Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Implantação de Diagnóstico Molecular de Doenças Infecciosas e Parasitárias em Laboratórios de Análises Clínicas – Dificuldades e Aspectos Relacionados

DOI: http://dx.doi.org/10.18605/2175-7275/cereus.v3n2p1-8 

http://ojs.unirg.edu.br/index.php/1/index 

downloadpdf

Taides T. dos Santos1, Lucas C. Mendes2 & Maurilio A. Varavallo3

 

Resumo: Provas baseadas nos princípios de biologia molecular foram introduzidas com grande êxito nos laboratórios clínicos nos últimos anos, o que muito contribuiu para o aperfeiçoamento do diagnóstico de doenças infecciosas e parasitárias. Esse trabalho objetivou avaliar e comparar as dificuldades para implantação de diagnóstico molecular de doenças infecciosas e parasitárias em laboratórios de análises clínicas. Os dados foram coletados no ano de 2010, através de entrevistas com responsáveis técnicos por laboratórios de análises clínicas de duas cidades da região norte do Brasil, Araguaína (Estado do Tocantins) e Marabá (Estado do Pará). Entre os resultados, cita-se a ausência, nos laboratórios visitados, de profissionais habilitados para realizar exames de diagnóstico molecular; ao se questionar quanto à possível lucratividade ao realizar esses exames, mesmo considerando os custos para implantação, a maioria dos entrevistados de Araguaína respondeu que seria um método lucrativo, enquanto que a maioria dos de Marabá respondeu negativamente. Existem consensos como, por exemplo, que a lucratividade depende diretamente da demanda e que a localização geográfica dos municípios pouco interferiria caso existisse o interesse em implantar esse serviço. Concluiu-se que os profissionais atuantes em análises clínicas entrevistados nesse trabalho conhecem, mesmo que superficialmente, diagnóstico molecular e, que existem dúvidas quanto à lucratividade, à disponibilidade de pacientes/clientes para realização desses exames, entre outros fatores. Propõe-se a priorização de estratégias que levem ao aprimoramento das ferramentas moleculares no diagnóstico molecular de doenças infecciosas e parasitárias e, concomitantemente, propiciem a implantação das mesmas na rotina laboratorial nessas regiões.

Palavras-chave: Análises clínicas. Diagnóstico molecular. Doenças infecciosas.

 

Abstract: Proves based on molecular biology were introduced successfully in the last few years, and has contributed greatly to improve the diagnosis of infectious and parasitic diseases. The aims of this study were to assess and compare the difficulties to implement molecular diagnosis of infectious and parasitic diseases in clinical analysis laboratories. Data were collected in 2010, using interviews with technical directors of clinical analysis laboratories in two cities in northern Brazil (Araguaina in Tocantins and Maraba in Para state). Results demonstrate the absence in such laboratories of skillful technicians to carry out molecular diagnosis exams. When such technicians were asked about gains with such exams, even considering costs with implementation, most respondents in Araguaina said that such exams would be very profitable, but those in Maraba, answered the opposite. In the other hand, there is some agreement that gains depend directly on the demand for such exams and that geographic location of such cities would not be an interference if there would be interest in implementing such services. We conclude that professionals in clinical analysis know at least superficially, molecular diagnosis and that there are many doubts about gains and availability of patients to carry out such exams. We propose to use strategies to improve tools to carry out molecular diagnosis of infectious and parasitic infections which would facilitate the implementation of laboratories in the aforementioned geographic regions.

Key words: Clinical analysis. Molecular diagnostics. Infectious diseases.

 

1 Discente de Farmácia Generalista do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC), Araguaína – TO; <taides.tavares@hotmail.com>;
2 Discente de Farmácia Generalista do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC), Araguaína – TO; <lucas.farmacia@hotmail.com>;
3 Doutor em Microbiologia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (UFV); Professor Adjunto da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Gurupi-TO; <varavallo@uft.edu.br>;.