Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Produção e Consumo de Água Dessalinizada em Plataforma de Petróleo

DOI: http://dx.doi.org/10.19180/2177-4560.v8n214-01

http://www.essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/boletim 

downloadpdf

Hélio R.o Gomes Filho1, Edêmea F. C. Rocha2 & Vicente P. S. Oliveira3

 

Resumo: As plataformas de petróleo contam com dois tipos de dessalinização para produção de água em suas unidades: destilação a vácuo, cujo princípio consiste em destilar a água do mar mediante geração de vácuo e diminuindo a temperatura de ebulição, e por osmose reversa, onde a água do mar percorre um conjunto de membranas retendo as partículas salinas. Com o aumento da demanda do consumo em função do aumento do contingente de bordo para a manutenção das unidades (degradação por tempo decorrido de operação), algumas unidades dessalinizadoras apresentam difi culdades no atendimento de suas propostas de projeto. Problemas de manutenção, dimensionamento, depreciação do sistema podem ser apontados como causas da perda de efi ciência e consequente autonomia da plataforma na produção e consumo de água doce. Situação que remete à necessidade de um aporte signifi cativo de água doce, enviada às unidades de produção via rebocador. Os rebocadores são o principal meio de suprimento de insumos às unidades da bacia de Campos para o transporte de alimentos, materiais, equipamentos e água doce, entre outros. No entanto, além do custo operacional desse transporte, aumenta-se a captação e o tratamento de água do manancial conhecido como Brejo da Severina.

Palavras-chave: Dessalinização. Plataforma de petróleo. Osmose reversa

 

Abstract: Oil platforms use two types of desalination for water production in their units: vacuum distillation in which the principle is to distill sea water through vacuum generation and lowering the boiling temperature and, by reverse osmosis, in which sea water fl ows through a set of membranes retaining the salt particles. With increasing consumer demand due to the increase of onboard personnel for the maintenance of the units (degradation by elapsed time operation), some desalination units have diffi culty in meeting their project proposals. Maintenance problems, sizing, and depreciation of the system can be pointed as causes of effi ciency loss and consequent autonomy of the platform in the production and consumption of fresh water. This is a situation that refers to the need for significant freshwater inflow, sent to the production units via towing vessels. Tugs are the primary means of input to the supply units in the Campos Basin to transport food, materials, equipment, fresh water, among others. However, besides the operating cost of transport, one verifies an increase in the collection and treatment of water from the spring known as the Brejo da Severina.

Key words: Desalination. Oil rigs. Reverse osmosis.

 

1 Graduado em Enfermagem pela Universidade Estácio de Sá (UNESA). Mestrando em Engenharia Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFFluminense) - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: heliogfi lho@gmail.com.
2 Especialista em Educação Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFFluminense). Mestranda em Engenharia Ambiental pelo IFFluminense - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. E-mail: edemearocha@gmail.com.
3 Doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Professor Titular do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFFluminense), campus UPEA - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: vsantos@iff .edu.br.

 

Literatura Citada

ARAÚJO, A. C. S. P. A. Contribuição para o estudo da viabilidade/sustentabilidade da dessalinização enquanto técnica de tratamento de água. 2013. 125 f. Dissertação (Mestrado)–Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, 2013. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10362/10203>. Acesso em: 21 abr. 2014.

BESSA, M. Como funciona uma plataforma de petróleo no mar? Revista Superinteressante. v. 20, 2012. Disponível em: <http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-funciona-umaplataforma-de-petroleo-no-mar.> Acesso em: 26 abr. 2014.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Programa Água Doce. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/agua/agua-potavel/sistema-de-dessanilizacao>. Acesso em: 19 de abril de 2014.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Programa Água Doce. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/212/_arquivos/folder_laranja_menor_resoluo_212.pdf>. Acesso em: 19 de abril de 2014.

CAMPOS, R. T. Avaliação benefício-custo de sistemas de dessalinização de água em comunidades rurais cearenses. RER, v. 45, n. 04, p. 963-984, 2007. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/resr/v45n4/a07v45n4.pdf>. Acesso em: 15 abr. 2014.

COMPANHIA DE ABASTECIMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Dessalinização da água, 2014. Disponível em: <http://site.sabesp.com.br/interna/Default.aspx?secaoId=100> Acesso em: 27 abr. 2014.

FREITAS, T. D. N. Produção de água a bordo de navios e plataformas. Rio de Janeiro, 2011. 49 p. Dissertação (Mestrado). Centro Universitário Estadual da Zona Oeste – UEZO, 2011. Disponívelem: <http://www.uezo.rj.gov.br/tccs/capi/TaynaFreitas.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2014.

MEZAVILLA, G. R. Estudo das variáveis de desempenho no processo de dessalinização e opções de melhorias visando à Autossuficiência no atendimento de água doce nas plataformas, 2013.

ROCA, J. L. Dessalinização: você ainda vai beber dessa água. Rev. Planeta Terra, v. 455, 2010. Disponível em: <http://revistaplaneta.terra.com.br/secao/meio-ambiente/dessalinizacao-voceainda-vai-beber-dessa-agua>. Acesso em: 19 abr. 2014.

SOUZA, L. F. Dessalinização como fonte alternativa de água potável. Rev. Norte Científico, v.1, n. 1, p. 84-97, 2006. Disponível em: <http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1719>. Acesso em: 20 abr. 2014.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Desalination for safe water supply: guidance for the health and environmental aspects applicable to desalination. Geneva, Switzerland, 2007. Disponível em: <http://www.who.int/water_sanitation_health/gdwqrevision/desalination.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2014.