Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Treinamento Aeróbio e Dexametasona: Implicações no Eixo Estressor

 

http://ojs.unirg.edu.br/index.php/1/index 

downloadpdf

Procópio C. G. de Barcellos Filho1, Ivim T. F. Cruz2, Mariel L. de Barcellos3 & Wataro N. Ogawa4

 

Resumo: Foram avaliadas as influências crônicas do exercício aeróbico e da Dexametasona no eixo Hipotálamo–Hipófise–Adrenal (HHA), associadas a parâmetros morfométricos cardíacos.  Ratos machos Wistar foram agrupados em: Sedentários (S, N = 9), Sedentários com Dexametasona (SD, N = 8), Treinados (T, N = 8) e Treinados com Dexametasona (TD, N = 8). O protocolo de exercício para ratos T e TD, constituiu de sessões de natação de sessenta minutos/dia, cinco vezes/semana durante dez semanas, incluída uma sobrecarga de 3% do peso corporal. A Dexametasona (2  g/200 ul de salina, via s.c.) foi administrada nos SD e TD nos dias das sessões, sendo o mesmo procedimento nos S e T, porém com 200 ul salina. Após dez semanas, o coração e as adrenais foram retirados, pesados e mensuradas as espessuras da parede ventricular e do septo interventricular e concentração de ácido ascórbico da adrenal, respectivamente. Foram observadas diferenças significativas (p < 0,05) na depleção de ácido ascórbico nos animais dos grupos T e TD em relação a S e SD. O peso das adrenais assim como o peso ventricular relativo foi significativamente maior nos grupos treinados comparados aos sedentários. Já em relação à espessura dos ventrículos e do septo interventricular e peso corporal, não foram observadas diferenças significativas entre os grupos sedentários e treinados. Conclui-se que a natação induz estresse em ratos por hiperatividade do eixo HHA promovendo possivelmente alterações hipertróficas no tecido córtex-adrenal e cardíaco, porém não afetando as espessuras da parede ventricular.

Palavras-chave: Dexametasona. Eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal. Hipertrofia Ventricular. Treinamento Aeróbio.

 

Abstract: Were evaluated the chronic fluencies of the aerobic exercise and Dexametasona on axis Hipotálamo–Hipófise–Adrenal (HHA), Male Wistar rats were grouped into: Sedentary (S, N = 9), Sedentary with Dexamethasone (SD, N = 8), Trained (T, N = 8) and Trained with Dexamethasone (TD, N = 8). The exercise protocol for rats T and TD, consisted of swimming sessions of sixty minutes per day, five times a week for ten weeks, including an overload of 3% of body weight. The Dexamethasone (2  g/200 l saline, sc) was administered to the SD and TD on the days of sessions, being the same procedure in the S and T, but with 200 l saline.  After ten weeks, the heart and adrenals were removed, weighed and measured the thickness of the ventricular wall and interventricular septum and concentration of adrenal ascorbic acid, respectively. Significant differences were observed (p < 0.05) in the depletion of ascorbate on animals from groups T and TD for the S and SD. The adrenal weight just as the relative ventricular weight was significantly greater on the trained groups compared to the sedentary. In relation to the thickness of the ventricles and interventricular septum and body weight, it was not observed the significant differences between trained and untrained groups. It is concluded that   swimming induces stress in rats by the   hyperactivity of the HPA axis by possibly promoting hypertrophic changes in the adrenal cortex tissue and cardiac but not affecting the thickness of the ventricular wall.

Key words: Dexamethasone. Axis Hypothalamic-Pituitary-Adrenal. Aerobic training.

 

1 Bacharel em Fisioterapia pelo Centro Universitário UnirG. E-mail: procopiofilho@hotmail.com
2 Bacharel em Fisioterapia pelo Centro Universitário UnirG. E-mail: ivim_thayna@yahoo.com.br
3 Bacharel em Fisioterapia pelo Centro Universitário UnirG. E-mail: marielbarcellos@yahoo.com.br
4 Professor Doutor, pesquisador do Centro Universitário UnirG. E-mail: wogawa@uol.com.br.