs/> Acesso em: out. 2014.

FACCI, Ruddy. Estresse impacta na produtividade da equipe. Disponível em: <http://www.sesimt.com.br/mostra.php?noticia=11640> Acesso em: out. 2014.

FIORELLI, José Osmir. Psicologia para administradores: integrando teoria e prática. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

FRANÇA, Ana Cristina Limongi, RODRIGUES, Avelino Luiz. Stress e trabalho: uma abordagem psicossomática. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2011, p. 29-55, 159-177.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, abr. 1995.

HAGUENAUER, Lia. Competitividade: conceitos e medidas. 1989. Textos para discussão. Rio de Janeiro: UFRJ/IEL, 1989. Disponível em: < http://www.ie.ufrj.br/gic/pdfs/1989-1_Haguenauer.pdf > Acesso em: out. 2014.

HARDT, Jochen; SCHULTZ, Sonja; XANDER, Carola; BECKER, Gerhild. & DRAGAN, Malgorzata. The Spirituality Questionnaire: Core Dimensions of Spirituality. Psychology, v. 3, p. 116-122, 2012.

HITT, Michael. A.; MILLER, C. Chet.; COLELLA, Adrienne. Comportamento organizacional – uma abordagem estratégica. Rio de Janeiro: LTC, 2007, 518p.

JACQUES, Maria da Graça Correa. Abordagens teórico-metodológicas em saúde/doença mental e trabalho. Psicologia & Sociedade, v. 15, n. 1, p. 97-116, 2003.

JHA, Amishi P.; STANLEY, Elizabeth A.; KIYONAGA, Anastasia; WONG, Ling; GELFAND, Lois. Examining the protective effects of mindfulness training on working memory capacity and affective experience. Emotion, v. 10, n. 1, p. 54-64, 2010.

KABAT-ZINN, John. Full Catastrophe Living: Using the Wisdom of Your Body and Mind to Face Stress, Pain, and Illness. Bantam; Rev Upd edition 2013; 720p.

LENTINE, Edvilson Cristiano; SONODA, Tereza Kiomi; BIAZIN, Damares Tomasin. Estresse de profissionais de saúde das unidades básicas do município de Londrina. Terra e Cultura, v. 19, n. 37, p. 104-123, 2003.

LINKE, Ivanete. A importância da contabilidade de recursos humanos. Revista do CRCPR, n. 141, ano 30, p. 21, 2005.

MARCONI, Mariana Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010, 320p.

MASLACH, Christina; LEITNER, Michael P. The truth about burnout: How organizations cause personal stress and what to do about it. San Francisco, CA: Jossey-Bass, 1997, 200p.

MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria Geral da Administração: Da Revolução Urbana à revolução Digital. 6. ed. São Paulo: Editora Atlas, 260 p.

MCKAY, Matthew; WOOD, Jeffrey; BRANTLEY, Jeffrey (2007). Dialectical Behavior Therapy Skills Workbook: Practical DBT Skills Exercises for Learning Mindfulness, Interpersonal Effectiveness, Emotion Regulation, and Distress Tolerance. Oakland, CA: New Harbinger Publications. 248p.

NEVES, José Luis. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 1, n. 3, 1996.

ROBBINS, Stephen Paul. Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2000; 524p.

ROEMER, Lizabeth; ORSILLO, Susan M. The Mindful Way through Anxiety: Break Free from Chronic Worry and Reclaim Your Life. The Guilford Press; 1 edition, 2011; 307p.

SANTOS, Micheli Aparecida Gomes dos Santos. Resenha: A Prática da terapia cognitivo-comportamental baseada em Mindfulness e aceitação. Psicologia em Revista, v. 18, n. 3, p. 527-530, 2012.

SILVEIRA, R. O estresse do profissional em saúde pública. Revista Eficaz, v. 2, 2011.

SIQUEIRA, Mirlene Matias. O segredo de empresas que proporcionam bem-estar no trabalho. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/o-segredo-de-empresas-que-proporcionam-bem-estar-no-trabalho> Acesso em: out. 2014.

STONER, James A. F.; FREEMAN, R. Edward. Administração. 5. ed. Rio de Janeiro: Prentice Hall do Brasil, 1999; 533p.

TEODORO, Maria Dilma Alves. Estresse no trabalho. Com. Ciências Saúde, v. 23, n. 3, p. 205-206, 2012.

WALSH, Roger; SHAPIRO Shauna L. The meeting of meditative disciplines and western psychology. A mutually enriching dialogue. American Psychologist, v. 61, n. 3, p. 227-239, 2006.

ZILLE, Giancarlo Pereira; PEREIRA, Luciano Zille. O estresse no trabalho: uma análise teórica de seus conceitos e suas inter-relações. Gestão e Sociedade, v. 4, n. 7, p. 414-434, 2010.