Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Estudo in vitro da Aplicação do Diodo Emissor de Luz nos Fungos Trichophyton e Malassezia

 

http://ojs.unirg.edu.br/index.php/2/ 

downloadpdf

Cássia A. de Carvalho1, João P. A. de Oliveira2, Sávia D. S. C. Herrera3, Adriana A. B. Rezende4, Rodrigo D. Nunes5 & Cláudio F. Muniz6

 

Resumo: Introdução: Os fungos são agentes causadores de doenças humanas, destacando-se as leveduras do gênero Malassezia e os Dermatófitos. Na fisioterapia utilizam-se como antimicrobiano e antiinflamatório os diodos semicondutores de luz fotoestimulante como LED (Light Emitting Diode) e LASER (Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation). Objetivo: Avaliar os efeitos do Laser 660nm nos fungos Malassezia spp e Trichophyton. Material e Método: Dividiu-se em Grupo A: 10 placas Thichophyton e Grupo B: 10 placas Malassezia spp, e 01 controle para cada grupo. Após oito dias da repicagem, iniciou-se aplicação do LASER 660nm, modulado a 3J, frequência de 129 mW/cm², pontual, sendo dez aplicações com intervalo de 24 horas. Fotografava-se após cada aplicação para mensuração em Autocad®. Resultados: A área das colônias comparadas no período pré (T0) e pós-aplicação (T1) do equipamento, observou-se em GA uma área T0 com média de colonização de 15,34 cm² ± 1,30, e T1 de 12,17 cm² ± 2,35. Diante disso, a média comparando T0 e T1 foi significativamente menor (p= 0,0006). No GB, a média de T0 foi de 5,25 cm² ± 4,21 e T1 de 1,78 cm² ± 1,79. Assim, é estatisticamente menor (p= 0,002) a comparação da média da Área T0 e T1. Não houve comparação das placas controle, pois CA reduziu (p=0,0209) inferindo não ser proveniente da aplicação do equipamento, e CB aumentou visivelmente mas não estatisticamente (p= p=0,3268). Conclusão: O LASER 660nm reduziu significativamente os Fungos Trichophyton (p=0,0006) e Malassezia spp (p=0.002). Entretanto, sugere-se novos estudos com números maiores de placas controle.

Palavras-chave: Lasers. Malassezia. Trichopyton.

 

Abstract: Introduction: The fungi are causative agents of human diseases, especially of the genus Malassezia yeasts and dermatophytes. In physical therapy are used as antimicrobial and anti-inflammatory semiconductor diodes stimulating photo light as LED (Light Emitting Diode) and LASER (Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation). Objective: To evaluate the effects of 660nm Laser fungi Malassezia and Trichophyton. Method: We divided into Group A: 10 Thichophyton plates, Group B: 10 plates Malassezia, and 01 control for each group. After eight days of subculture, began implementation of 660nm laser, modulated at 3J, frequency of 129 mW / cm ², punctual, ten times with an interval of 24 hours. Was photographed after each application to measure Autocad®. Results: The area of the colonies compared to pre (T0) and post-implementation period (T1) of the equipment, it was observed in GA a T0 area with average colonization of 15.34cm ² ± 1.30, and T1 12, 17cm ² ± 2.35. Therefore, comparing the average T0 and T1 was significantly lower (p = 0.0006). In GB, the average T0 was 5.25cm ² ± 4.21 and T1 was 1.78cm² ± 1.79. Thus, it is statistically lower (p = 0.002) compared to the area of T0 and T1 average. There was no comparison of control boards, for CA decreased (p=0.0209) not be inferred from the application of the equipment, and CB noticeably increased but not statistically (p=0.3268). Conclusion: 660nm laser reduced significantly the fungi Trichophyton (p = 0.0006) and Malassezia (p = 0.002). However, it is suggested that further studies with larger numbers of plaque control.

Key words: Lasers. Malassezia. Trichopyton.

 

1 Graduada em Fisioterapia pelo Centro Universitário UnirG. Gurupi-TO, Brasil. Email: cassiaalvescarvalho@hotmail.com
2 Graduado em Fisioterapia pelo Centro Universitário UnirG. Gurupi-TO, Brasil. Email: joaopaulo.arruda@hotmail.com
3 Fisioterapeuta. Especialista em Fisioterapia Respiratória pela UNOPAR. Coordenadora do Curso de Fisioterapia (UnirG). Profª. Assistente do Centro Universitário UnirG. Gurupi-TO, Brasil. Email: saviadenise@hotmail.com
4 Fisioterapeuta. Mestre em Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco, Rio de Janeiro (RJ). Profª. Adjunta do Centro Universitário UnirG. Gurupi-TO, Brasil. Email: drikas.arruda@hotmail.com
5 Fisioterapeuta. Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Goiás – Goiânia (GO). Profº. Adjunto I do Centro Universitário UnirG, Gurupi (TO). Email: rodrigodisconzi@yahoo.com.br
6 Biólogo. Mestre em Ecologia / Universidade Federal de Uberlândia/MG. Profº. Adjunto II dos Cursos de Fisioterapia e Medicina do Centro Universitário UnirG – Gurupi (TO). Email: cfmuniz@gmail.com.